domingo, 28 de dezembro de 2008

Bodas de Ouro e Festas Natalinas - Complemento

Alguns dias atrás enviei para os clientes da CIT o primeiro e-mail abaixo. Recebemos várias respostas. Como é nossa política no momento, tentamos publicá-las, quando houver relevância para o tema, em forma de complemento ao artigo. Óbvio que surgem mensagens polêmicas, as quais discutimos internamente a oportunidade de publicá-las. Depois de feito isto decidimos pela publicação, recebidas as devidas permissões. Neste caso particular não houve mensagens só de um lado mas, uma espécie de diálogo entre eu e o CARLOS SENA e eu e JOÃO NELSON, nos quais minha participação foi mais de forma do que de conteúdo. Publicamos deste modo para tornar mais claras as mensagens além de manter suas formas originais (sem edição nenhuma), resguardando a responsabilidade de cada um. Agradeço a ambos conterrâneos a permissão para publicação, e estamos a disposição deles e de todos para outras participações.
Diretor Presidente
----------------------------
Caros Bom Conselhenses,
Estive por estes dias em Bom Conselho e cometi algumas frases. Estão no link:
http://www.citltda.com/2008/12/bodas-de-ouro-e-festas-natalinas.html
Lucinha Peixoto pede para avisar sobre a enquete. Placar de hoje: Pedro de Lara 22, Waldemar Gomes 14, são os mais votados. Restam 5 dias para o término da votação, e temos 53 computadores votantes, o que superou todas as nossas expectativas. Votem e Bom Conselho agradecerá o interesse.
Saudações Natalinas
Diretor Presidente (diretorpresidente@citltda.com)
--------------------------
(DIÁLOGO COM CARLOS SENA)

Meu presidente Citeiro:
Adorei suas considerações sobre sua ida a terrinha. Lembrei de uma passagem que a gente saiu daqui, do Recife, para a festa de São Sbastião exatamente por conta do "baile", tipo "encontro de brotos", sei lá que nome tinha. Pra nossa surpresa, Pe. Carício suspendeu a festa e a gente ficou lambendo o dedo. Coisas dessa igreja cujo dirigente maior vive preocupado se homem trepa com homem e mulher com mulher, esquecendo que grande maioria de padres estão jogados à mingua, com AIDS nos hospitais.
Como vês, macaco não olha pro rabo. Claro que há excessões que justificam a regra, mas é demais esse tipo de preocupação quando o mundo vive em plena barbárie, que ainda chamam de violência. Em janeiro estarei na terrinha. Espero encontrar muitos, mas já me vejo como vc: não me conhece? E quem é você? Mas a gente repagina a vida e os amigos.
abraços
csena
------------
Caro Carlos Sena,
Obrigado pelo comentário, como sempre preciso e oportuno. Eu, nunca na história desta empresa tinha visto tanta polêmica, quanto a decisão de publicar uma mensagem, que foi a sua. Como você sabe, temos pessoas de todos os tipos aqui, católicos, evangélicos, ateus e até budistas, ficando na religião. De qualquer maneira, temos um passo anterior a nossas brigas internas que é perguntar a você se podemos publicar a mensagem, como o fazemos sempre como um complemento do tópico. Sabemos que ela já foi publicada no seu Blog, de uma forma mais extensa e clara, que gostamos muito. Mas sempre perguntamos se o permite fazê-lo em nosso Blog. Como sempre diga permito, se permitir, e não diga nada se for ao contrário e fique certos que, independente de nossa decisão interna, admiramos seus comentarios. Um abraço
Diretor Presidente
--------------
Caros Citeiros:
Eu não quero estar vivo um só dia se o que eu penso não puder ser publicado. Evidentemente que considero sempre as excessões que, neste caso, são muitas. Até porque não se trata de fé, mas de igreja. Aliás, esta expressão "igreja" anda tão carregada de outros significados que, quando a gente quer se referir a um grupo sectário ou similalr, fala "alí, só entra quem for da "igrejinha". Mera coincidência? Talvez.
Se interessar a alguém eu sou denominadamente, católico. Mas adoro a expressão "Cristão", pois ela me congrega. Nesse mister, Dom Helder foi perfeirto:conta-se que uma porstituta, em Fortaleza, teria lhe procurado com a seguinte indagação: "Dom Helder, sou prostituta e todos os anos, por não ter dinheiro pra dar um presente de natal, "deito" com um detento da cadeia pública de graça, como forma de presente de natal. O que o senhor acha"? Ele respondeu: "é a tua consciência que tem que te responder"! Se a prostituta foi ou não deitar com o detento, não sei. Mas sei que houve sabedoria na resposta, pois tudo depende de como a gente se constrói por dentro. Se nos construirmos com base no respeito, na noção de que todos têm o direito de fazer tudo, desde que não ponha em risco a integridade do outro, que mal ha nisto?
Às vezes me pergunto: se Deus, grandioso como é, nos deu um corpo harmônico e cheio de funções definidas, como podemos bloquear o "tesão", ou a "Pulsão" na linguagem psicanalítica? Passa alguém por você e você sente que mexeu contigo por dentro e até chegou a excitação. A pessoa é solteira (só pra falicitar a construção), independente financeiramente, cidadã honesta, pratica o bem e faz caridade, enfim, vive uma vida digna. Se for uma "pulsão envolvendo HOMEM X MULHER, dez! Se for "HOMEMXHOMEMXMULHERXMULHER, safadeza! Por que Deus, oniciente, onipresente e outros "ente" não "cortou" esse sentimento pecaminoso na fonte? Não seria mais fácil e ajudaria enormemente a vida das igrejas "donas da verdade"?
Não! Deus de fato é grande. Ele deixou as pessoas livres para saber quais seriam aqueles, mesmos os que se dizem defensores das sua palavras, que teriam a grandeza de conviver com os diferentes. Que mérito existe nas pessoas que não querem construir um processo político novo de igreja? Repetir antigas lições do passado na lógica dos "sepúlcros caiados"?
A igreja católica está precisando de pastores legítimos, que botem a mão na "massa"; que saiam dos palácios e vivenciem o evangelho no cotidianos dos mais necessitados, sem aquela história ultrapassada de "teologia da libertação", mas uma teologia da razão, tipo: quem tá passando fome quer comida e depois a salvação da alma. Agora, entender que quem passa fome seja conformado porque na "outra vida" terá a bênção de Deus, me poupe, pois contra fatos não existem argumentos. Aqui eu coloco também o papel do Estado, pois não podemos entender essas instituições tão importantes se digladiando, nem uma se metendo na outra. Mas pdem muito bem se darem as mãos em função dos mais necessitados, ou não?
Pra finalizar esta resposta que virou uma enciCLICAR ( de clicar no mouse ), adianto aos meus amigos que adoro a igreja católica e o seu ritual me omociona, mas uma coisa não justifica a outra, principalmente essa postura entediante de alguns membros ( será que posso falar em membros? ) se metendo onde não devem. Outro dia vi numa padaria lá em Maranguape onde mamãe mora: "se banco não vende pão, padaria não empresta dinheiro". Fazer o que?Obrigado pela oportunidade e podem cortar o que quiserem e publicar o que não aceitarem. Ninguém poderá deixar de saber que esta é uma opinião particular e "priu"!
csena
-------------
(DIÁLOGO COM JOÃO NELSON)

Presidente, academia de quê? De letras? Jogo de azar, luta livre, luta de classes? Voto na última.
----------
Votaria, tâ(o)mbém, no diretor presidente cit@citltda.com pelo ótimo comentário BODAS DE OURO FESTAS NATALINAS. Que seria excelente caso tivesse acrescentado a desordem no trânsito (veículos), a falta de sinalização a buraqueira que, decerto, afastariam os turistas ou os fariam morrer antes do tempo: o complexo do avestruz, se cabe aqui. Se houver tempo nomei a ACADEMIA. Se possível acrescetem ACADEMIA LUTA DE CLASSES, ACADEMIA DE ESTUDOS POLÍTICOS, ACADEMIA DA INÉRCIA, DA CORRUPÇÃO. Se, antecipo meu voto: LUTA DE CLASSES. Vão em frente. Um abraço grande. JN
----------------
Caro JN,
Penso ser JN as iniciais de João Nelson. Peguei seu e-mail no saite de Bom Conselho. A CIT queria colocá-la em sua lista desde um seu comentário no mural: "Saulo, Sinais da existência de Deus - ótimo. Agora te pergunto: o que Deus fazia antes de criar o mundo? Um abraço grande, João Nelson", e que tanto chamou a atenção do nosso companheiro Cleómenes Oliveira. Ele me disse, será que temos mais uma ateu? O Oliveira andou discutindo com outros no saite, sobre suas descrenças e encontrou outra ateu: Milton Cavalcanti. Ai ele disse que tinha pelo menos um leitor entre os nascidos nesta cidade católica, apostólica e romana que é a nossa. Será que terá dois leitores agora? Ele estava escrevendo, mesmo atrasado "O Natal do Bom Ateu", não sei se publicará ainda este ano ou no próximo. Ele gosta destes temas, Deus existe não existe, Luta de Classes que classes, etc. E adorou o seu Chico de Juvita, que passa bem perto do Macunaíma, com um pouco mais de caráter.
Quanto a enquete quem está á frente é Lucinha Peixoto, ela diz que já lhe viu, mas conhece bem Balinho. Torcedora fanática do Pedro de Lara para amainar um pouco o elitismo do emprendimento, o qual ela defende, também eu, não só de letras mas de muitas coisas. Pela religiosidade dela certamente não concordará com os nomes sugeridos por você, mas os incluirá numa próxima enquete se a atual for levada em conta por nossa elite pensante. Vamos ver o que é que dar.
Desculpe, se usei o seu e-mail em vão. Mas, não nos processe. Se não estiver gostando de recebê-los, basta um clique, apague-os.Outra coisa, nossa empresa mantém um política de publicação de comentários no seu Blog que não é a tradicional (com aqueles quadradinhos horrorosos), mas ela gostaria de publicar comentarios recebidos por e-mail que tem importancia para nossos temas, como é o caso deste seu agora recebido, com o qual concordamos quanto a buraqueira e o trânsito. Se você permitir sua publicação basta responder este e-mail, dizendo: Permito. Se não permite, não diga nada, e tenha certeza de que agradecemos da mesma forma os seus comentários. Abraços.
Diretor Presidente.
----------
CARÍSSIMO PRESIDENTE.
Boa madrugada para BONS DIAS séculos à frente amem.
Quanto ao companheiro Cleómenes Oliveira, ele permitindo tratá-lo-ei (kakaka) como camarada. Ora, sobre os nascidos nesta cidade católica, apostólica romana faço uma obseração: a maioria não são católicos apostólicos romanos; são católicos, apostólicos do IBGE, pra rimar. isto é, somente por ocasião do censo. Quanto ao Balinho, a Lucinha Peixoto conhece a figura mais impoluta, sem jaça, incorrobuvel e esquipática do mundo. Vou dizer pra ele da lembrança dela. Até encontrá-la vai passar anos sem dormir (kakaka). Pelo uso em vão do e-mail foi apropriado e no lugar certo. Usem e abusem. Processo é com os tempos de chumbo. Já era. Volto a questão: DEUS. SAULO (PAULO), o apóstolo de Jesus Cristo, em sua Epístola aos Colossenses diz: (CRISTO, DEUS) "Vigiai para que ninguém vos apanhe no laço da filosofia, esse vão embuste fundado na tradição dos homens, nos elementos do mundo e não mais em Cristo. Pois neste habita corporalmente toda a plenitude da divindade, e vós vos achais plenamente cumulados naquele que é o chefe de toda Autoridade e de seu poder". O que Deus fazia antes de fazer o mundo encontramos a resposta em JOÃO, "Eu te glorifiquei sobre a terra, conclui a obra que me deste para fazer. E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, com a glória que eu tinha junto a ti antes que o mundo existisse. João, 17 4-5. Einstein elucida: "A ciência sem a religião é imperfeita, a religião se a ciência é sega". Ora, presidente, nossa visão holística do mundo faz-nos duvidar de tudo, menos da existência de Deus. E continuemos duvidando, perguntando, questionando e descobrindo novos mundos, novos horizontes. Neste modo de pesquisar/questionar e agir até uma criança faz ciência e encontra Deus que está conosco. "Estarei contigo até o final dos tempos". A categoria ou denominação ateu está para nós como uma abstração. É parte do nossos fundamentalismos, farisaismos. "Creu ou não crer eis a questão". As idiossincrasias ideológicas ficam por conta de ZEBEDEU. Chico de Juvita num dorme pensando/sonhando com vcs fazendo mundo. Ele manda abraços e um cheiro pras PEIXOTAS. JN
----------------

Nenhum comentário: