terça-feira, 2 de novembro de 2010

"RECIFE DE OUTUBRO"




Chegamos ao final do mês de outubro. É um mês que concentra a alegria e do sorriso fraterno. É o mês que se comemora o DIA DA CRIANÇA este ser humano livre de maldades, de rancores e do ódio, mas que demonstra somente a bondade, a meiguice, o carinho e muito amor com o seu sorriso inocente. Às vezes choram e as lagrimas que escorre pela face são temporárias e, em pouco tempo estampa um novo sorriso cativante e inocente, como nada tivesse acontecido e, assim dão sequência as brincadeiras no escorrego, no pula- pula, de pega-pega correndo e se escondendo em nossas ruas e nos parques da nossa cidade. Quanta alegria e quanta inocência. O seu brilhante olhar e cativa e conforta os adultos, amenizando os aperreios do dia-a-dia, através da sua meiguice. Os abraços carinhosos e os beijinhos que eles nos oferecem são gratificantes em nossa vida.

É também, o mês de comemoração da Padroeira do Brasil, NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA, onde todos brasileiros devem pedir a proteção da Virgem Aparecida pela a paz em nosso País e no Mundo, e ao mesmo tempo agradecer os benefícios que recebemos no nosso dia-a-dia.

Também, neste mês de outubro, comemoramos o DIA DO PROFESSOR, este notável ser humano que dedica a sua vida ao ensino das letras e da cidadania em salas de aula mal equipadas, sem nenhum conforto. Não se sabem dar valor a aqueles que no seu dia-a-dia levam os seus conhecimentos para a pessoa humana. São anos e anos de estudos, de pesquisas, de noite mal dormidas para se formar e informar sobre o tempo passado e presente da humanidade. Não se valoriza o PROFESSOR, como ele merece.

Este mês, também, foram da ELEIÇÃO PRESIDENCIAL, GOVERNADORES, DEPUTAODS E SENADORES, onde todo o povo brasileiro foi às urnas para eleger os nossos governantes. Como alguns não foram eleitos em primeiro escrutínio, voltamos às urnas para uma segunda votação. E neste dia 31 todos os brasileiros conhecerão aquele (a) que conduzirá os nossos destinos por quatro anos. Todos os brasileiros esperam que o eleito cumpra os seus compromissos de campanha a fim de melhorar a vida do povo, principalmente, para aqueles que mais sofrem com a falta da moradia, educação, transporte urbano, que seja a Dilma ou o José Serra desejo que ele (a) possam levar avante os seus projetos para melhoria de vida de todos os brasileiros, sem partidarismo.

E, por fim, encerramos este mês com uma poesia do notável poeta Joaquim Cardoso, escrito em 1934, evidenciando a bela cidade do Recife cortada pelos seus rios e pontes e hoje tão acabrunhada e esquecida pelas autoridades municipais.

Recife de Outubro

Ó cidade noturna!
Velha, triste fantástica cidade!
Desta humilde trapeira sem flores, sem poesia
Alongo a vista sobre as águas
Sobre os telhados.
Luzes das pontes e dos cais
Refletindo em coluna sobre o rio
Da impressão de uma catedral imensa,
Imensa, deslumbrante e encantada,
Onde, o esplendor das noites velhas,
Quando a noite está dormindo,
Quando as ruas estão desertas,
Quando, lento, um luar transviado envolve o casario.
As almas dos heróis antigos vão rezar.

Sinto no meu sangue a caricia da morte.

No silêncio as horas morreram,
E ao saimento
Das horas mortas
Um sino toca

Caminho a passo lento,
Creio que alguém me espia do alto, das cornijas,
Vai passando na sombra a ronda dos meus sonhos.

Toda cidade, eu vejo, está transfigurada;
É um campo desolado, negro, enorme
Onde rasteja ainda,
O último rumor de uma batalha;
E a massa negra dos edifícios,
As torres agudas recortando o azul sombrio,
Cadáveres revoltos, remexidos,
Com braços mutilados
Erguidos para o céu.
Ó minha triste e matéria e noturna cidade
Reflete na minha alma rude e amargurada
Te teu fervor católico, o teu destino, o teu heroísmo.


Joaquim Cardoso, 1934 – Poesias completas –
Joaquim Cardoso – 2ª Edição –
Civilização Brasileira – 1979.

José Antonio Taveira Belo / Zetinho - taveirabelo@hotmail.com
---------
(*) Arte fotográfica de Heraldo Cunha.

Nenhum comentário: