domingo, 17 de outubro de 2010

Ainda o Aborto de Mônica Serra




Hoje pela manhã antes de ir à missa fiz um comentário no Blog de Roberto Almeida, sobre o caso, descaso ou mentira do aborto da Mônica Serra. Eu estou batendo tanto nisto que muitos podem pensar que eu sou contra o aborto. Não senhor, já disse mil vezes, sou a favor da descriminalização como disse ontem, com a maior humanidade possível. Sou contra é a mentira. E nesta área ninguém entende mais do que a Dilma. Desde muito tempo. É só ver sua história. Não livro a cara do Zé Serra nesta área também, mas é em menor quantidade. E para não votar nem nulo nem em branco, que só beneficiaria a Dilma, voto no Serra, esperando Marina em 2014. Por falar nela, hoje ela oficializou sua neutralidade com o apoio do PV. Então, graças a Deus, continuo no partido, e escolhi o Serra. Marina não vai dizer mas, só basta ver porque ela deixou o PT e governo Lula para saber o seu voto. Ela está "serrando" para Dilma não serrar tudo que resta de verde neste país. Voltando...

Foi o seguinte o comentário citado:

Nota oficial do Comitê do Zé Serra

“Diante de matéria publicada hoje, a campanha de José Serra esclarece: Monica Serra nunca fez um aborto. Essa acusação falsa, que já circulava antes na internet, repete o padrão Miriam Cordeiro de que o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva foi vítima na eleição de 1989. E dá continuidade ao jogo sujo que tem caracterizado a presente campanha desde que um núcleo do PT, montado para fazer dossiês contra o candidato tucano à Presidência, foi descoberto em Brasília. Primeiro eles atacaram a filha de José Serra. Depois atacaram o seu genro. Agora eles agridem a sua mulher, Monica, que tem a irrestrita solidariedade, amor e respeito de seu marido, de seus filhos, netos e de milhões de brasileiros.”

O Zé Serra respondeu. Agora vão fazer exame médico na Mônica, para ganhar as eleições como Collor ganhou do Lula? Mais uma na conta do PT, que deve voltar para o ABC paulista. E com a ajuda do comentarista de Olinda, ele vai mais rápido ainda. E agora ele ataca o Sérgio Guerra, e o Serra só tem a agradecer. Continue escrevendo assim amigo, que o Serra pode até ganhar no Estado. Como já disse, com textos assim, se fosse lido pelo Einstein (creio que não, porque tem mais de 4 linhas), o Serra já estaria eleito.

Hoje não posso me estender muito, pois tenho uma obrigação com Deus. A igreja de Casa Forte me espera. Mas, mulheres do meu Brasil, não em outro jeito, neste segundo turno, mulher só pode votar em homem, não temos alternativa...

Lucinha Peixoto (Blog da CIT)

Agora, á tarde, enquanto meu neto dorme o sono dos únicos inocentes nesta época eleitoral, embora, ela já tenha votado comigo, no primeiro turno, com uma bandeirinha verde, eu fui ler os Blogs, inclusive o da CIT. Depois eu respondo ao Zezinho de Caetés, sobre o sururu nas igrejas, por ora, me fixo só sobre o que li de proveitoso do tema colocado.

Mesmo com mais tempo, eu não vou fazer outro comentário ao texto do Roberto Almeida (veja aqui), para não ficar usando seu santo blog em vão, todos os momentos. Mas, com já disse uma vez que o Roberto parecia do PT, e ele já respondeu que não era um petista, eu continuo achando que, não sendo, não há ninguém tão parecido com um. A “grande imprensa” é ruim quando ataca a Dilma e é extremamente investigativa e séria quando ataca o Serra. O jornalista Reinaldo Azevedo é taxado, junto com o Diogo Mainardi e as revistas que o acolhem como “uma página vergonhosa do jornalismo brasileiro.” E vai por aí, igual a um petista desesperado pelo o segundo turno, tentando mostrar que a Mônica fazer um aborto pode levar à derrota de Serra. Tenho que dar os parabéns a Roberto pela sua coerência, uma vez parecido com um petista, sempre parecido com um petista.

Quanto às acusações aos jornalistas, a quem os petistas, autênticos e enrustidos, odeiam, e sabem porque o fazem, apenas, pelo menos no caso do Reinaldo Azevedo, publicaram os fatos que eles podiam demonstrar verdadeiros, ao contrário da Mônica Bérgamo, e Folha de São Paulo, que, se eu fosse uma petista, diria: oh imprensazinha de esgoto, como diz o grande jornalista Jodeval Duarte, meu conterrâneo. Mas a defesa do jornalista de esgoto eu deixo para ele mesmo citando-o, ainda sobre o caso, pois, igual ao Roberto, ele é mais jornalista do que eu:

“A coisa fala por si mesma e tem a sua gravidade intrínseca. O único pilar que sustentaria a publicação da matéria da colunista Mônica Bergamo, da Folha, seria o desnudamento da hipocrisia de uma figura pública, que defende uma coisa para os outros e outra para si mesma. Especulo um pouco.

Digamos que esta senhora considerasse isso fundamental e tivesse chegado a um fato: disporia de evidências, prontuário médico ou sei lá o quê, de que o aborto fora feito. Já estaríamos na baixaria, mas vá lá…

Não! O que existe é o testemunho de uma mulher — duas, três, e ainda que fossem 100 — afirmando que Mônica Serra disse ter feito aborto. Antes que a repórter tenha conseguido falar com a “acusada”, a matéria foi publicada. Ainda que o “outro lado” tivesse sido ouvido, publicar-se-ia do mesmo modo.

Aonde esse tipo de “jornalismo” nos leva? Doravante, basta que apareça alguém dizendo que FULANO FEZ ALGUMA COISA, e se tem uma “reportagem”. O “acusado” que negue se quiser. Se não foi encontrado a tempo, informa-se que a assessoria preferiu não se pronunciar. Se alguém decidir dar o testemunho de que Dilma Rousseff pegou, sim, em armas e matou pais de família, publica-se ou não? E olhem que essa não seria uma questão que, sem trocadilho, diria respeito ao útero…

A Al Qaeda eletrônica faz a festa com a “reportagem” de Mônica Collor Bergamo. A operação, no que diz respeito à política, no fim das contas, foi, até agora, bem-sucedida. Se vai ter efeito eleitoral, é o que se vai ver. Quanto ao mais, espera-se que, agora, os blogueiros oficialistas, sustentados com dinheiro público, parem com essa história de que a Folha é tucana. Se bem que eles não vão parar. Sempre exigirão provas novas.

Quanto à nota da assessoria de Serra, noto: de fato, primeiro foi a filha, depois o genro, e chegou a vez da mulher. É preciso escalar uma repórter bem farejadora para saber se um dos netos do presidenciável já não deu uma mordida ou um arranhão em algum coleguinha na escola, embora o avô fale tanto em educação, o que tornaria a reportagem de interesse público, não é, Mônica Bergamo?

Fundo do poço!”

O que eu apenas discordo desta nota do Reinaldo Azevedo é quando ele ainda admite que ela pode não ter efeito eleitoral. É um engano. Vai ter sim e muito. Pois os petistas que não são mentirosos, e ainda existem, vão todos votar no Serra, por causa do aborto de sua mulher, se eles acreditarem que houve. Pois nenhum partido, na história deste país, defendeu mais o aborto do que o PT. E com a Carta ao Povo do Diabo, os religiosos sensatos não acreditarão (exemplo, veja esta declaração do Bispo D. Luiz Gonzaga Bergonzini: "Dilma, que se faz agora de santinha para dizer que é contra o aborto, já mudou de opinião três vezes"), e aqueles que concordavam antes com Dilma (exemplo, ver, no fim deste texto as declarações do deputado Luiz Bassuma), agora ficarão contra ela quando souberem ela os deixou na rua da amargura.

Eu só imagino a pisa que vai ser no dia 31 de outubro. Sei que vai ser maior do que no primeiro e agradeço, mais uma vez ao Roberto, ao Jodeval, ao comentarista de Olinda e outros que começaram a divulgar esta propaganda tão efetiva para o Serra. Mesmo assim, eu estou colocando meu neto de molho e o Serra deveria fazer o mesmo. Eles estão disposto a tudo, principalmente o apedeuta-mor. Nisto o Zezinho está certo.

Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

P.S.: Já havendo terminado encontrei isto na internet, inclusiva a charge que pedi ao Diretor Presidente para colocar no meu artigo:

“FORTALEZA (CE) - O deputado federal Luiz Bassuma (PV-BA), presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida, disse nessa quinta-feira em Fortaleza que a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff deveria responder à comissão de ética e ser punida pelo partido, como ele foi, por se declarar contra o aborto , contrariando resolução do partido de 2007.

- Dilma deveria responder à comissão de ética e ser punida também porque eles me puniram por isso, disse Bassuma acrescentando que agindo assim o PT estaria sendo coerente já que lhe puniu.

O partido tentou expulsá-lo e, não conseguindo, terminou por puni-lo com a suspensão e ele decidiu ir para o PV. Bassuma está em Fortaleza organizando a Caminhada em Defesa da Vida e Contra a Legalização do Aborto, que ocorrerá no próximo dia 24, na capital cearense.

O deputado, que ficou em quarto lugar na disputa pelo governo da Bahia, já declarou apoio ao candidato tucano à Presidência da República, José Serra, apesar do seu partido ter marcado para domingo reunião da executiva em que será discutido o assunto.

Bassuma disse que a tendência é que a senadora Marina Silva, que disputou a Presidência pelo PV, permaneça neutra. Mas ele optou por Serra porque confia "mais nas proposições dele do que nas de Dilma".

- A Dilma tem declarações públicas ao longo da sua vida porque ela sempre pensou favoravelmente à legalização do aborto e eu respeito essa opinião, mas sempre foi a opinião dela.

Ele considerou preocupante pelo fato de a candidata ter modificado "aceleradamete" de opinião após o primeiro turno.

- Prefiro ter segurança e coerência na manutenção das opiniões do que a pessoa mudar de opinião conforme os interesses.”

Não se incomode não, deputado, ela vai ser punida no dia 31 de outubro.


LP

Nenhum comentário: