sexta-feira, 26 de junho de 2009

O AVIÃO




O nosso amigo Duênio Amaral, é um rapaz muito querido na nossa sociedade, fez votos de não se casar e viver a sua vida como um ermitão, é convidado para todas as festas, faz parte de todas as rodas sociais, só não quer ver ninguém falar em casamento, pois ele diz que não troca sua liberdade por nada neste mundo, então com esta filosofia de vida ele investe na sua satisfação pessoal, viajando e curtindo a vida como tem de ser vivido por aqueles que não têm mulher nem filhos para regular sua vida.
Há uns dois anos atrás ele resolve fazer uma viagem para São Paulo, juntou as tralhas e foi visitar a terra da garoa, depois de alguns dias conhecendo São Paulo ele, resolve voltar para a sua terrinha. Comprou passagem na TAM, chegado o dia do embarque lá vai o nosso amigo para o aeroporto de Cumbica, chegando lá se dirige ao balcão da companhia e é informado da hora do vôo e onde deve se dirigir, lá vai o nosso amigo, mostrando o bilhete às pessoas responsáveis pelo o desenrolar da carruagem, até chegar à boca da passarela que serve de entrada para o avião, a aeromoça indica a poltrona aonde ele deve sentar, ele entrou sentou e achou estranho, aquele avião, pois o que ele tinha vindo era muito menor do que este, o espaço interno era outro, mais tudo bem, é quando uma voz diz senhores passageiros com destino a Lisboa, bem vindo a TAP, é quando ele olha de lado e na cadeira estava estampado TAP e não TAM, neste instante ele dá um pulo da cadeira e diz EPA, TOU NO AVIÃO ERRADO, EU VOU É PRA RECIFE TERRA DE MEU PADRINHO FREI DAMIÃO, meus amigos leitores pensem na zona que se formou no avião, e ele, EU VOU É PRA RECIFE, EU QUERO SAIR, e se alvoroçou, a esteira já tinha sido recolhida, e ele doido querendo sair a todo custo, nisto a algazarra já tinha tomado conta, dos passageiros e tripulação, os portugueses a dizerem que falavam que eles eram burros, mais burros era os brasileiros, eu só sei que quando abriram a porta para ele sair, ninguém sabe como, ele recebe um sabogada no pé do toutiço, alguém jogou o bagaço de uma laranja, do mesmo jeito que as torcidas fazem no campo de futebol, ele doido azoado, nem olhou para trás, imediatamente descamba dentro do túnel e sai do outro lado atordoado, foi preciso uns 10 minutos para ele se situar, depois de passado o susto, se dirigiu ao balcão da TAM e relatado os fatos, foi acomodado no próximo avião para o Recife, chegando são e salvo, ah ah ah ah.

Alexandre Tenório Vieira - tenoriovieira@uol.com.br

Nenhum comentário: