segunda-feira, 4 de maio de 2009

BASTO DE EULALIA


Nascido e batizado com o nome de Sebastião Tenório de Albuquerque, sua mãe dona Eulália, Por isto basto de Eulália, conhecido nos quatro cantos da nossa Bom Conselho, sempre lidou com jogo, fosse de azar, fosse as 52 cartas, brabo que nem siri numa lata, nervoso, nunca guardou desaforo , o que tinha de dizer dizia ali na bucha, quando partidário de um político era fiel até o tal político fazer alguma coisa que o contraria-se, nunca se apartou de um chapéu ramenzoni xxx, pois sendo careca desde moço usava para proteger a careca, eu acho que o chapéu era algo tão intimo dele que eu não vejo como ele seria sem o chapéu, o chapéu passou a ser seu próprio cabelo.

Certa feita num natal estava basto de Eulália com o seu caipira de dados e um monte de meninos jogando inclusive este que vos escreve, isto foi nos idos de 1974, véspera de natal basto tinha dois dado um grande e outro pequeno, eu notei que o grande só dava cinco e o pequeno só dava dois, ai nós ficávamos esperando ele colocar o dado no caneco para podermos jogar ai um menino dizia ele colocou o grande, a todo mundo jogava as fichas no numero cinco e quando ele levantava o caneco, lá estava o numero cinco ai era uma algazarra dos diabos pois todo menino ficava dizendo aquela é minha, aquela é minha e o nosso amigo basto só faltando dar um ataque de coração , pois já pensou 10 ou 12 menino gritando ao mesmo tempo e o miserável ficava de morrer, ai vinha a outra partida e nós notávamos que ele tinha colocado o dado pequeno, ai todo mundo jogava no dois, quando basto levantava o caneco lá estava o numero dois, pronto outra confusão e basto ficando liso chegou o momento que ele não tinha nem mais um tostão ai foi tomar emprestado a meu pai na sorveteria mais dinheiro, ai volta tudo de novo até ele alisar de novo, pegar os dois dados jogar na caixa prego juntar as ficha e vai embora esculhambando com tudo e todos e nós felizes da vida com os bolsos cheio de dinheiro.

Na eleição de 1992, disputavam a eleição Walmir Soares e Audálio Ferreira, o nosso amigo basto de Eulália partidário ferrenho de Audálio, num dia de sexta-feira já próximo da eleição Audálio vai fazer um grande comício em rainha Isabel e Walmir vai fazer um comício também grande em logradouro dos leões, desde ao meio dia que saia carro com gente para os dois comício, realmente é uma grande festa para o povo comício nos distritos, e quando a caravana chega em grande carreata as ruas e as praças ficam lotada de gente para ver quem tinha mais carro e gente nos carros, quem chegou primeiro foi a caravana de Walmir proveniente do logradouro, e fez uma grande carreata e depois entra vindo da rainha Isabel a carreata de Audálio, sem sombra de duvida tinha mais carros do que a de Walmir, ai entra o nosso personagem na história, ele tinha ficado na cidade e não tinha ido para o comício mais veio para a praça para ver as duas carreatas, ele ficou localizado na calçada em frente a casa lotérica na praça João Pessoa, viu a carreata de Walmir e ficou esperando a carreata do seu candidato, neste interin notou basto que tinha um velhinho baixinho numa torcida infernal para Walmir, e ele estava na frente de basto só que no calçamento, basto se localizava na calçada e o velhinho no calçamento o que fazia basto ficar muito mais alto do que ele, pois bem chega a carreata de Audálio da rainha Isabel, aquela animação, de um lado os partidários de Walmir vaiando do outro os partidários de Audálio aplaudindo, e vai passando carro, e vai passando carro e os partidários de Audálio sentindo que a carreata dele era maior que a de Walmir, e nosso personagem alegre por ver que pela a carreata a eleição estava ganha só uma coisa estava intrigando ele, o velhinho a cada carro que passava dizia, na de seu Walmir tinha mais carro, na de seu Walmir tinha mais carro, e basto pegando ar, e os carros passando e o velhinho na mesma cantiga, é quando basto não aquenta mais e bate nas costa do velhinho, quando o velhinho se vira ele diz PORQUE VOCÊ NÃO VAI TOMAR NO C, o velhinho fica espantado e de fininho desaparece na multidão.

Assim é o nosso amigo basto de Eulália, quando amigo, amigo agora quando inimigo, inimigo até os ossos, vai aqui a minha homenagemA este grande papacaceiro, rubro negro de coração e que hoje dia 01 de maio 2009 deus o levou para junto dele.



Alexandre Tenório

Nenhum comentário: