sábado, 9 de maio de 2009

Com teu tempo

Lucinha, o que tens feito?
Com esse tempo desmedido
tu que a tudo dás jeito
nesse tom desinibido
teu tempo é o nosso tempo
que de teimoso não pára
é tempo e não contratempo
este sim a gente encara.

Tanto que fico aturdido
muitas vezes que te leio
isso é fato e é sabido
pois não sei fazer rodeio
posso falar sem pensar
tangido pela emoção
e sempre que eu errar
é coisa do coração.

No momento, estou pensando
pra te mandar estes versos
sinceridade pulsando
sentimentos submersos
pensamentos escondidos
num coração que tem voz
na vida que tem sentidos
que fala a muitos de nós.

E meios termos não há
quando falo da amiga
quem sabe tem o que dá
quem não sabe faz intriga
já tivemos discordâncias
coisa muito salutar
no mundo das relevâncias
vive-se para avaliar.

Mas não devemos julgar
por um simples preconceito
para que se antecipar
só procurando defeito?
Discordar é contradita
e dela surgem as idéias
nessa procura infinita
não se usam panacéias.

Verdades são pra ser ditas
em dosagem equilibrada
mas há gentes esquisitas
que nos tiram da jogada
e aí alguém se esquenta
pega o fio da meada
com isso a polêmica aumenta
e agita a caminhada.

Quem não agüenta a parada
e não tem o fundamento
mantenha a boca calada
não diga coisas ao vento
mas não me vou desviar
para o debate pequeno
vim pra te homenagear
no teu jeito sempre ameno.

Brindemos nossa amizade
que ela é sempre bem-vinda
é sentimento que invade
no tempo que nunca finda
deixo aqui o meu abraço
saído do coração
é coisa que sempre faço
por dever de gratidão.

Com quem já mostrou o traço
da divina inspiração
tu já tens o teu espaço
e não queres louvação
não se pode ser fingido
no afã de agradar
só digo o que é sentido
não é falar por falar.

É pensar bem refletido
só procuro me inspirar
pra dizer o merecido
passei a te admirar
tens teu marco definido
e ninguém te vai mudar
teu pensamento é nutrido
e quem ousa contestar?

Louvo a tua coerência
Lucinha, devo dizer
se a vida não tem decência
não se precisa viver
dorme com a sabedoria
e acorda com a esperança
está vindo um belo dia
e um porvir de bonança.

Deita na noite profunda
radiante é o novo dia
um sentimento te inunda
o sonhar é poesia
a madrugada é o descanso
da mente que tudo cria
o clarear vem de manso
e a aurora principia.

No tempo que se anuncia
segue a tua temperança
na vida que te alumia
nessa busca que não cansa
brindemos o novo dia
com orgulho e confiança
donde tudo principia
e se enche de pujança.

José Fernandes Costa - jfc1937@yahoo.com.br

Nenhum comentário: