domingo, 7 de março de 2010

ANAMNÉSIA



Ao ler o ultimo artigo do Diretor Presidente fez-me lembrar dos nossos médicos, pessoas que fizeram parte da vida dos nossos antepassados e nossa, como Dr. Raul (in memoriam), Dr. José Barbosa (in memoriam), Dr. França (in memoriam), Dr. António, Dr. Marcílio, Dr. Jaldemo, Dr. Pompeu (in memoriam), Dr. Daniel, Dr. Zenício, Dr. Cícero, Dr. Ivanildo, Dr. Petrúcio, Dra Tarcisia, Dra Carmem Lucia, Dra Patrícia, Dr. Sales, Dr. José Alípio, Dr. Carlos, Dr. Graciliano.

Todos estes médicos que relacionamos, tiveram ou tem dado sua contribuição à saúde de nós bom-conselhenses, no artigo do nosso Diretor Presidente, ele fala sobre a grande quantidade de exames pedido pelos os médicos atuais, e principalmente dos médicos da capital, isto tem dois lados, um lado bom e outro ruim, o lado bom é que o exame quando pedido certo, ele vai dar mais segurança ao médico para formular seu diagnóstico, o lado ruim é que ele deixa de fazer o mais importante dos exames que é a anamnésia, pois uma anamnésia bem feita corresponde a 50% do diagnóstico de uma enfermidade, os médicos antigos como tinham poucos recursos de exames, usavam abundantemente a anamnésia, e com isto acertavam muito mais que os médicos atuais, e principalmente levavam uma vantagem, pois iriam tratar da doença logo, enquanto os atuais ficam dependendo da chegada dos exames para iniciar o tratamento.

O nosso grande médico Dr. José Barbosa, era um exímio profissional na arte da anamnésia, nunca deu um diagnostico de câncer para não ser, isto sem nenhum exame, só com o exame clínico, não querendo desfazer os médicos atuais, mais os nossos antigos médicos eram melhores clínicos que os atuais, pois praticavam com perfeição a anamnésia, eu sempre comparo o medico que pratica a anamnésia com aquele estudante que faz as contas sem precisar da calculadora, e o médico que não pratica a anamnésia é aquele estudante que só sabe fazer conta com a calculadora.

Na minha profissão veterinária, a anamnésia é 80% do diagnóstico, pois os animais não falam, portanto é através do histórico do animal, que nós formulamos o diagnóstico.
Para finalizar o nosso artigo, devo dizer que na ânsia de atender uma grande quantidade de pacientes em um só dia, é mais fácil pedir o exame, do que perder tempo com a anamnésia, pois no mundo de hoje tempo é dinheiro.

Alexandre Tenório Vieira - tenoriovieira@uol.com.br

Nenhum comentário: