quarta-feira, 3 de junho de 2009

Além da Estátua



Observo uma estátua.
Não olho a obra do artista que a realizou.
Detalhadamente noto os cabelos, o rosto, o corpo, a roupa, o porte........
Quem foi esse homem? Do que gostava?
Com o que se importava? Foi feliz?
Dom Pedro II, nasceu a 2 de Dezembro de 1825 no Rio de Janeiro. Estudamos sua vida no colégio e sabemos que era filho de Dom Pedro I e Maria Leopoldina. Assumiu o trono ainda menino.
Foi o pai daquela que assinaria a Lei Áurea, a Princesa Isabel. Os detalhes de sua biografia, podemos encontrar em qualquer livro de história ou sites de procura. Para mim, no momento, não é importante. Olhando para aquele rosto frio, de mármore, eu sabia que ele podia estar ali por ser filho de quem era ou porque ele merecia. Apostei na segunda hipótese.
Com os mais renomados mestres da época, Pedro II, aprendeu alemão, francês, português, literatura, ciências naturais, geografia, dança, música, pintura, equitação e esgrima.
Parece muito? Não. Não era. Era assim mesmo para uma completa educação real.
Mas... eu sabia que além da estátua tinha mais....muito mais.........
Discursava em grego e latim. Lia Homero e Horácio no original. Entendia a lingua dos nossos índios, o tupi-guarani e o provençal.
Seu conhecimento era algo incomum. Eu sabia que o frio mármore escondia uma mente privilegiada.....e não para aqui não.....tem mais. Vamos ver?
Vou apenas citar que o reinado dele foi marcado por transformações sociais e econômicas. Desejava tornar o Brasil uma nação representativa internacionalmente.
E o melhor, DOM PEDRO SEGUNDO NUNCA usou o dinheiro público para qualquer benefício próprio. Parte do seu ORDENADO era destinado para patrocinar muitos brasileiros, inclusive, Carlos Gomes. Mesmo no exílio continuou
contribuindo com a cultura do Brasil, doando sua coleção de peças de arte.
Dom Pedro II foi um intelectual e muito mais:
1/fotógrafo: adorava fotografias e suas viagens foram verdadeiros documentos para a história.
2/egiptólogo: o estudo pelo antigo Egito. Foi o primeiro governante brasileiro a viajar para o Egito. Tinha um acervo de peças que doou ao Museu Nacional , que tornou-se o mais importante da América do Sul em ciências naturais.
3/protetor da cultura: a presença ativa do imperador estava em todos os assuntos relacionados com a cultura no país. Para se ter uma idéia, o colégio D. Pedro era o único que realizava provas para o ingresso superior, era mantido pelo imperador e não pelo governo.
4/desbravador: inaugurou a estrada de ferro Petrópolis, construiu as primeiras linhas telegráficas do país e quando Grahamm Bell, mostrou sua nova invenção,ele encomendou 100 aparelhos de telefone para o Brasil....
Eu sabia que aquela estátua tinha força, atitude !! Não foi em vão perscrutar seu olhar destemido e saber mais, muito mais.....
No tempo de Dom Pedro II, não havia censura de imprensa. Ele contribuiu sim para a liberdade de imprensa.
A liberdade era tanta que havia até um jornal que pregava a derrubada da monarquia...... era ou não uma pessoa especial? Avançado para seu tempo.
Arrojado. Culto. Preocupado com o povo.
Nunca mais vou olhar uma estátua, uma gravura ou uma foto com olhos do nada.
Apenas da apreciação.
Quero mais...... muito mais...........


boa semana bjusssssss
Ana maria miranda Luna
São Paulo
------------------------
(*) Fotos enviadas pela autora e da internet. A estátua é de D. Pedro II, vista de costas, e alameda em frente ao prédio do Museu Nacional (MN) da UFRJ, (Palácio Imperial de São Cristóvão), antigo Museu Real do Rio de Janeiro, localizado na Quinta da Boa Vista.

Nenhum comentário: