segunda-feira, 5 de julho de 2010

As "Vuvuzelas" da CIT



Nesta época, de Copa do Mundo, ninguém está livre dos efeitos colaterais do futebol, mesmo que evite os efeitos diretos. Eu gosto deste esporte. Todos que o jogaram um dia também gostam. Talvez, para discutir com nós mesmos, porque não chegamos à seleção brasileira.

O futebolista maior aqui na CIT é o Jameson, mas o Zezinho diz ter batido suas peladas com bola de meia lá pelas caatingas de Caetés com seu conterrâneo, hoje famoso, o Lula. A parte feminina, quando não arma nenhum barraco na hora do jogo, como aconteceu aqui em casa semana passada e continuou pelo Blog com a Lucinha se queixando do Jameson por publicações açodadas, mostrando suas jocosidades, durante a partida. O resultado foi ruim para mim. Agora estou assistindo aos jogos, ou sozinho, ou com um vizinho chato que aparece com uma "vuvuzela", na qual sopra de vez em quando.

Todos que receberam sabem que nossa empresa, para não perder este evento, e seus efeitos propagandísticos, resolveu enviar brindes para algumas autoridades, e para algumas pessoas importantes, com o intuito, além de divulgar nosso trabalho, também contribuir com esta festa brasileira, e que também quase era portuguesa, com certeza.

Nada mais indicado do que fazer brindes com os símbolos máximos desta copa na África do Sul. Então personalizamos algumas “vuvuzelas” e algumas “jabulanis”, com o nome do nosso Blog e as enviamos. A foto a seguir mostra uma delas, do tipo que foi mandado para o Barack Obama, Silvio Berlusconi, Cristina Kirchener, Nicolas Sarkozi e outros estrangeiros.


Para autoridades brasileiras, mandamos outro modelo, sem incluir a bandeira, e também uma “jabulani”, pois sabemos que nossas autoridades gostam de pisar na “jabulani” soprando na “vuvuzela”, não necessariamente nesta mesma ordem.

O que me levou a escrever este texto foi um fato, que se me contassem eu não acreditaria, como não acreditei inicialmente. O Zezinho de Caetés nos pediu exemplares do brinde dizendo que ia enviá-los ao Zé da Luz e ao Presidente Lula. Inicialmente nem liguei. Depois ele veio com a estória não convincente de que recebeu uma mensagem do Lula, agradecendo e dizendo que iria usá-los durante os jogos do Brasil. Aí, dei uma de São Tomé e quis ver a mensagem para crer. Ele mostrou, estava lá, em seu computador, e todos lemos notando a lividez da Lucinha, a cara de espanto do Jameson e o semblante de satisfação do Zezinho. Estava lá:

“Caro Zé,

Agradeço muito, companheiro, você ter lembrado deste seu amigo de infância. Você sabe que sou corintiano, mas nestes tempos torço pelo Brasil. A Marisa é palmeirense, mas se disser isto em público, em largo ela. Ultimamente, não tenho tido tempo de lê-lo no Blog da CIT. Quem é esta chata de Lucinha Peixoto? Apedeuta é a vovozinha dela. Garanto que já estudei mais do que ela. Mas, deixa prá lá, tem você e o José Fernandes para me defender. Obrigado mesmo pela vuvuzela, que não sei como os africanos aguentam, vai terminar todo mundo surdo. Marisa gostou da jabulani e vai mandar uma para o Lulinha. Um abraço do

Lula”

Ficamos imóveis durante um tempo enquanto o Zezinho alegre dizia:

- Tão pensando o que? Gente mentirosa em Caetés nasce morta!

Eu gostaria que fosse assim em todo o Agreste Meridional. E para terminar, ele tira da pasta uma parte de um jornal onde está estampada a seguinte foto:



Lágrimas chegaram aos meus olhos por ver ali naquele instante como o Blog da CIT chegou tão alto. Espero que depois de verem esta foto, as outras autoridades que receberam nosso brindes, se mostrem, soprando a “vuvuzela” da CIT, sem pisar na “jabulani”.

Diretor Presidentediretorpresidente@citltda.com

P.S.: Este artigo foi escrito antes da Holanda defenestrar nosso Brasil na Copa. Fiquei com medo e me perguntando: Quem é pé frio, o conterrâneo do Zezinho de Caetés ou as "vuvuzelas da CIT"? Recebi um telefonema de Lucinha Peixoto, se desculpando por termos quebrado a corrente e lembro dela ter dito:

- Eu hoje gostaria de ser uruguaia! Ainda bem que em 2014, a Marina já será a presidente, e se não for, pelo amor de Cristo, não vão visitar o presidente antes da Copa.

Por vias das dúvidas, em 2014 nosso brinde será um tamborim, mesmo que tenhamos tido a felicidade de ver a Argentina cair de 4. Eu gostaria de ser paraguaio. Êta, timezinho "raçudo", ao contrário do nosso. Veja o filme abaixo mostrando a viagem da seleção de Dunga para casa:


DP

Nenhum comentário: