quarta-feira, 12 de maio de 2010

Mais uma da Dilma



Semana passada na clínica onde leio, quase sempre, os jornais, li algo que me levou a escrever outra vez sobre a candidata do Lula a presidente. Daqui a pouco eu digo o que li. Por enquanto, deixem-me falar sobre outra mulher. Espero que as mulheres não entenda isto como uma guerra dos sexos. Longe de mim.

Eu fui assistir ao espetáculo da paixão de Cristo em Nova Jerusalém muito antes dele se tornar um evento “global”, de Rede Globo mesmo. Este ano resolveram contratar uma atriz para fazer o papel da mãe de Jesus, e o fizeram, chamando a Suzana Vieira. Pelo que li sobre sua vida, eu nunca vi uma pessoa parecer menos, em seus atos, com a Virgem Maria do que ela. Isto não importaria, pois um ator não necessariamente deve parecer com seus personagens. Entretanto, parece que ela se esmerou em mostrar que esta diferença era a maior possível. Em cada uma de suas declarações ofendia médicos, pessoas, e cidades inteiras da nossa região. Eu vi protestos e mais protestos contra a dita cuja. Eu até digo que ela deveria ser chamada outra vez para o espetáculo, mas para ser Herodíades, que é muito mais parecida com ela. Talvez não tivesse nem que decorar o texto.

Citei este caso para começar a falar do caso que quero abordar, dizendo que apesar de tudo a Suzana Vieira não é candidata a presidente, mas a Dilma é. Vejam então o que eu li no Diário de Pernambuco (06.05.2010), na coluna do Sebastião Nery. Depois de contar uma estória com o nosso grande cantor Orlando Silva, que obteve o que queria por falar a verdade, o colunista escreve:

Dilma

Se Orlando Silva fosse a Dilma, nem teria conseguido sair do parque. Ela ainda não sabe que o Nordeste faz parte do Brasil. Declarou, e o Globo publicou, que "hoje as pessoas não precisam mais sair do Nordeste para o Brasil" (sic), como no filme "Vidas Secas" de Nelson Pereira dos Santos sobre o clássico de Graciliano Ramos.

E é alienada assim, sem saber que Nordeste é Brasil, que ela imagina chegar à Presidência da Republica. Aliás, ficou difícil escrever sobre a Dilma. Já que não consegue impedir que ela fale besteiras ou mentiras, o PT processa quem ri dela ou aponta as "enganações da Dilminha".

Eduardo Graeff

O brilhante intelectual, professor Eduardo Graeff, está sendo processado pelo PT porque tem na Internet um blog chamado "Gente Que Mente". A Dilma passou logo o recibo. Falou em mentira falou nela.

É uma pena. A gente não pode nem plagiar o Fernando Pessoa:

- "O poeta é um fingidor / e finge tão completamente / que finge até que é dor / a dor que deveras sente". Claro que não vou dizer. Mas, se a Dilma permitisse, eu diria: - A Dilma é uma mente-mente / e mente tão completamente / que mente até que não mente / quando deveras mente.”

Isto já está ficando monótono. De tanto dizer bobagens a candidata do Lula está deixando meu conterrâneo possesso. Eu imagino o que ele deve contar para a Marisa, no recôndito do seu lar.

- Marisa, viu o que a Dilma disse hoje?
- Não. O que foi, bem?
- Ela disse que eu saí do Nordeste para vir para o Brasil. É demais! Eu sei que isto é verdade, mas nem toda verdade pode ser dita. Principalmente, porque somente no Nordeste nossa vitória é tranquila. Se ela ganhar vão dizer o mesmo que dizem de mim, certas vezes que sou presidente do Nordeste. Ficou doida de vez! Amanhã vou dizer ao Zé Dirceu para vigiá-la de perto, como eu faço nos comícios. Naquele de Pernambuco na inauguração do hospital de Eduardo, ela me levou ao hospital como doente, até o fim da campanha vou terminar tendo um enfarte.
- Por que você não apóia outro candidato? Ainda tem tempo.
- Tá doida também, Marisa? Agora é tarde. Eu ainda pensei na Marina, mas ela parece que era mais leal à Floresta Amazônica do que a mim. E no PT, ou partidozinho difícil. O Zé Dirceu era uma promessa. Veja o que ele aprontou!
- Então deixa isto prá lá bem, de qualquer forma você vai para a ONU, ou prá aquele outro que o Nestor Kirchner foi. Cristina me telefonou dizendo, que se não fosse presidente iria viajar à beça.
- Agora você me deu uma ideia, Marisa. Não queres substituir a Dilma? Pelo menos você fala menos.

Eu só sei que o Lula veio outra vez a Pernambuco, agora lançar o navio produzido pelo Estaleiro Atlântico Sul, em Suape. E eu estive lá, na “fila do gargarejo”, aplaudindo e tentando lhe falar. Mas isto eu conto depois. Por enquanto, o que sei é que não posso deixar meu colega de infância ser enganado desta forma pelo seu próprio “ego”, que depois da lista da revista Time, está do tamanho do mundo.

Zezinho de Caetésjad67@citltda.com
----------
(*)Charges da Internet.

Nenhum comentário: