domingo, 2 de janeiro de 2011

UM ANO DEPOIS




Um pouco inativo pela festas de final de ano, hoje fui ver nosso próprio Blog. Não pesquisei muito. Fui logo há um ano atrás e encontrei um texto meu que eu transcrevo a seguir, e que tinha como título: RETROSPECTIVA. Este ano não tivemos tempo de descrever a performance do nosso Blog, que ao contrário de rabo de cavalo, só cresceu prá cima.

Lula já passou, Michel Jackson continua nas paradas, criamos a Gazeta on line, já tivemos mais de 70.000 acessos, vocês já podem fazer comentários às postagens, e, junto com Bom Conselho, continuamos falando da vida alheia. Hoje, já posso dizer, que o amigo que me contava alguns dos causos era o Zé Carlos, que já está outra vez conosco na A GAZETA DIGITAL. Mas continuamos com o lema: Bom Conselho é a causa.

Leiam ou releiam o que escrevi e que já havia esquecido de um monte coisas:

Aqui, em plena selva amazônica, neste último dia do ano, ao invés de olhar para o futuro, todos os meios de comunicação olham para o passado. É uma retrospectiva ali, mostrando o finado Michel Jackson, outra acolá, mostrando o homem de Brasília embolsando dinheiro público, e um pouco mais distante, o Lula falando da “marolinha”, que agora se tornou lema de campanha do PT.

Pergunto eu, por que a o nosso Blog teria que ser inovador em mais este hábito cultural? Seria uma besteira. Não teríamos assunto para escrever nada, a não ser sobre a corrida de São Silvestre. Será que tem alguém de Bom Conselho, correndo? Que falta nos faz a A Gazeta “on line”! Vamos à nossa RETROSPECTIVA.

Começamos o ano de 2009, depois de um recesso sem conexão, com um sonho do José Fernandes e falando de pessoas com um artigo de Ana Luna, no final de janeiro, e continuamos a falar delas o ano todo. Sem tirar nem por, um Blog como um nosso, voltado para uma comunidade como a de Bom Conselho, deve parecer uma família normal que se junta para falar da vida alheia. Este hábito está tão arraigado em nossa cultura que deveria ser motivo de um projeto do vereador Carlos Alberto para torná-lo um patrimônio cultural imaterial. Quando minha mãe dizia fulana é uma “faladeira”, ou, como dizemos mais recentemente, um fofoqueira, sabia intimamente que não estava falando mal da pessoa. Lembro que um amigo meu, certa época, tinha o hábito de reunir com um grupo todas as noites para falar da vida alheia. Ele dizia que não citava nem nomes dos grupos que se formavam para fazer isto, na Estação Rodoviária, da nossa cidade, por a lista era muito extensa. Não ficava “pedra sobre pedra”, ou melhor, “pessoa sobre pessoa”, era tudo revirado. Havia até competição para ver quem trazia mais “causos” novos. Eram o terror dos pais de família, maridos e namorados tradicionais. Ninguém queria ver seus filhos, esposas e amadas na boca das “comadres”. Nas reuniões do grupo, era muito comum, quando um saía mais cedo para ir dormir, ouvir:

- Carlinhos, ele já foi, pode contar!

Era tanta a falação que este meu amigo criou um concurso chamado Língua de Ouro. Guardei por algum tempo as regras deste concurso, depois as perdi. Em suma, ele dizia que anualmente deveria ser realizada uma festa, provavelmente no Auditório Rui Barbosa para a entrega da Língua de Ouro, Língua de Prata e Língua de Bronze àqueles que se destacavam como "falantes" da vida alheia. Lembro bem que, para não haver repetição constante de ganhadores, Zé Bias foi impedido de concorrer, era “hors concours”. Destas solenidades lembro apenas que Zezé “Num me Mui”, ganhou uma vez a Língua de Prata, e Carlinhos “Mouco” duas vezes a Língua de Ouro.

Voltando ao Blog, passamos o ano inteiro, falando da vida alheia. Se houvesse ainda o concurso, nossa colega Lucinha Peixoto, ganharia o ouro todas as vezes. Pois continuando nossa retrospectiva, ainda em janeiro, é ela que dialoga com o Edjasme Tavares, Carlos Sena, José Póvoas e Ana Luna sobre o Encontro de Papacaceiros, que se Deus quiser, estaremos lá este ano na 10ª edição (leia aqui). Pena que não possamos este ano, devido a este curso que estamos fazendo aqui em Belém, organizar o 2º Encontro de Caldeireiros, recebendo os papacaceiros em nossa sede em Caldeirões, com a presença ilustre do Diácono Edjasme. O que todos esperamos é que a Lucinha, se tiver que continuar falando da vida alheia, e se a conheço ela o fará, fale bem e não mal do próximo encontro.

No mês de fevereiro tivemos o anúncio da arrasadora vitória do nosso saudoso Pedro de Lara para ser o patrono da nossa tão sonhada academia. Vitória justa e merecida. O posto de maior divulgador de Bom Conselho, até hoje, talvez só fosse perdido para o Presidente Lula se tivesse vindo inaugurar a Perdigão, mas ele não seria um concorrente direto do Pedro pois é de Caetés e não de Bom Conselho. Vamos ver se o atual governo do município, que diz ser “o governo do povo”, dar a devida ênfase a este pessoa de nossa história, muitas vezes estigmatizada exatamente porque pertenceu ao povo.

Depois das escaramuças do nosso colega José Andando com o nosso colaborador José Fernandes, sobre o acordo ortográfico, passando pelo Carnaval e uma receita de Licor de Jenipapo da nossa “faladeira” Lucinha, chegamos ao mês de março. Sem querer falar do Tom Jobim com suas águas de março, tivemos as águas do Riacho Papacacinha com o memorável artigo do Carlos Sena sobre seus mergulhos nelas (leia aqui). O destaque deste mês foi o Dia Internacional da Mulher, e entre outros brilhantes artigos sobre o tema destacamos o do nosso saudoso Marlos Urquiza (leia aqui). Pela sua retidão de caráter e pelo seu espírito papacaceiro, prestamos aqui nossa homenagem a ele, sem tristeza, porque os homens bons, quando morrem não ficam tristes pois eles cumpriram sua missão.

Apesar de ser o mês do dia da mentira, em abril tivemos grandes postagens, e a estréia de dois de nossos colaboradores, o Alexandre Vieira e o Felipe Alapenha. Ambos deram um ar de juventude ao Blog, por baixar a média de idade, e pelos seus estilos únicos, com viés políticos inconfundíveis. Neste mês também foi lançado o Mural do Blog, uma ideia que venceu e continua, junto com a nossa Biblioteca.

No mês de maio, as mães, noivas e escravos foram motivos de grandes escritos de Maria Caliel, Ana Luna, Lucinha Peixoto e até eu escrevo sobre o nosso Zé de Puluca, o grande músico de nossa terra.

Em junho houve um triste destaque. A morte de Manuel Miranda, sobre quem a Lucinha escreveu um belo necrológio (leia aqui). Não tanto quanto ela mas, eu conheci o Manuel Miranda e tive notícias suas como uma das pessoas mais influentes da época, em nossa terra. Junho não foi só de São João, foi também de Manuel.

No mês de julho perdemos Marlos Urquiza, de quem já falamos pelos seus escritos, e escrevemos um pouco sobre ele, ou tentamos, pois a riqueza de sua vida merece ainda muita discussão. Neste mês o nosso Blog atingiu os 10.000 visitantes. Ontem olhei o nosso “reloginho” no final da página, e sem alarde, lá estavam 26.500 visitantes. Nesta restrospectiva também é o local de agradecer a preferência de todos, que, de todas as formas nos honram com suas visitas, pois, Bom Conselho é a causa. Neste mês também, não poderíamos deixar de falar em nossa aventura coletiva ao permitir que a nossa colega Eliúde Villela começasse a escrever para o nosso Blog. Hoje eu digo que foi uma aventura mais bem sucedida do que a de Dona Lindu indo para São Paulo. O nosso outro famoso retirante que se cuide.

O mês de agosto foi marcado por uma grande estreia: a do Roberto Lira. Provocado pelo Cleómenes, nosso ateu cristão (digo isto por ele ser uma pessoa tão boa, que supera, nestes aspectos éticos, muitos cristãos que conheço), teve começo um debate do qual não entendo muito mas tento ler e compreender. Espero que ele continue para completar o ecletismo do nosso Blog, em todos os campos. Talvez não tenha sido por acaso que descobri recentemente que Jesus nasceu do dia 22 de agosto do ano 7 a.c. (leia aqui).

Em setembro, como não poderia deixar de ser, o 7 de setembro foi a vedete, com seus desfiles e nossas escolas dando seus shows de beleza. Um meu artigo e um de Lucinha, sobre a data, foram parar na A Gazeta. Para mim foi uma honra muito grande ser publicado no prestigioso noticioso de nossa terra. Beleza maior, neste mês, só o casamento de Ana Luna, descrito por ela de uma forma simples e graciosa (leia aqui). Além disso tivemos a estreia da série: O Dia em que Bom Conselho Parou, do Alexandre Vieira, revivendo um fato importante de nossa terra.

Englobo os três últimos mêses do ano, como um prenúncio do que temos pela frente: As eleições. Digo sempre que os bom-conselhenses só tem dois assuntos que, apesar de alguns negarem, acham importantes: Política e Religião. A religião tomou conta quase o tempo todo do Blog ou dos que os fazem, pela polêmica Bispo x Médico. Neste fim de ano, e acho que no próximo, o assunto será política. O ano eleitoral forçará a isto. Não somos contras a tratar destes assuntos no Blog, como dissemos em nosso Mural, desde que respeitem a moral e os bons costumes. Temos também nossas opiniões nestes assuntos e esperamos externá-las quando necessário mas, estaremos nas mesmas condições de outros participantes e esperamos sempre garantir o contraditório, como fizemos até hoje.

Citei alguns neste texto, mas agora citarei todos que participaram do nosso Blog, pois todos merecem, sejam eles escritores ou leitores: Todos.

Um Feliz Ano Novo.

Diretor Presidentediretorpresidente@citltda.com

Nenhum comentário: