terça-feira, 25 de maio de 2010

A PALHAÇADA



Cada vez mais vejo em Lula um grande comediante, então essa palhaçada do Irã foi o ápice da comédia, a nossa diplomacia que vem capengando nos últimos anos, sobre a batuta de Celso Amorim e Marco Aurélio (toc toc) Garcia, culminou no Irã com a prova cabal da má gerência que o nosso Itamaraty foi transformado no governo Lula.

Não é preciso ser nenhum estudioso no assunto para saber que a teocracia iraniana é quem verdadeiramente manda lá.

O Irã é um país dividido em dois governos o de direito que é o presidente (de nome difícil), as forças armadas, judiciário e parlamento, o governo de fato é composto pelo o conselho dos guardiões e a guarda revolucionária estes sim são quem de fato mandam no Irã.

Nosso ingênuo presidente fez um acordo com o governo de direito, e numa cena cinematográfica com direito a fotos e abraços, fizeram um acordo para que o urânio que hoje é enriquecido no próprio Irã a 20%, fosse enriquecido na Turquia, na quantidade de 1200 kg, seria levado o urânio a 3,5% e trazido a 20%, isto durante um ano, pois bem, mal o governo de direito e os abestalhados presidentes do Brasil e da Turquia terminam as comemorações o governo de fato dos aiatolás através do seu porta-voz comunica que o Irã iria continuar beneficiando o urânio a 20%, ou seja, defecaram na cabeça dos presidentes do Irã, Brasil e Turquia.

Imediatamente a comunidade internacional entrou em ação anunciando varias sanções contra o Irã no conselho de segurança da ONU. Estas sanções visam abalar o alicerce do governo de fato, pois elas são em cima da guarda revolucionária e dos investidores iranianos que podem financiar o terrorismo.

Essa mesma diplomacia atrapalhada é a que condenou as eleições livres de Honduras e apóia incondicionalmente a mais duradoura e sangrenta ditadura das Américas, ou seja, a ditadura de Cuba.

Alexandre Tenório Vieira - tenoriovieira@uol.com.br
--------------
(*) Charges da Internet.

Nenhum comentário: