segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Bom Conselho, Jornalismo, Retroescavadeira e Garanhuns




Este título escalafobético representa o que vem por aí. Primeiro o texto abaixo seria um simples comentário a uma postagem no Blog de Roberto Almeida (veja aqui). Quando fui enviar a mensagem ela não foi por excesso de letras. Com já havia cansado os dedos de teclar, pedi para ser publicado aqui em nosso Blog. Mais tarde já um pouco descansada, resolvi ampliar o comentário com assuntos que interessam a Bom Conselho, e deu no que deu, e se vocês aguentarem, leiam até o fim.
-----------
Caro Roberto Almeida,

Outra vez não sei se quando chegar ao final deste texto, ele caberá como um comentário à sua postagem. Mas não se abale amigo. Se não couber publicarei por aqui no Blog da CIT.

Pelo que vi nos comentários, o texto se originou pelo artigo da “retroescavadeira” de Bom Conselho e pelo patrocínio da prefeita ao seu Blog. Se não for só por isso me perdoe, mas o que vem a seguir também serve.

Eu começo pelo final, isto é pelos comentários, que li até agora, que são 5, e provavelmente crescerão. Mais especificamente por um comentário longo e “bomconselhofóbico”. O da “democratista” Telma. Eu sempre falei mal do Coronel Zé Abílio, mas eu tenho a boca limpa, pois nós que somos da terra temos a boca limpa para falar do Coronel. Até o Jodeval tem, porque é de nossa terra. Mas a Telma tem a boca suja para fazer isto, pelo menos, nos termos em que ela se refere ao velho político, do qual todos da região falam mais por ciúmes de nunca ter tido um político como ele. Tiro Caetés deste rol de enciumados por ter produzido o Lula, o apedeuta-mor, pois ele é um político comparável ao Coronel Zezé. Mas não me force a ser “garanhunsfóbica”, porque isto só geraria cizânia e confusão. Talvez seja por causa do Coronel que Bom Conselho hoje está preparado para eleger Judith e Dilma. Do meu ponto de vista político, é uma pena, pelo da Telma Boca Suja é uma grande dádiva. Onde estão as mulheres de Garanhuns? Quantas prefeitas teve a eterna cidade de Simoa Gomes, e agora querendo ser, erradamente, a cidade do Lula? O que não queremos Telma BS, é que a Judith traga de volta o ectoplasma do Coronel Zezé, colocando-se como a única candidata viável para 2012. Seria uma pena muito maior ainda, se sua eleição se desse dentro da “síndrome do Bolsa Família”. O Coronel ganhava eleição na porrada, não queremos agora que se ganhe a eleição com esmola. Quando você diz que em Bom Conselho só existem “tristes práticas políticas, e um bando de fanáticos, lunáticos, nazistas, que preferem os opressores de chibata a lhes ofertar mimos com o dinheiro da viúva”, você ofende um povo inteiro, e não só o comentarista que não sei quem é. Minha cara Telma Boca Suja, lá em Bom Conselho temos a Lagoa do Bulandim, que dizem ter uma água ótima para lavar boca de pessoas ignorantes como você. O que temos é oposição. Aí em Garanhuns tem? Figurati! Vá lá lavar sua boca. Mas, se for patrocinada pela prefeita eu exigirei explicações dela, mesmo não sendo sua opositora, e sim uma simples cidadã lá nascida.

Nunca escrevi um parágrafo tão grande e ainda fiquei com vontade de escrever mais. Mas, isto é um simples comentário e não posso teclar mais. Quanto ao procedimento do Roberto Almeida, me desculpe amigo, mas penso que você falou demais na sua postagem, e não se comportou como o jornalista objetivo e sensato que me costumei ler e admirar. Não vou lhe julgar, pois todos nós estamos sujeitos ao erro. Lembra-se da minha barriga na renúncia da prefeita? Até hoje pago penitência por aquele meu erro e já lhe pedi perdão. O seu Blog você usa como quiser, pois é seu, e, como diz um cara que conheço no Mercado de Casa Amarela, ninguém “tasca”. O que nós podemos fazer é criticar o modo como você o usa, e mesmo assim isto é de uma relatividade brutal. No caso do patrocínio da prefeita, você não tem culpa nenhuma, pelo contrário toda a “grande imprensa” só sobrevive assim, com patrocínio. No que você errou foi em ter colocado a “retroescavadeira” na frente dos bois. O patrocínio, a não ser que haja um contrato que eu não conheça, não dar direito, no bom jornalismo, a afagos tão eloquentes. Entretanto, você merece perdão por publicar os comentários todos. É uma pena que eu não veja mais os do Altamir.

Quem está errada é a prefeita. Não pelo patrocínio em si, mas por não ter dado as explicações necessárias ao povo de sua terra, de dentro e de fora, porque estava fazendo isto. Poderia ter dito que foi pela grande audiência do seu Blog, o que é a mais pura verdade, ou outra desculpa qualquer. Até mesmo que estava usando a verba publicitária da prefeitura com a maior eficiência. Afinal de contas o D. Eduardo faz isto o tempo todo e o apedeuta-mor foi o maior mestre na área. Mas, isto deveria ter sido dito e explicado ao povo. E ela criou um blog prá que? Para apenas colocar as postagens do Blog do Roberto, quando elogia sua administração? Não. Quando o governante usa o nosso dinheirinho tem que explicar, como e porque gastou. O Coronel não fazia isto porque ele achava que “a opinião pública era um cheque sem fundos”. Hoje, mesmo se quisesse a Judith sabe que não pode fazer isto, pois tem uma oposição. E não adianta vir aqui dizer que ela só diz mentira, etc. etc. Pelo contrário, deve dar a devida satisfação ao seu povo, afinal de contas estamos em plena vigência do “governo do povo”, e sendo eu povo, quero sempre saber. Ou vocês pensam que quando se fala em povo, só estão se referindo a pessoas que recebem o Bolsa Família, que são muito dignos, mas não tiveram a oportunidade de estudar para falar por eles próprios, a não ser para agradecer os governantes de plantão na hora do voto?

Eu não preciso do Bolsa Família nem das benesses do “governo do povo”. Por enquanto, eu sou o povo, e espero ser escolhida por ele para representá-lo em 2012, mas, não excluirei dele quem teve a chance de aprender a ler e a escrever, e que talvez por isso mesmo, não tenha votado na Dilma.
---------------

Meu comentário terminava aí em cima. Tentei enviá-lo mas, infelizmente, veio a mensagem fatal: “Só são permitidos 4096 caracteres”. Os que nos cedem o direito de fazer nossos Blogs, o Blogger, está mais do que certo. Quem já se viu alguém fazer um comentário de mais de 4000 caracteres. Só a Lucinha Peixoto mesmo. É muita prolixidade para uma mulher só. Entretanto, já que não posso enviá-lo, vou tentar publicar aqui, apelando para a bondade do nosso Conselho Editorial. Já que vou fazer, isto deixe-me escrever mais um pouquinho.

Este fim de semana fui outra vez no Mural de Bom Conselho, e mais ainda, fui na Academia Pedro de Lara, levada pelas propagandas no Mural. Li então um texto do meu ex-professor Di Tavares, sobre o Encontro de Papacaceiros. Ele alega sua impaciência para sugerir coisas em relação ao encontro, principalmente para conterrâneos “maduros” e idosos. Como eu me considero “madura” e não idosa, continuei a ler. Lá ele descreve sua festa ideal. Na sexta-feira um encontro gigante às 20 horas. Todos falando com todos, se cumprimentando e abraçando. No dia seguinte, sábado, ida à feira e visita aos familiares.

Chega me deu saudades, apesar que os meus familiares agora já são tão poucos por lá que eu pularia esta parte. Então continua ele: “Às 16 horas mais ou menos, entrando pela noite, no mesmo local do encontrão, que tenha um vasto salão ou área, tranquilo e bem confortável, reiniciava o nosso ambicionado encontro, aconchego, troca de ideias, e, dependendo do dom vocacional, cada um faz sua apresentação: canto, música (saudosismo), anedotas e piadas descentes e compatíveis com as famílias ali presentes, “causos” relativos a outrora. Citação de nomes de velhos amigos antigos, acompanhada de seus tradicionais e conhecidos comportamentos.” Entre os de conhecidos de quem ele fala me lembro de todos, e cada um merece uma crônica à parte. Depois vem a seresta com o trio de papacaceiros, que eu sempre digo que seria melhor se tivesse um trombone.

E no domingo, como não poderia deixar de ser, teremos a Santa Missa celebrada num rodízio de Igrejas. Lindo o texto e deve ser lido pelos organizadores da festa. Eu só notei um problema: o nosso diácono, esqueceu do povo e dos outros povos de Jesus, como sempre aconteceu nos encontros anteriores. Os encontros se tornaram um festa popular e não são mais elitistas como antes, o que é razoável e salutar. Onde colocar o povo papacaceiro que lá vive e trabalha o ano inteiro para vestir a fantasia de papacaceiro? E os amigos da Papacagay, que já soube que não vão sair de forma organizada no encontro porque já souberam que eu não posso ir (o que agradeço de coração), mas estarão lá todos para prestigiar o evento? Onde colocar as outras Igrejas Cristãs, que na certa, resolveriam falar de Genésio Cordeiro, Eronides Batistas e outros bom-conselhenses ilustres, mas não católicos? Eu iria além, e perguntaria: Será que Dilma, por apenas se equilibrar nesta questão de Deus, poderia ir à nossa festa?

Não sei se o Di Tavares pensou nisto, mas, pela ideia geral do texto, o encontro me pareceu tão educado, religioso e abstêmio, que, o Andarilho estaria por lá com certeza, e eu também se pudesse, mas uma ausência sentida será a do Beto Guerra, pois não terá nem cerveja. Outra ausência provável é a do amigo José Fernandes, pois ele, algumas vezes me manda uns piadas, que morro de rir, mas não seriam aceitas pelas famílias presentes à grande reunião do Di.

Já que estou montada, continuo a cavalgar por esta nossa bela festa, que eu sugeri ser no carnaval, porque nas datas programadas, será impossível minha presença (isto, eu sei, foi um pouco egoísta). E é quanto a estas datas que quero falar. Pois recebi um e-mail do organizador da festa o Quirino, dizendo que o Encontro seria nos dias 14, 15 e 16 de janeiro. Não recebi a programação oficial. Porém, li no Mural que haverá outro encontro nos dias 12 e 13, que será patrocinado pela prefeita Judith Alapenha e que será organizado por Bia Ferro, sua secretária.

Ai eu fiquei encafifada. Será que vai haver um Encontro de Papaceiros do B, ou será uma festa diferente? Com a nota que li é do senhor Pedro Ramos, lídimo representante do Colônia Pacaceira do Rio de Janeiro, será que os dois primeiros dias serão apenas dedicados aos ilustres papacaceiros da Cidade Maravilhosa, ou eu, não entendi direito? Esta programação se chocaria com todas sugestões dadas pelo Di Tavares, pois pelo menos na sexta-feira todos já estariam apresentados se todos comparecessem já no dia 12. Ou o Encontro do B, será fechado mesmo?

No entanto, o pior não é isso. O busílis está na ligação com o patrocínio da prefeita. Eu não teria nada a dizer se este patrocínio fosse da Judith Alapenha pessoa física, e espero com toda saúde possível, para mostrar que a mulher bom-conselhense tem valor. Mas, na nota diz que há o envolvimento da prefeitura, pelo menos com a participação da Secretaria de Cultura, através da Bia Ferro. Aí a coisa muda de figura. Outra vez o meu dinheirinho é usado e gostaria de algumas explicações. Primeiro, por que esta divisão? Segundo por que o aumento dos dias de festa? Terceiro, por que não vi ainda nenhum programação desta festa do B? Quarto, será que a recepção, como este ano, aos participantes será no dia 12 ou dia 14, e será na prefeitura ou alhures?

Eu não irei à festa, mas daqui da CIT talvez vá alguém que não tenha que se reciclar profissionalmente, e desejaria saber. E principalmente, se é só os 2 primeiros dias que terão o patrocínio da prefeita. Se a resposta for sim, só resta eu repetir o que disse acima em relação ao patrocínio do Blog do Roberto, a prefeito está errada. Prefiro continuar pensando que houve um erro da nota do Pedro Ramos, que dizem, não erra uma nota no pistom, e que o Coronel Zezé não tenha baixado aí pela terra, apesar de Telma Boca Suja ter ainda que lavar a boca para falar dele.


Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com
---------
(*) Foto do Blog do Roberto Almeida.

Nenhum comentário: