quarta-feira, 17 de março de 2010

Bom Conselho - Dia Internacional da Mulher



Nesta ano da graça de 2010, não escrevemos especificamente sobre o nosso grande dia 08 de março, onde as mulheres de todo mundo riem ou choram, pela lembrança delas mesmas. Geralmente, as que riem são aquelas que tiveram a coragem de lutar por uma melhor condição neste mundo ainda machista. As que choram não tiveram ainda a chance de lutar. Não há uma distribuição geográfica disto. Mesmo com todos os avanços em nossa terrinha de papacaça ainda há mulheres que choram no seu dia. Os pais e namorados machões ainda existem por lá, embora graças a Deus, estão em via de extinção pela idade ou pela aculturação.

A ideia de escrever um pouco tardiamente sobre o tema foram as fotos de comemoração do 08 de março, publicadas no SBC, que está se tornando um “fotolog”. Não é um blog nem é um portal, por falta de letras, ficou como um bom “fotolog”, e isto é muito bom. Não se diz muita besteira como no Blog da CIT, e mostram-se as belezas através das lentes dos nossos habilidosos fotógrafos. E se, como diz o Carlos Sena, que o dia da mulher é todo dia, eu nunca vou estar atrasada em falar de nós.

Eu já adoro ver as fotos. Imaginem quando eu for aí em Bom Conselho e conhecer a todos e todas. Gosto de ver até quem não conheço, pois certas horas não importa quem está vestindo o que, o importante é o vestido em si. Os homens jamais entenderão isto. Com raríssimas exceções, como o Saulo que sempre aparece impecável, com sua camisa a meia manga e seu indefectível óculos escuros, no rosto ou a tira-colo. O Luiz Clério, o caçador de fantasmas da CIT, também veste bem, mas parece ser mais uma obra de alguém feminina da família do que uma obra sua. Quanto a Zé Oião, que também tenho certeza lembra de mim, está ao seu natural. Se eu não soubesse diria que ele é dentista. Não gostei também daquela blusa listrada da Paula, mulher dele, mas não esquente, amiga, noutras ocasiões você sempre esteve muito bem.

Havia um gay elegantérrimo com uma camisa dizendo: “Cobra D’água. Made in Brazil”. Não o conheço mas desde já o convido para a Papacagay, que agora, por sugestão do Alexandre, será no Carnaval. Preparem as fantasias porque estarei lá com vocês. Se ele não se considerar gay, e tiver preconceitos contra isto, é uma pena. Mas quem sabe como penso, quando uso as palavras mulher, negro, amarelo, judeu, gay, lésbica, sabe que para mim são apenas adjetivos com zero preconceito, apesar de saber que eles ainda existem. Se ele é assumido, meus parabéns, você é uma pessoa corajosa. Para mim xingamento é a palavra “enrustido” ou “preconceituoso”. Ah! Sim! Parece que estão pensando em mudar o Encontro dos Papacaceiros para o Carnaval também. Será muito mais animado e muito mais gente poderá comparecer.

Eu não posso mais falar dos modelos de nossa prefeita Judith Alapenha. Sinto-me humilhada e posso até dar impressão de que estou humilhando as outras. São simplesmente impecáveis. Infelizmente, isto se aplica, ao inverso, à nossa vice-prefeita, Dida, mas, quem sabe este seja o seu estilo. A Carla Bruni também tem o seu. Meu Deus, será que vão dizer que estou dizendo isto porque ela é do PT? Jamais! Eu não faço política com moda, para mim isto é uma coisa sagrada.

Havia outras pessoas elegantes, inclusive todos aqueles do Centro de Convivência de Idosos, com suas fardas de muito bom gosto. A ex-secretária de saúde, Isabel, que, apesar de parecer que ia ou vinha do laboratório, usava uma “batinha” branca “chiquérrima” combinando totalmente com a calça preta. Amei! Já a Niedja, deve ter vindo tirar fotos e se esqueceu, ficando de frente das câmeras, já a vi em melhores condições de vestimenta.

Finalmente, mas não menos importante, vi e revi a Socorro Godoy, agora com a responsabilidade de zelar pelo bem estar de nossas mulheres. Foi uma grande iniciativa da prefeitura a de ter colocado isto em suas mãos. Sei que você vai encontrar pessoas que pensam ainda que a mulher nasceu para ser rainha, mas, do lar. Foi feita para ser uma eterna companheira do homem, mas como foi feita de sua costela, então não pensa. Sempre é dela a última palavra desde que o marido concorde. Que, quando assume um cargo como o seu, aparece sempre um marido para atrapalhar, e quando não o faz, o povo pensa que faz, etc. etc. Eu poderia gastar aqui teclas e mais teclas com os preconceitos que se acumularam contra a mulher, principalmente em nossa terrinha. Por isso, o preço da liberdade é a eterna vigilância. Não sei quem disse isto mas estava certo.

Quando aparece um deputado, parece que é o Isaltino Nascimento, (nunca vi um homem mais feio e mas mal vestido), é preciso ficar atenta, qualquer movimento para pedir votos, bota prá fora. É por isso que meu lema seria agora: Mulher vota em Mulher! Infelizmente, a Dilma também é mulher. Então vai ser: Mulher vota em Marina.

Para não fugir do tema, uso também dos “modelitos” da Socorro. Ficam elegantérrimos para gente um pouquinho acima do peso, como nós.

Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com
-------------
(*) Fotos do SBC.

Nenhum comentário: