quinta-feira, 15 de abril de 2010

Cidadania para Terezinha



Hoje, neste período não tão produtivo, resolvi passar no SBC. Fazia algum tempo que não fazia isto. Na página inicial me deparei com um título: “Cidadã Honorária da Cidade de Terezinha – Terezinha Miranda”. Como havíamos publicado um texto da Ana Luna aqui no Blog, tempos atrás, no qual ela sugeria este título para sua tia e explicava o motivo para isto (http://www.citltda.com/2010/02/terezinha-pe.html), resolvi clicar no link e tive a satisfação de ver uma bonita solenidade para entrega do referido título.

Não sou como a Lucinha Peixoto, que gosta de escrever sobre fotos, mas, neste caso não tem jeito. Bom Conselho em peso estava lá. Eu penso ter sido uma justa homenagem, como seria também o título de Cidadã para Ana Luna em Bom Conselho. Eu já os considero todos de lá. Eu conheci toda a família e desde a avó D. Mariazinha, que eu passava pela frente de sua casa, ela sempre perguntava: Como vai sua mãe? Vai, bem obrigado, respondia eu e partia para jogar futebol com o João de Vitinho, Galego, Zé Bendengó, Zé Praxedes, Zé Carlos, Zezinho de Anália e outros, na Rua da Cadeia.

Terezinha era uma moça bonita, e continua uma mulher bonita. Sem nenhum desmerecimento às irmãs, era a mais bonita de todas. Não me lembro de um dia ter falado com ela como falei com D. Zilda, mãe de Washington, meu companheiro de brincadeiras. Lembro apenas dela saindo num carnaval de Bom Conselho vestida de índia. Parabéns Terezinha pelo merecido título.

Não poderia terminar este texto de parabéns sem comentar a solenidade em si, que não sei onde foi, mas estava muito elegante. Lucinha comentaria melhor estes detalhes. Eu fico apenas nas pessoas. Vi Dária, irmã de Terezinha, será que ela mora ainda na mesma casa? Vi o Josenildo, de cabelos brancos, eu os tenho tanto quanto ele. Se Zelito foi também não o reconheci nas fotos.

De fora da família vi o Mábio Tenório, o Valfrido Curvelo e vi também o Luiz Medeiros, desculpe, Luiz mas o meu amigo dos tempos de Ginásio São Geraldo, era o Vaca Loura. Não sei qual sua função em Terezinha, mas se for um homem público, entenda esta citação do apelido como de um amigo de infância, com muito carinho. Se não for, não precisa nenhuma explicação pois não afetará nossa amizade.

Vi também a Niedja Camboim, que não conheço pessoalmente, mas apenas pelas fotos, e me permita dizer, que desta vez não ficaram tão boas assim, mas obrigado por publicá-las dando-me a oportunidade de rever vários amigos.

Diretor Presidentediretorpresidente@citltda.com
----------
(*)Fotos retiradas do SBC.

Nenhum comentário: