domingo, 8 de março de 2009

Dia Internacional da Mulher - Complemento

Caro Carlos Sena,

Mais uma vez agradecemos sua participação em nosso Blog. Penso que foi Voltaire quem disse, ou talvez tenha visto na folhinha de algum calendário: "Discordo daquilo que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito de o dizeres". Isto se eu discordasse totalmente de você. Imagine o que penso, concordando parcialmente. Lucinha, quando ler seu comentário deve se sentir honrada sendo colocada como símbolo de Mulher, principalmente porque ela não é muito fã do nosso bispo, embora se considere uma católica praticante tentando cumprir todos os ritos da Igreja. Obrigado.

Diretor Presidente
*******************************************
Dia Internacional de mulher é um dia de reflexão. Penso que Lucinha pode, sem sombra de dúvidas, simbolizar essa mulher genérica deste dia. Claro que não a conheço pessoalmente, pois é por isto que imagino assim. A mulher que queria neste dia homenagear seria Mãe Jó, ou dona Maria Jó, como era mais conhecida no alto do colégio. Também Dona Pretinha, minha mãe, poderia ser esse símbolo. A própria Gonga (uma mulher tida como ´"de vida fácil" dos meus tempos de adolescente), ou essa mulher que a gente não sabe ao certo seu nome, mas que MARIA já basta - diferente de "empregada", "secretária", ou assemelhados títulos reducionistas da condição de gente. Apenas Maria. Apenas Lucinha. Apenas Pretinha. Apenas Mãe Jó. Sem penas, mas com louvores às atitudes de mulheres fortes, decididas, que sabem fazer a diferença.
Neste dia Internacional das Mulheres, quem mais deveria comemorar era o HOMEM. Ele, afinal, tem sobrevidido na sombra delas, haja vista que no carnaval do Recife só dá homem se vestindo de mulher. Neste tempo todo de Recife, nunca vi mulher vestida de homem, exceto aquelas que são, naturalmente, masculinizadas. Se elas forem felizes é tudo que importa. Afinal gente feliz é o que precisamos em todos os lugares, inclusive nos altos cargos da igreja.
Portanto, neste dia, invoco às mulheres que nos deem esse presente: "façam uma revolução na igreja caótica, digo, católica" no sentido de que um dia a gente possa ter uma mulher como arcebispa de Recife e Olinda. Pois se assim já fosse a gente não estaria passando por esse vexame desse bispo antipático que só provoca a discórdia em nossa arquidiocese: fechou o seminário teológico, persegue padres que eram amigos de Dom Hélder, suspendeu Padre Edvaldo de Casa Forte, meteu-se em fuxico com um padre e uma suposta amante que até hoje nada ficou provado e por aí vai. Agora se sai com essa pérola da excomunhão de pessoas que são conscientes do dever profissional como os médicos que fizeram o aborto induzido da menina de 9 anos já alardeado pela imprensa do mundo inteiro.
Mas como falar desse "bispinho", mais espinho do que bispo, é "gastar vela boa com defunto ruim", retomo a prosa das mulheres neste dia de REFLEXÃO.
Portanto, Lucinha, a bola é sua. Na verdade é de todos, posto que toda mulher tem um homem dentro de si e todo homem uma mulher, não necessariamente nesta mesma ordem. Parabéns, portanto, a todas a mulheres que são felizes independente da condição que tenham. Afinal, são fiéis representande de Maria, mãe de Jesus, aqui na terra. Afinal, representam a grande frustração dos homens que, por mais fortes que se digam ser; por mais sábios e inteligentes que se digam ser, jamais irão conceber dentro deles (de nós) uma criança - missão delegada por Deus às MULHERES.

Carlos Sena

Nenhum comentário: