quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Vitória no primeiro turno subiu no telhado



A “grande imprensa”, minha favorita, apesar de fazer parte da “imprensa nanica virtual”, já alardeava, faz tempo, que uma vitória no primeiro turno do poste, já era. Depois do resultado da pesquisa do Datafolha (outros institutos de pesquisa sempre foram suspeitos), divulgada ontem, mostrando que o poste já não chama muita atenção, depois que seu carregador, o apedeuta-mor meteu os pés pelas mãos, tirando alguns cartazes que iludiam certas pessoas, mostrando os buracos e a sujeira nele.

Na pesquisa de hoje, tudo depende da “Margem de Erro da Silva”. Na de ontem, entre aqueles que ganham entre dois e cinco salários mínimos, o poste perdeu 8% dos eleitores, entre aqueles que ganham entre cinco e dez salários, perdeu 5%, e daqueles mais bem aquinhoados pela sorte ou pela eficiência, 10% já correram. Não houve diferença nestes percentuais, a não ser, pela “margem de erro”. Quer dizer, quem ganha um pouquinho a mais do que o Bolsa Família, começou a bater em retirada. Também, pudera, embuste tem limite. Foram tantos os escândalos nos arredores do poste que o Lula, mais conhecido agora como Zé do Poste, pois se parece muito com aquele personagem do Dias Gomes, que carregou a cruz, até a porta da igreja para pagar uma promessa, e chegando lá o padre não deixou entrar, cansou de carregá-lo

A Dilma é hoje, literalmente, uma candidata pesada. Eu, já comecei com minha seções numa Academia aqui perto de casa, para não chegar em 2012, com o meu corpinho tão avantajado, que hoje, parece um pouco com o dela. Sei que campanha engorda um pouco e prefiro me cuidar. É um estresse danado, principalmente, prá ela que está sendo obrigada a dizer aquilo que não pensa, o tempo todo. Eu não sei como ela consegue dormir à noite. Tem que andar de igreja em igreja, para garantir que crer em Deus. Conta outra, Dilma. Com sua formação política, como ela mesma admite com seu passado de ex-guerrilheira, Deus só entrou em sua vida agora, porque ateu não tem voto no Brasil. Lembro bem que o Cleómenes dizia que ateu, no Brasil, não se elege nem para presidente de grêmio estudantil. Hoje, coitada, vive precisando até do Edir Macedo, para acalmar seus fiéis em relação a possíveis declarações suas. Na “grande imprensa” li ontem:

“O bispo Edir Macedo, dono da Record e da Igreja Universal do Reino de Deus, somou esforços com a campanha de Dilma Rousseff à Presidência e desmentiu boatos que circulam entre fiéis sobre a candidata ser a favor do aborto e ter dito que "nem Jesus Cristo me tira essa vitória".

Em nota publicada em seu blog, o bispo afirma que a petista é vítima de "mentiras espalhadas na internet".

Ainda na mensagem dirigida a seus seguidores, Macedo afirma: "Quem pensa que está prestando algum serviço ao Reino de Deus, espalhando uma informação sem ter certeza de sua veracidade, na verdade, está fazendo o jogo do diabo".”


Mas eu concordo mais com a opinião do meu amigo José Fernandes, quando diz, em artigo hoje neste Blog da “imprensa nanica virtual”, embora não concordando com tudo que ele disse, sobre outros assuntos:

“Também, os evangélicos da “Universal do Reino de Deus” (??), igreja de Edir Macedo, que, igualmente, toma na marra, o dinheiro dos pobres ignorantes, para comprar a entrada no “céu”.

E mais adiante, ele é ainda mais claro sobre este novo aliado da Dilma:

“Quanto aos evangélicos, não custa relembrar que o “bispo” Edir Macedo enriqueceu tomando dinheiro dos “fiéis” da sua igreja. Com essas espertezas descaradas de Edir Macedo, ele construiu “templos” mundo afora. E montou um império no ramo das comunicações. Tudo, com o dinheiro do povo pobre e analfabeto, que dá o diminuto dinheiro do seu salário, para “comprar a entrada no céu”, repita-se. Esse dinheiro dado para os “evangélicos”, poderia servir para comprar o pão e o leite dos filhos desses trabalhadores. E muitos deles estão passando por todas as privações. Inclusive privação de comida, remédios etc. Estão passando fome de muitas coisas essenciais à vida.”

Coitada da Dilma ainda diz que é católica e anda conluiada com um diabo destes. Duvido que a Marina quisesse um apoio deste indivíduo. Vade retro! Satanás!

E quanto à igreja católica, a que ela diz pertencer desde criancinha, o problema que surge é a questão do aborto. Já a vi falar sobre este tema, e duvido que ela não seja a favor do aborto. Todo católico que pensa um pouquinho e não é uma ovelha desvairada é a favor do aborto em algumas situações e talvez ela tenha a mesma minha opinião tantas vezes externada neste Blog. Por que então não declara suas posições com clareza e transparência e Lula que se dane? Todos sabem a resposta, ela é cria do Lula que tem como uma questão de honra fazer sua candidata vencer no primeiro turno.

Ela deveria dizer como a Marina diz, sou contra! É uma questão de fé, que não pode ultrapassar, sem ferir princípios maiores, mas, como pessoa de estado julga que o plebiscito é a solução para o problema o qual o povo é levado a enfrentar sozinho, ou pelo menos, ele e Deus. E para corroborar isto, a cito uma sua declaração recente:

“A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, acusou nesta quarta-feira a adversária Dilma Rousseff (PT) de mudar seu discurso sobre a legalização do aborto para ganhar votos.

"Eu não faço discurso de conveniência. A ministra Dilma já disse que era a favor e depois mudou de posição. Não acho que em temas como esse se deva fazer um discurso uma hora de uma forma e outra hora de outra só para agradar o eleitor".”

A Dilma não pode fazer isto. É uma escrava branco do apedeuta-mor. Coitada! O papel de poste é uma dureza. E tem que ficar cada vez mais pesado, enquanto aquela que o interpreta também fica com o estresse de encenar seu personagem, sempre nas costas de alguém. Ela não crer em Deus, porém, se o Lula mandar, ela dirá até que participou da Marcha pela Família com Deus pela Liberdade, na década de 60, levando uma imagem de Santa Margarida. Ela é a favor do aborto, mas se o Lula mandar, ela diz que era amiga desde pequeninha até do D. José Cardoso, o excomungador-mor. Ela não era gentil com ninguém. Agora quer passar a ideia de “Dilminha, Paz e Amor”, porque o Lula mandou. E haja peso.

Um poste destes, com este nível de eletricidade estática, nem o operário-presidente, que agora também está fora de forma, conseguiu carregar. No debate passado, na Rede Record, que pertence a Bispo Edir Macedo, e que assisti com, entre outros, o Zezinho de Caetés, realmente eu tive pena dela. Ela passou esta campanha toda tentando ter alguma fluência verbal, que não precisava ser da mesma qualidade daquela de Marina Silva, indiscutivelmente a vencedora. Quando ela dispara a falar “de carreirinha”, o que vier da mente prá boca ela coloca prá fora. Seria mais ou menos assim, uma situação típica do debate:

- (Jornalista) Candidata Dilma, qual a cor do seu vestido?

- (Dilma) É branca. Isto não quer dizer que não goste de preto, vermelho ou amarelo, e de todas as cores. Em nosso governo o presidente Lula sempre disse que sua mãe usava marron claro, mas isto não quer dizer que ele não goste de branco, vermelho, ou amarelo, pois a Marisa sempre vestiu lilás, enquanto que, se for eleita, eu jamais usarei o verde, mas, isto não quer dizer que estou discriminando a Marina por ela só usar verde. No PAC2, estaremos com a meta de destinar alguns metro de tecidos verdes para cobrir a floresta amazônica e enganar os satélites americanos, mas isto não quer dizer que continue “ianquefóbica”. Mas,...

- (Jornalista) Candidata, seu tempo acabou...

Neste momento explodem os aplausos no Palácio da Alvorada e onde há petistas assistindo ao debate.

- (Lula) Viu Marisa, eu não lhe disse que a Dilma seria minha candidata ideal. Ela sabe até a cor do vestido que está usando. Que raciocínio que inteligência privilegiada.

- (Marisa) Sei não, amor. Daqui eu estou vendo que o vestido da Dilma é bege. Ou será minha vista, ou a TV que está desregulada?

- (Lula) O que é que é isso, Marisa!? Tás querendo ser do contra, é? Sei que a grande imprensa só joga contra, mas nem é a Globo. O vestido dela é branco e pronto.

E o seguinte diálogo deve ter sido ouvido em São Paulo.

- (Marta Suplicy) Se depender de conhecimento de cores, a candidata deveria ter sido eu. O vestido dela é tão bege que parece que está sujo. Que é que tu achas, Mercadante?

- (Mercadante) Eu acho o que o Lula achar, se não ele não virá para o comício de encerramento, aí seja de que cor for, o Alckmim me ferra.

Talvez em Garanhuns alguém tenha recebido um telefonema da Suécia:

(Josenilda) Jodeval, por favor, estou vendo o debate aqui pela internet, e não dar prá ver se Dilma está correta, quando diz que o vestido é branco. Prá mim, parece que é bege. Qual é a cor mesmo?

(Jodeval) Tão branco como um vestido de noiva antiga, daquelas que eu vi tantas lá na Igreja Matriz de Bom Conselho.

Diante da tal resposta, tão correta e clara, quem poderia dizer que Dilma não ganhou o debate, entre os petistas, é claro? Toda mulher que viu este debate sabe que o vestido era bege, e por isso não votará na Dilma de jeito nenhum.

O José Serra continua o mesmo, nisto concordo com o Zezinho. Tem um medo de Lula que se pela. E desvia de todas as coisas em que possa discordar dele. Se Lula diz que o vestido é branco, como o grande líder que é, só pode ter razão, afinal de contas, ele pensa que não está disputando eleição com ele, como se a Dilma tivesse alguma iniciativa que não venha dele.

O Plínio é uma pessoa tão inteligente que persegue a igualdade por todos os meios. Se os Estados Unidos tem bomba atômica porque o Irã não pode tê-la? Ou o Brasil? A plateia aplaudiu. Chamou Dilma de incompetente, e a plateia aplaudiu de novo. Confessou que estava perdido em uma resposta, e foi mais aplaudido ainda. Ou seja, tudo que ele dizia, seria aplaudido, a não ser quando ele falava que era do “pissol”, que não sei o que era, mas não era bom, pois não ouvi aplauso nenhum.

Sobrou a Marina. Esta não se engana sobre a cor do vestido e muito menos sobre a solução dos problemas brasileiros. Dizer, como o Zezinho, que ela não detalha as propostas, é coisa de professor de português mesmo. Como ela poderia fazer isto em um minuto e meio? O que importa é que ela tem as ideias dela, que amadureceram durante sua longa luta pela floresta desde que era companheira do Chico Mendes, que morreu lutando por ela, e continuou como ministra que, de tão brilhante teve que deixar o governo medíocre do Lula, e de tão ética, teve que deixar o PT.

E hoje temos mais uma da “grande imprensa”, como sempre, ajudando nossa democracia. Tem o debate da TV Globo. E aqui eu repito a Mirian Leitão: “Hoje, passado, presente e futuro estarão em debate. Que vença a pessoa mais capaz, e não a que decorou melhor as frases e truques dos marqueteiros.” Se isto ocorrer, a gata verde passará longe do telhado, e vencerá as eleições. Guardadas as proporções e distâncias, sairia um operário e entraria uma seringueira. Eu prefiro a flexibilidade da borracha à rigidez do metal não lapidado. O Brasil crescerá 43 três vezes mais.


Vejam o filme abaixo e vamos com a onda verda:



Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com
--------
(*)Imagem gentilmente roubada do Blog Chumbo Grosso.

Nenhum comentário: