terça-feira, 22 de junho de 2010

BOM CONSELHO É FORTE

Alegria e tristeza é o mote da vida. Com o coletivo isto parece ser igualmente verdadeiro, haja vista a tragédia que ocorreu com nossa Bom Conselho. Mamãe costumava dizer em ocasiões semelhantes que, "por cima de queda, coice". Matutando nisto, retorno ao contexto da nossa situação de calamidade e fico, com meus "botões", assuntando: e agora, José? E agora, Judith? E agora, oposição? E agora, homem simples? E agora, vereadores, deputados, governador?

Partindo pela teoria do quanto pior melhor, não creio que os que assim pensavam, continuem. Incursionando pela lógica administrativa, a nossa prefeita tem tudo para reverter o quadro no geral, e resgatar a vida das pessoas atingidas pelas águas, no particular.

A ninguém é dado desconhecer a capacidade humana e altruísta da nossa Judith. Se fosse diferente, talvez ela não tivesse sido eleita pela maioria da população. Neste momento, isto serve muito como aval para a gente se dar as mãos e, com ela, a nossa prefeita, fazermos uma recuperação geral da administração, principalmente na reconstrução da cidade. Claro que a cidade não se recupera só construindo o que foi destruído, pois a cidade, segundo Carlos Pena Filho, é um sonho coletivo que vira realidade (grifo meu) e nos toma inteiro nos aspectos material e espiritual.

Neste momento de reconstrução, é imperioso reconstruir as relações; recuperar a auto-estima dos que perderam bens materiais, mas que também precisam do conforto que só o acolhimento humano proporciona.

Soube que o Governador sobrevoou as cidades atingidas. Particularmente, acho uma bobagem, pois muitos foram os que já fizeram a mesma coisa, ganharam manchetes de jornais e nada fizeram. Claro que exceções existem e o nosso Governador nos parece ser uma delas. Contudo, "gaiola bonita não dá de comer a canário". Precisamos agora de decisão política traduzida em obras e sem burocracias para liberação. Se eu fosse a prefeita (sonhar não custa nada) colocava tudo que nossa terra está precisando de obras no bojo das demais melhorias que serão feitas com a ajuda do Governo. Até porque é obrigação dele, enquanto governo. E enquanto tal, não se leia apenas o governador, mas os deputados estaduais e federais que costumam aterrissar em nossa cidade nos tempos de angariar votos. No mesmo patamar de compreensão, colocamos os vereadores municipais e outras lideranças da sociedade organizada...

Certamente que uma "tromba d água” como a que aconteceu, num piscar de olhos acaba com tudo que foi construído ha décadas e até séculos. Mas não será noutro piscar que se reconstruirá, posto que há implicações financeiras, políticas e politiqueiras, etc.

Acreditando sempre no positivo da vida, não podemos ignorar que o "que dá pra rir dá pra chorar" e vice-versa, não necessariamente nesta mesma ordem. Por isto devemos ser otimistas sem, contudo, deixarmos a razão de lado em função das cores partidárias e convicções ideológicas. Nesse atual momento de Bom Conselho só existe uma cor que é a ação que dá CORAÇÃO. Não sei se é o caso de fazer comparação, mas guardadas as devidas proporções, lembremos do presidente Roosevelt, dos EUA, quando disse: "não perguntes o que os EUA podem fazer por você, mas o que vocês podem fazer por eles"...

Fico por aqui de "olho no padre e outro na missa"... Lendo a Gazeta, o Blog da cidade, ouvindo a rádio Papacaça e sentindo, como temos feito, o povo nas ruas em suas mais variadas facetas. Nossa cidade está ligada ao mundo pelos seus filhos espalhados pelo planeta, não bastassem nossos veículos de comunicação que, tal qual o estado, "FALA PARA O MUNDO"...

Pela esperança de que "por cima de queda, não venha coice", torço para que tiremos proveito desta adversidade provocada pelas precipitações pluviométricas. Certamente elas nos trouxeram lições e quem estiver atento as aprenda; para os céticos, a certeza de que tudo tem seu tempo, pois no final tudo dá certo, desde que não haja má vontade nem desconfiança em Deus.

Carlos Sena - csena51@hotmail.com

Nenhum comentário: