sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Caras e Bocas - Complemento



Recebi, via Eliúde Villela, um e-mail do meu conterrâneo Carlos Sena. Esta mensagem eletrônica é do tipo que nos faz continuar vivendo e com vontade de viver mais. Ele, como eu, se indigna de ter sido a Papacagay vetada no nosso encontro anual. Mas só homens iguais a ele, com sua estirpe, sua inteligência, sua cultura, sua sensibilidade pode escrever sobre isso. (Agora quando escrevo isso, esse, este, etc. sempre tenho dúvidas depois da bela aula de português do amigo José Fernandes).

O texto do Carlos Sena não poderia ficar pendurado só no nosso Mural. Pedi então para que ele fosse transformado em uma postagem regular, e espero, ou tenho certeza de que ele não se oporá. O texto não serve só para Bom Conselho, serve para todo o Brasil, pois o preconceito é generalizado neste país de pretensos machos. Pobre é ladrão, até que chegue a ser presidente da república. Índio é preguiçoso até que compre um gravador como o Juruna. Preto foge da polícia até chegar ao Supremo. Mulher só serve para coisas menores até ser prefeita, e quem sabe presidente, a Marina vem aí. Em nossa terra o preconceito é agravado pelo ranço coronelista na política, pelo ranço machista gerado pelo machismo artístico de Pedro de Lara e a herança maldita de nossa elite escravagista. E eu sou uma simples mulher, como se diz hoje, “prá frente”, mas "não sou fraca não", e odeio preconceitos de todas as formas. Adoro ser mulher, ser fêmea é só um detalhe, pois conheci muitas Mulheres muito macho, sim senhor. Com a palavra Carlos Sena:

“Amigos:

Só agora, via CIT, soube da proibição do papacagay. É uma pena, pois como é que a "cidade das escolas" que tudo indica ser elevada na convivência entre os diferentes se permite a isto? Tudo bem, pois a festa dos papacaceiros ainda não é um evento oficial do município; ainda não entrou no calendário turístico por essa via. Sendo, como é, capitaneada pelo amigo Quirino, passa a ser um direito dele que, tão habilmente tem mantido esse encontro que é um encanto. Mas, convenhamos, ele escorregou na baba do quiabo.


O mundo científico já sabe que as preferências sexuais não são exercidas por osmose. Ou mesmo porque alguém chegou perto do outro e, como doença, pegou. Deste jeito, pegar-se-iam todos os gays e trancafiavam junto dos heteros e... Ploft: todos viravam "machos". Digo macho porque o conceito de homem está nas atitudes e estas não são definidas pelo que as pessoas fazem na cama. Por outro lado, ser macho tem tudo a ver com um cão, com um gato, etc. Quando a criança nasce a gente pergunta: homem ou mulher? Quando o animal nasce, macho ou fêmea? Contudo, essa polêmica é salutar, considerando que só se avança nos processos sociais e sexuais no choque de opinião. Assim, um dia, a gente poderá conviver sem discriminar não só os gays, mas as mulheres, os negros, os índios, os judeus, os feios, os carecas. Se a gente pudesse ver o tamanho do pinto dos homens, certamente, aqueles de que fossem "fracos de tamanho e espessura" seriam igualmente discriminados e pelas mulheres. Fazer o quê? Parece mesmo que "discriminar" está na natureza humana como forma de castigo. Ultrapassar essa barreira é, certamente, o diferencial da vida, do sucesso. Posto que seria focado no amor que tudo tolera e a Deus conduz.

Carlos Sena”
- (csena51@hotmail.com)

Vejam bem como é! Mantive o título do artigo original: Caras e Bocas, para mostrar outro dos nossos preconceitos que diz serem as novelas só para fêmeas. O meu Bofe é macho e adora novelas. E conheço outros e outras que estariam na Papacagay com seus e suas companheiras, ou vice-versa, satisfeitíssimos, se é que me entendem! E vejam mais até que ponto vai a maldade humana. Eu era discriminada só porque estou um pouco acima do peso ideal, só um pouquinho, e me sentia péssima por isso. Hoje, quando há ameaça de ser discriminada, vejo o “clip” do Uva Passa, e minha auto-estima fica bombando. Obrigada, Marcix! E a discriminação pela idade? Sobre esta não vou nem falar, por não ter conhecimento de causa.

Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: