quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Parabéns, Lula!




Ontem, um amigo me ligou e disse: “Lucinha, tu visse o artigo no Blog do Jodeval, onde ele dá os parabéns ao Lula?” Tendo respondido não, como meu neto estava me dando um descanso, pois havia saído com a mãe, fui correndo ler o texto. Ai eu li o post que tem com título “Parabéns, Lula!

De início eu pensei em algumas pessoas de Bom Conselho que, no dia do aniversário do Coronel José Abílio, enchiam sua casa para fazer os devido salamaleques e rapapés. Eu não sei se o meu conterrâneo Jodeval estava entre aqueles que assim procediam. Mas, é difícil deixar de ver o seu texto como um salamaleque em escala nacional.

Eu começo do fim. Isto é, começo por onde ele terminou o seu rapapé. Ele compara Jesus Cristo com Zé Buchudo, digo, com o Lula. E pasmem amigos cristãos da minha terra. Ele considera o Lula melhor. Motivo? O povo mandou Jesus ser crucificado e deu 83% de popularidade a Lula. Em suas palavras: “E, Lula, meu conterrâneo, que bobagem sairem por aí dizendo - principalmente mentes alugadas a jornais e revistas a serviço dos poderosos de sempre - que você errou nisso e naquilo. Claro, conterrâneo, ou imaginavam que você fosse Jesus?... aliás, pensando bem, até ele errou para a história. Pois, se não, como seria crucificado com a aclamação popular?” Eu continuo, e completo o raciocínio do “meu conterrâneo” (entre aspas, porque graças a Deus ele se refere ao Estado, pois o Lula nasceu em Garanhuns e não em Bom Conselho). Somente os 3% que acham seu governo ruim e péssimo, como eu, poderiam tentar crucificá-lo.

É por estas e outras “luladas” que o apedeuta-mor está deitando e rolando neste país, para o qual ele foi feito presidente pela lei e para cumpri-la, e dela só faz troça. O poder lhe subiu à cabeça. Como eu dizia ontem aqui mesmo neste Blog (veja aqui):

“Pelas barbas do Lula, num país onde o presidente pede como presente de aniversário a eleição de sua candidata, e ainda tem baba ovo que aprova, falsificar assinaturas em manifestos não chega a ser um pecado mortal. O homem maluqueceu de vez. O poder subiu-lhe à cabeça, misturou-se com a 51 e vejam o que aconteceu. “Delirium tremens”, antecipado. Eu tenho medo quando começar mesmo sua abstinência pela ausência de poder, e só restar a 51. Aí ele vai surtar de vez. Vai começar engolindo “bolinhas de papel” do Frei Galvão, e sem cura, vai engolir uma bomba daquelas que atingiu o goleiro Rojas. Oh mulher, me dá uma pena!!!”

Um dia depois ainda concordo com o meu texto, vejam a minha coerência. Penso que o Jodeval exagerou nos parabéns. Ninguém pode negar que o apedeuta-mor fez alguma coisa pelo país. Ele fez sim. Mas não pode ser considerado o “cara” que descobriu o Brasil e que o tomou das elites. Aliás, este é o conceito mais vago que eu já vi. O Lula quando o usa, tudo bem, ele é semi-analfabeto, mas o Jodeval, que deve ter um traquejo maior com as palavras e o que elas envolvem, usá-la, exige pelo menos saber do que ele está falando. Por exemplo, quem desta lista pertence à chamada elite? Lucinha Peixoto, Jodeval Duarte, Coronel Zé Abílio, José Sarney, Fernando Collor, Armando Monteiro, Eduardo Campos, Lulinha (filho do Lula), Fernando Henrique, Zé Bebinho, Jader Barbalho, Olavo Setubal, Vicentinho, Jose Dirceu, Dilma Roussef, Edir Macedo, Pedro Álvares Cabral, Rui Barbosa, Henrique Meirelles, José Serra, Padre Alfredo, Padre Agobar, Lula, Luis Clério, Dr. Raul, Tonho de Dinda, Pelé, Roberto Carlos. E tantos outros dos mais variados matizes, classes, ideologias, profissões, que eu colocaria na elite. Depois de escolhidos, eu poderia dizer o que ela pensa do Lula, e se eles gostariam que tivesse continuado um peão.

Sendo eu escolhida para figurar entre a elite, talvez, junto com o Zé Bebinho e alguns outros da lista, só alguns, pois se fossem colocados outros tais como Sarney, Collor e Zé Dirceu, eu pediria para sair, eu diria hoje que, não gostaria que o Lula voltasse a ser peão, mas não gostaria que ele fosse presidente da república, como foi. E sendo da elite, eu preferiria que ele fosse estudar para não ficar na mão da elite que ele está. E o pior de tudo é sua confiança de que ele vai ter voz num governo da Dilma.

Caro Jodeval, você pensa que Dilma não é da elite? Que ela é, como Lula, um peão, que percorreu todo este país como o Lula fez, com o seu espírito de peão? Quando, e se ela ganhar as eleições ela estará na mão do que você chama de elite. E o Lula vai levar o maior chute na região glútea, como nunca se viu na história deste país. E o Lula já sabe disso, mas não tem alternativa. Se correr o Serra pega e se ficar a Dilma come.

Eu, como cristã, teria pena dele se ele não tivesse caído tantas vezes, ultimamente, no pecado da soberba. Ele agora não é só a elite, é toda opinião publica. O que ele está fazendo para eleger a Dilma não é explicado somente pela sua luta em prol dos pobres e oprimidos. Quando a esmola é muito grande o santo desconfia de que o doador está com o rabo preso ou pecou demais. Onde será que estará o rabo de Lula? Qual terá sido o seu pecado?

Eu, ao contrário do Jodeval, daria os parabéns ao Lula se ele, ao celebrar seu 65º aniversário, ele nos desse garantia de que o processo democrático pudesse ir em frente sem sustos e sem ameaças de que caiamos na lábia do Chavez, e que no afã de tornar o Brasil uma grande potência não se aliasse a ditadores e facínoras externos, e que para não perder uma eleição saia incentivando os seus asseclas a distrubuirem objetos pela cabeça dos outros seja lá ele quem for. Como minha mãe dizia, e tenho certeza a do Jodeval também, isto é coisa de moleque, sendo da elite ou não.

Eu espero em Deus e apelo ao Padre Alfredo, que A Gazeta não faça do texto do Jodeval o seu Editorial. Mas, em nome da liberdade de expressão que está em risco se o PT se tornar hegemônico, ele poderia ser publicado na página de acontecimentos sociais, talvez com uma foto do Lula apagando a velinha.

Mas, nem sei se o Jodeval foi à festa do aniversário do Lula, em Brasília, para comemorar junto com os outros militantes do PT que gritavam: "Lula seu presente é Dilma presidente". O povo brasileiro, creio em Deus, vai despertar e vai dar um presente a ele mesmo no dia 31, e não é a Dilma, que diz que agora vai acabar mesmo com a miséria, custe o que custar, doa em quem doer. Quanto a isto eu termino com umas frases muitos sugestivas ditas por um pastor americano, chamado Adrian Rogers em 1984, e que apesar de todo seu conservadorismo, por exemplo, é radicalmente contra o aborto, e nisto agora a Dilma concorda com ele, mostra o risco de acabar a miséria através de Leis. Pensem na Venezuela enquanto lêem, depois pensem num Brasil, que continuará a usar o Bolsa Família, o MST, o PT, para jogar pobres contra ricos. Depois, se puderem, mandem parabéns para o Lula ou apaguem sua velinha.

“É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade.

Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber.


O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém.


Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.

É impossível multiplicar riqueza dividindo-a.”

Lucinha Peixoto
lucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: