sábado, 5 de junho de 2010

Dia Mundial de MARINA


Hoje, dia 05 de junho, é o Dia Mundial da Ecologia e do Meio Ambiente. Nada há de mais importante, nesta época de calamidades naturais e provocadas pelo homem, do que o tema que gerou este dia. O ser humano sempre recorre aos símbolos para externar suas preocupações com o seu entorno. A criação de dias em homenagens a alguém ou a alguma coisa é um deles. Neste período de eleições, no qual, pela existência de uma candidata que encarna a luta pelo meio ambiente e sua preservação, este dia merece grandes comemorações.

Sua criação por uma conferência das Nações Unidas, em 1972, portanto, já há quase 40 anos, mostra a preocupação do homem com a destruição que ele tem causado no meio ambiente e os riscos para sua sobrevivência, onde pontificam como exemplos a diminuição da diversidade biológica, a poluição do ar, do solo e da água, desmatamento, diminuição da água potável para consumo humano, destruição da camada de ozônio, destruição das espécies vegetais e das florestas, extinção de animais, dentre outros.

A Ecologia, hoje uma ciência, ou mesmo um conjunto de ramos científicos, se dedica ao estudo das interações dos seres vivos com o seu ambiente, e portanto teve elevada sua participação na área acadêmica, e também na área de políticas públicas voltadas para preservação da vida em nosso planeta.

Eu não sou uma “expert” no assunto. Aqui na CIT, quem o manejava muito bem era o Cleómenes Oliveira, hoje, feliz ou infelizmente, perdido dentro da Floresta Amazônica. Entretanto, por me dedicar à política e às prendas domésticas, terminei lendo e aprendendo sobre este tema. Hoje circula na internet um texto que se chama, os Dez Mandamentos Ambientais, que são normas, talvez mais simples do que nossos Dez Mandamentos bíblicos, pois até hoje não conseguimos cumprir o 6º deles (Não Matarás!), como deveríamos. Eles serão por mim comentados, dentro do que nosso Oliveira chamava de Ecologia Política. Conversamos sobre este assunto várias vezes e espero não está distorcendo este ramo desta ciência criado pelo nosso colega, e para quem rezo todos os dias. São os seguintes, os falados mandamentos para o meio ambiente:

1. Estabeleça princípios ambientalistas: estabeleça compromissos, padrões ambientais que incluam metas possíveis de serem alcançadas;

Isto quer dizer, mais ou menos o seguinte: Ao votar em outubro, estabeleça seus compromissos com o meio ambiente. Verifique quais candidatos entendem realmente desta questão, e que tem uma vasta experiência ao lidar com ela. Não aperte a tecla sim sem fazer isto e ter uma perfeita consciência da importância do meio ambiente.

2. Faça uma investigação de recursos e processos: confira se há desperdício de matéria-prima e até mesmo esforço humano;

Ao escolher entre os candidatos observe bem os processos em que eles estão enquadrados e os devidos recursos interpostos. Veja por exemplo, o que eles fizeram no passado pelo meio ambiente, se eles desperdiçaram matérias primas como foi feito no PAC, e no rodo-anel de São Paulo.

3. Estabeleça uma política ecológica de compras: priorize a compra de produtos ambientalmente corretos. Procure por produtos que sejam mais duráveis, de melhor qualidade, recicláveis ou que possam ser reutilizáveis;

Não se deixe enganar pelas aparências e pela lábia dos vendedores. Nesta eleição tem gente querendo “vender gato por lebre”, tentando empurrar candidatos com promessas de continuísmo, como se eles já tivessem sido testados. Fique esperto e não se deixe levar pelas aparências. Pense nos candidatos pelo que eles podem fazer com o meio ambiente, quanto sua qualidade e durabilidade e que não precise de acordos que danifiquem sua capacidade de reutilização. Não confie em todos os vendedores, faça você mesmo sua análise. Definitivamente, recuse candidatos que joguem no sistema 8-4-8, isto pode incendiar o Brasil.

4. Incentive seus colegas: fale com todos a sua volta sobre a importância de agirem de forma ambientalmente correta;

Depois de sua decisão, não fique com ela só para você, fale com seus colegas e mostre quem realmente é a melhor candidata, que será aquela que agir de forma ambientalmente correta.

5. Não desperdice: ajude a implementar e participe da coleta seletiva de lixo;

Evite de todas as formas o desperdício. Proponha em seu bairro e prédio uma lixeira com compartimentos para coleta seletiva, e não esqueça do reservar um para candidatos que nem ligam para a preservação da vida em nosso planeta. Lixo com eles!

6. Evite poluir seu meio ambiente: faça uma avaliação criteriosa e identifique as possibilidades de diminuir o uso de produtos tóxicos;

Este é um dos mais importantes Mandamentos. Veja quais candidatos são realmente tóxicos. Veja se eles já se envolveram com obras faraônicas, criticaram o IBAMA, são favoráveis à usina hidrelétrica de Belo Monte sem nenhum estudo ambiental e outras atitudes de natureza nociva para com a nossa natureza.

7. Evite riscos: verifique cuidadosamente todas as possibilidades de riscos de acidentes ambientais e tome a iniciativa ou participe do esforço para minimizar seus efeitos. Não espere acontecer um problema! Antecipe-se!!

Antecipação, eis a palavra mágica. Não espere que o problema aconteça pensando que, porque algum candidato é ignorante na questão ambiental, isto não seria um impedimento. É claro que é. Veja quem já lidou com esta questão diretamente, como por exemplo, tendo sido ministra do meio ambiente, e reverenciada por todo mundo como uma amiga do planeta.

8. Anote seus resultados: registre cuidadosamente suas metas ambientais e os resultados alcançados. Isso ajuda não só que você se mantenha estimulado como permite avaliar as vantagens das medidas ambientais adotadas;

Até outubro anote o resultado dos estudos e quais candidatos você avaliou e como eles se saíram, e conte aos seus colegas, isto o manterá com estímulo para uma possível campanha para reeleição.

9. Comunique-se: no caso de problemas que possam prejudicar seus vizinho e outras pessoas, tome a incitava de informar a tempo hábil para possam minimizar prejuízos;

Isto é muito importante. Neste caso faça como o Collor e diga: “Não me deixem só”. Amplie seu raio de comunicação, mostre a todos seus estudos, anotações e os prejuízos causados pelos outros candidatos ao meio ambiente, mesmo que eles tenham sido “genéricos”, ou uma obra qualquer do PAC.

10. Arranje tempo para o trabalho voluntário: considere a possibilidade de dedicar uma parte do seu tempo, habilidade e talento para o trabalho voluntário ambiental a fim de fazer a diferença dando uma contribuição concreta a efetiva para melhoria da vida do planeta.

Não seja mercenário, não venda seu voto. Dedique seu tempo, habilidade e talento para dizer ao mundo que a contribuição de qualquer um é extremamente importante para a melhoria da vida no planeta.

Eu, mesma sem talento quase nenhum, e mesmo tendo produzido a maior "barriga" da história dos Blogs deste país já perdoada por meu confessor, sigo fielmente este decálogo e já cheguei à minha conclusão que estou compartilhando com o mundo, embora sem uma Nota Oficial, pois "gato escaldado tem medo de água fria":

3 DE OUTUBRO DE 2010 É DIA DE MARINA.

Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: