sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Caminhos de Fé *

Continuamos nosso trabalho no Velho Mundo. Confessamos, um trabalho cada vez mais difícil. A vantagem de sempre crescer explorando o mundo foram claras, pelo menos para alguns países europeus, como a Inglaterra onde está nossa sede. O processo começou a se reverter quando, decadentes, começamos a ser explorado pela nossa mais pujante colônia: O Estados Unidos da América (EUA). Conseguimos nos últimos anos minorar um pouco esta exploração, unindo nossas forças. Agora somos a Europa. Deixamos de sofrer um pouco com a exploração americana, no entanto, não porque ficamos mais fortes e sim por eles ficaram mais fracos.

Nos últimos anos todos nós esperávamos o estouro, no mau sentido, da economia americana. Nos iludimos tanto com a sua criatividade (não há como negar) que pensamos que ela funcionasse mais uma vez. Descobrimos, a duras penas, ser seu estoque de criatividade um recurso não renovável. Como foi para nós um belo dia, depois da segunda guerra.

Os EUA deram um flato e estamos caindo com o mau cheiro. Com a globalização, estamos num quarto fechado, onde a melhor solução é todos cheirarmos juntos para acabar depressa. Estamos cheirando, todavia, muitas vezes, o cheiro é insuportável.

Nosso escritório em Canterbury - Inglaterra quase fechou. Tivemos que diminuir nossa equipe e dar férias coletivas ao que sobrou. A crise pegou a CIT aqui. Quando sabemos que no Brasil, isto ainda não está ocorrendo, ficamos alegres no momento, mas preocupados, se nossos governantes pensarem que ela não chega lá. Mas estamos vivos e enviando parabéns pela criação do Blog.

O trabalho abaixo mostra Fátima, em Portugal. Podemos dizer que é uma cidade que nasceu por milagre. E ainda hoje se mantém pelo milagre. Somos Anglicanos, temos divergência da Igreja Católica, porém, jamais duvidamos da força da fé. Mesmo em períodos não festivos, nos quais foram feitas nossas filmagens, aquele local passa uma energia positiva difícil de não sentir. A fé está nos rostos das pessoas que pagam suas promessas com a devoção dos gratos.

Veremos no futuro outros trabalhos em outros países mas com tamanha emoção pensamos que é impossível.

Quando nosso cinegrafista filmou a igreja do santuário, nem notou a luz belíssima que foi produzida pela câmara. Na edição alguém disse, isto é obra divina, obra de Nossa Senhora de Fátima. Será? Vejam, homens de pouca fé.






John Black

Chefe de Equipe - Canterbury - Inglaterra

(*) Tradução: Lucinha Peixoto.

Nenhum comentário: