quarta-feira, 22 de setembro de 2010

O Helicóptero do Isaltino e o Sopão da Prefeita



Ao fazer minha caminhada matinal através dos Blogs, que hoje já formam a grande rede da “Imprensa Nanica Virtual”, neste país dominado pelo medo da “grande imprensa”, quando ela nos é contrária, me deparei com duas postagem do Blog de Bom Conselho de Papa-caça, sobre transporte aéreo, em nossa cidade.

Este ramo importante do setor transporte é hoje uma realidade cada vez mais presente em todo nosso interior. Só é considerada cidade grande, aquelas onde aviões grandes podem pousar. Mas, isto não é de hoje. Desde a época do teco-teco foi dada grande importância ao “campo de aviação”, que era o primata na linha evolutiva para os modernos aeroportos.

Eu nunca fui lá, mas, sei que muita gente aprendeu a dirigir automóvel no campo de aviação de Bom Conselho. Me disseram que o aeródromo ficava prás bandas da estrada de Águas Belas. Não tenho notícias de quem o fez, e com que finalidade, pois não tenho notícia de nenhum avião que o tenha usado. Antes de mudar de assunto, a justificativa que me deram para o uso diferente do original para o espaço, era a segurança que proporcionava aos aprendizes de motorista, por não haver nada nem ninguém em que bater. As vacas, galinhas, porcos que sofressem algum acidente eram imediatamente socorridos, pela vítima, e cumpriam seu destino que era a panela ou um churrasco apetitoso. Diziam até que a carne de um atropelado, ficava mais saborosa. Que humor negro, cruzes!

A maior movimentação que eu vi em Bom Conselho, no que diz respeito ao uso de aeronaves, e pela deficiência de minha rede neuronal não recordo a data nem alguns detalhes da operação, foi um dia que me acordaram dizendo: “Lucinha, levanta que estão dizendo que vai pousar um avião no campo de futebol”. Como todos conterrâneos sabem, o nosso campo de futebol, onde hoje é um centro social urbano, ficava na frente de um bordel. Não era lugar para moçoilas casadoiras, mesmo sem muitas esperanças na época, como eu. Mas, diante de tal acontecimento e do número de pessoas que passavam em frente da minha casa rumo à ladeira do cemitério, não me contive e me conluiei com algumas amigas subindo a ladeira rumo ao tão insólito acontecimento.

Enquanto resfolegava para subir a ladeira, eu pensava. Como um avião vai pousar no campo de futebol? Me disseram que precisa de um espaço grande para ele pousar, e indaguei sobre isto a alguém que nos acompanhava.

- Dizem que este é diferente, pousa em qualquer lugar, até na praça se quiser. É um “holoscopo”.

Fiquei um pouco sem entender a explicação, mas continuei rumo ao desconhecido. Cheguei antes do objeto voador identificado como “holoscopo”, e lá já havia muita gente esperando, quando começou um barulho de motor diferente, que aumentava cada vez mais, e aí eu vi, algo como um besouro gigante, daqueles que meu irmão chamava de “lava cu”, pois sua diversão principal era pousar com a parte inferior na água de vez em quando. Tal qual um “lava cu”, o objeto se aproximou do centro do campo descendo verticalmente. Dentro em pouco estava lá e começaram a descer os “ETs”. Aí eu corri junto com alguns que também acreditavam que eles vinham nos pegar.

Devido a minha prolixidade, agora é que vou entrar no assunto sobre o qual decidi escrever. Antes cito as duas postagens, na ordem, cronológica, isto é, de cima prá baixo e não na ordem bloguística, de baixo par cima:

“O deputado Izaías Régis vive reclamando de candidatos que incadem (sic) suas bases e, no fim de semana, ao ver Isaltino Nascimento (PT) chegando de helicóptero a Bom Conselho onde é bem votado, aproveitou um comício para fustigar o petista: "Tem candidatos chegando aqui como verdadeiros ETs, em naves espaciais. Eu não, nasci aqui e vivo sempre prestando serviços a meu povo".

O deputado Isaltino Nascimento (PT) diz, a respeito de nota publicada na coluna Diário Político do Diário de Pernambuco, que tem muito orgulho de ser aliado de primeira hora da prefeita de Bom Conselho Judith Alapenha e de sua vice Dida Tenório, bem como de mais quatro vereadores da cidade, além de ter apoio da população local. E acrescenta: "
nunca cheguei lá de helicóptero, mas se o colega Izaías Regis quiser emprestar um, não recusarei".”

Hoje eu sei que aquele objeto voador da minha adolescência era um helicóptero, chamado nas notas acima de nave espacial. Eu não conheço o que o Izaías Régis ou o Isaltino Nascimento fizeram por Bom Conselho, apenas sei do entusiasmo da nossa prefeita, Judith Alapenha, no apoio ao último e que ambos não são de nossa terra. No processo eleitoral brasileiro isto é normal, pois o voto distrital ainda é um sonho, e sempre aparecerão os forasteiros para pedirem votos, da mesma forma que alguns conterrâneos pedem votos na terra dos outros. Mas, antes que venha um boa reforma eleitoral, a maneira como os forasteiros chegam é de importância fundamental. Basta ver pelas notas acima. E por isso fiquei encafifada, talvez, pela décima vez recentemente, para saber se o deputado Isaltino, chegou de helicóptero ou não, onde, como desceu, com que roupa, se vinha de capacete ou não, qual a marca da nave, etc.

Diante de minha curiosidade impertinente, telefonei para minhas fontes na cidade, e indaguei a respeito. Todos me asseguram que realmente o Isaltino chegou lá de helicóptero, mas não souberam me dar detalhes, como os que coloco acima. Resolvi acreditar em minhas ilibadas fontes, e, por isso, fiquei extremamente chateada, quando li hoje no Blog da Prefeita, que ela havia viajado mais de 700 Km de carro, para ir a uma passeata em Garanhuns, dar apoio à candidatura do Governador Eduardo Campos. Pelo que me falaram dele, eu pensava que o Isaltino era mais cavalheiro, e jamais deixaria, a prefeita, que teve problemas de saúde recentemente, fazer tal viagem de carro. Por que ele não mandou o helicóptero buscar a prefeita e sua secretária? Que coisa deputado, isto não se faz!

Confesso que, se fosse a prefeita, não o apoiaria mais. Como pode deixar nossa autoridade máxima, correr o risco de ser assaltada naquelas estradas do sertão, onde ainda não chegou o “Pacto pela Vida”, do Eduardo? Descortesia tem limite.

Ainda por cima, não sei nem qual é o carro da prefeita. Se for um Honda Civic, tudo bem, a viagem deve ter sido confortável, pois a Paula deve ter vindo dirigindo, ou mesmo, pelo que diz a prefeita que a viagem a animou, elas vieram revezando ou o carro seria dirigido por algum parente mais chegado à direção. Mas, se o carro da prefeita for um Fiat Uno, dos antigos? Eu imagino então o seu sacrifício nos 3 Km de marcha, junto do governador e da Ana Arraes, com as dores na coluna. Não a vi falar no Wolnei Queiroz, ele dançou? Também não a vi falar no Isaltino, será que a prefeita sentiu o peso de sua descortesia de não mandar seu helicóptero para a ela fazer o trajeto, e ele também dançou? Tomara!

Sei lá, de longe, não dá para saber por enquanto. Dá apenas para não imaginar que o carro utilizado pertencesse à Prefeitura. Pois se for, ele também me pertence, e eu não daria a autorização para ele ser usado, para pedir votos para a Dilma. E para ser franca, nem para a Marina. Pois um bem público não deve ser usada em campanhas eleitorais como tem feito nosso apedeuta-mor, que aproveita carona do avião presidencial para fazer comícios pró-Dilma em todo país. Tenho certeza, isto jamais nossa prefeita faria. Como também tenho certeza de que ela não vai dizer que é ela quem dá o “Sopão Mãos Amigas”, pois minhas mãos também estão lá, como estão também no Bolsa Família, embora só apareçam a do Lula.

Como agora, no Blog da CIT, todos colocam um filme como brinde para que o leitor leia até o fim do texto, aqui abaixo mostramos um. Já avisamos que o helicóptero mostrado, já foi vendido na última crise, que para nós não foi uma "marolinha". Senão, iríamos usá-lo em nossa campanha, e para isto já teríamos pintado nele: "Lucinha 2012". Não emporcalharíamos á cidade, como já fizeram.




Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: