terça-feira, 16 de novembro de 2010

MIJAR NÃO POOOODE...






Este negócio de ser “twitteira”, como dizia meu filho algum tempo atrás, “é o maior barato”. Quando vamos lá em nossa página tem um monte de frases bem pequeninhas mas com liberdade para ampliar pelos links. Vi um que me chamou a atenção: “Brasileiro teria sido morto em Portugal por urinar na rua. clique aqui.” Cliquei no link e lá estava a seguinte notícia no Globo.com:

“Um brasileiro foi morto com uma facada em uma cidade ao norte de Lisboa (Portugal). Segundo a sua companheira, a vítima morreu porque urinou na rua.

Luciano Correia da Silva, 28 anos, natural de Rondônia, foi assassinado na madrugada do último domingo na cidade de Caldas da Rainha, distante cerca de 100 km da capital portuguesa.

A companheira de Luciano, a também brasileira Andressa Valéria, 26 anos, disse ao jornal Correio da Manhã que os dois haviam saído de um bar à noite e se dirigiam para a casa onde moravam, quando o brasileiro parou na rua para urinar.

Andressa afirma que uma pessoa com sotaque português e aparentemente embriagada começou a gritar com Luciano. Segundo ela, o agressor dizia: "brasileiro de m....., volta para a tua terra, vagabundo".

O homem teria puxado um canivete assim que Luciano fechou o zíper da calça. Neste momento, Andressa diz ter ido a um café ao lado para pedir ajuda. Quando voltou, ela viu Luciano no chão, atingido por um golpe profundo no peito.

O agressor fugiu, levando consigo o canivete. Luciano foi levado ao hospital, mas não resistiu ao ferimento.

A Polícia Judiciária (PJ) não deu informações sobre o crime, alegando que ele ainda está sob investigação. A assessoria de imprensa da PJ disse que a resolução destes casos costuma ser rápida, mas não quis prever quanto tempo isto pode levar.

O órgão afirma que as ofensas xenófobas podem ser consideradas um agravante, o que vai depender do julgamento.

Segundo Andressa, Luciano era serralheiro e vivia em Portugal havia quatro anos, tendo a sua situação de imigrante legalizada. O casal viveu junto por dois anos, junto com uma filha de Andressa, de um ano e nove meses.”

Eu fiquei pensando no que os petistas vão dizer sobre esta notícia. Se além de quererem começar a guerra de secessão entre São Paulo e Nordeste, eles agora quiserem romper com os laços que ainda nos une com a corte portuguesa, vão dizer que o português que assassinou o brasileiro por mijar na rua, vestia uma camisa que dizia: “Zé Serra é do bem! E que o brasileiro que morreu tinha votado em Dilma, sendo sua mijada um poquinho de nada, pois ele sofria da próstata. Descobrirão mesmo que o assassino tinha um sotaque português da Moca, sendo um paulista legítimo e eleitor do Serra.

Antes que as Rosas do Capibaribe murchem dando a notícia e fazendo espalhafato, eu a publico primeiro dizendo ao português assassino que brasileiro de merda e vagabundo é a mãe dele, e a briga fica entre eu, ele e a polícia portuguesa que deve punir o crime botando na cadeia este português idiota. Pois eles existem como existem também paulistas e nordestinos idiotas que querem fazer tempestade em copo d'água, com fins eleitoreiros.


Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: