segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Ao Zezinho - com morango e chantili



NÃO li "O manto do silêncio", de 2.12.2010. - Reporto-me à publicação, postada em 29.11.2010, às 15h, no Blog da CIT, da “lavra” do Zezinho de Caetés. Título: “A revolução de Caetés, a guerra do Rio e os ‘PANACAS”’. A publicação em causa trouxe transcrição de “imeio” particular, artigo de uma jornalista, além de outras perfumarias. – Então, avante.

Eu disse que só participaria do debate com o Zezinho, desde que fosse em tom civilizado, SIM. E reafirmo o que disse antes. – Vale frisar que aquele “imeio” transcrito e comentado, não faz parte da minha peleja com o Zezinho. Foi u’a mensagem enviada para um grupo de pessoas, inclusive o Zezinho. E foi a minha opinião sobre o artigo da dona Zaidan, que é a jornalista citada. - E, na seqüência, foram também outros “e-malas” sobre o assunto. Recebidos e respondidos por mim. Ainda que de uma só pessoa.

Já que o Zezinho tornou público aquele primeiro, porque julgou incivilizado, por que não publicou todos? Está autorizado, agora, a publicar o restante (tudo). Até porque a pessoa que me insultou, é anônima! Não sei se é jovem, madura ou velha, o que não me interessa. Ela apenas me xingou de macaco, imbecil, inútil, medíocre etc. E, ao final, diz: “A EUROPA E OS EUA SÃO BURROS...” (sic). – ??? As mensagens de alguns amigos, que recebi em aprovação, NÃO passei para ninguém. NÃO tenho essa vaidade boba! Apenas agradeci aos que se manifestaram a meu favor.

Eu, na minha incivilidade, não publico “imeios” dos meus correspondentes em blogs ou jornais.
Posso até reenviá- los a outros, como fiz e faço. Mas não me move interesse de transcrevê-los
em blogs. – Contudo, que fique bem claro: aqueles e-mails não são parte da nossa (minha com
o Zezinho) troca de opiniões.

Trata-se, como já disse, de uma resposta que mandei na direção das zaidans, dos mervais, das globos, dos noblats e de tantos outros que querem impedir que a presidenta eleita possa governar. E por que mandei para pessoas da minha lista? Porque não tive chance de comentar no próprio blog do noblat, por mais que tentasse. – Vinha sempre a MSG avisando que eu iria receber uma senha etc. Mas a senha nunca veio. Razão por que não cumpri este prometido: “Depois, porei o meu!!!”

Julgo sempre oportuno usar a lógica. No dizer do saudoso promotor de Justiça, Nelson Souto de Araújo, fazer uso do exercício de logicar.

Pois bem: se a presidenta Dilma houvesse "corrido" para o Rio de Janeiro, abraçando o governador Sérgio Cabral, o secretário Beltrame etc., as televisões iriam filmá-la. Depois, a "grande" imprensa da dona Zaidan, mais os outros do contra, iriam dizer que ela estaria fazendo demagogia barata. Ademais, ela ainda não assumiu a presidência da República! - Mas, de um modo ou de outro, não seria ela, ou o presidente Lula, que iriam "comandar" a operação, própria da Segurança Pública do Rio de Janeiro.

Por necessário, ela estava e está tratando de formar o ministério, porque precisa começar a governar no dia 1º de janeiro próximo, portanto, a apenas 30 dias. Não obstante, e ainda assim, os que não se conformam com a vitória da Dilma Rousseff dizem que ela deveria estar no Rio de Janeiro, acompanhando todos os lances da batalha. Se não, que ela precisaria, ao menos, estar a toda hora na televisão para dizer aos cariocas e fluminenses que estava agradecida pela votação que teve. E que estava solidária com aquele povo.

E mais: dizem que ela deveria fazer isso, porque o povo do Rio lhe deu mais de 60% dos votos de lá. – É bom que se diga que ela é agradecida a todos os que votaram nela. Mas vai governar para todos os brasileiros. Não só para quem lhe deu mais votos. – Então, por que essa má vontade com essa mulher que já foi eleita pelo voto da maioria? Cadê a democracia tão apregoada de canto a canto por todos os que torcem contra?

Lembro-me e lembro-lhes do mesmo massacre que está ocorrendo com a nossa prefeita de Bom Conselho, desde que foi eleita. E piorou depois que assumiu a administração do município. Os “coronéis” que foram derrotados, não dão sossego à senhora Judith Valéria A. de Lira.

Ora, quem perdeu, perdeu. Agora, deixem a ganhadora, Dilma Rousseff, preparar-se para governar! Esperem a próxima eleição. Disputem e ganhem. - E no caso da prefeita Judith Valéria, que já vem governando há quase dois anos, idem. Deixem-na governar e terminar o mandato que o povo lhe outorgou. Ao final, então, que os seus inimigos disputem e ganhem as eleições. E assumam. Mas, se perderem de novo, respeitem o voto do povo!

Retomando a meada: e dizer que a dona Zaidan não falou mal do Lula e da Dilma, naquele artigo, é querer chamar-nos de panacas, sem aspas. É querer zombar da inteligência dos que enxergam alguma coisa. - Se bem que, panacas somos nós mesmos, que somos espoliados pelas TIMs, SKYs, NETs, Ois, Claros, escuros, Vivos, mortos, Globos, Abris, e tantos outros milhares e milhares de "empresários" desonestos. E são esses tais "empresários" que se infiltram em todos os governos e fazem as corrupções como bem querem.

Eles agem nos governos, Congresso, câmaras municipais, Judiciário e onde mais queiram. Têm lobistas em todos os poderes. - Notem que a "grande" imprensa é o 4º poder da República. - Puxem pela memória e lembrem-se só de dois episódios: Salvatore Cacciola e Daniel Dantas ("bancos"). - NEM preciso falar das Odebrechts, Queiroz Galvão e outras mais do submundo do crime das empreiteiras de obras públicas. - Então, meus caros, os panacas e babacas somos nós mesmos. - A dona Zaidan e outros da igualha são mais alguma coisa!

Numa hora em que milhares e milhares de pessoas estavam ou ainda estão dentro de suas casas, com as portas fechadas, há cinco, seis ou mais dias, sem saber quando essa porta seria arrombada por um tiro de fuzil, disparado por um bandido ou por um policial, as donas zaidans vêm com esse lero-lero, pra encher blogs e jornais! Respeitem, por obrigação, os sentimentos daquele povo bom e sofrido, que trabalha e precisa morar no morro, porque não pode morar em Copacabana, nem no Leblon.

E observem que o povo acreditou na operação policial. Mesmo temendo muito, porque não se sabe o que poderá sair das forças de segurança dos estados ou da Federação. E, mais ainda, no meio de uma "guerra" com traficantes, que mandam e desmandam nas comunidades pobres e médias. - Porém, no final, o povo pobre e humilhado pelos traficantes e pelos governos, durante 30 anos ou mais, aplaudiu o sucesso inicial das ações policiais (88% aprovaram). - E ISSO INCOMODA MUITO às zaidans, aos mervais e aos noblats.

É muito cômodo para as zaidans da vida, que ganham para viver no bem-bom, sentar-se ante um computador e mal teclar, falando contra o presidente e a futura presidenta da República. - As zaidans & Cia. devem morar na Gávea ou em Ipanema, no Rio. Ou, ainda, nos Jardins ou no Morumbi, em São Paulo, ao lado de Paulo Maluf e outros espécimes que tais.

Muitos e muitos dos moradores da zona sul do Rio de Janeiro consomem cocaína, fumam maconha, usam outros alucinógenos etc. E nessa hora ficam numa boa, vendo os lances nas televisões. Depois, vão pousar de bons moços, dando declarações pomposas para inglês ver. - Mas, por dentro, ficam-se perguntando se será mais difícil ou não, a partir de agora, receber a droga que sempre receberam em casa ou nas baladas da noite dos chiques. - E, por isso mesmo, já estão defendendo a legalização das drogas mais "leves", como a maconha, segundo eles mesmos.

Mas voltemos à administração do país: quem administra, delega poderes, em qualquer que seja a atividade. No caso da presidência da República, os delegados mais próximos são os ministros de Estado. – Então, nessas horas, os ministros a quem compete a ação, tomam a palavra e a decisão.

E foi isso o que fizeram o Ministro da Defesa e o Ministro da Justiça. O primeiro deu ordem às forças armadas para que fossem buscar solução militar, juntamente com os policiais do Rio, para aquele descontrole, que NÃO foi criado pelos governantes atuais. Mas que compete aos governantes atuais resolverem. – O segundo mandou as polícias federais darem suporte integral aos policiais do Rio de Janeiro. - Mas, antes disso, teria de haver o pedido formal do governador do Rio, que é a autoridade legítima para esse fim. E foi isto que o governador Sérgio Cabral fez: solicitou ajuda ao presidente Lula! E foi isto que o presidente Lula fez: atendeu rápido.

E se a autoridade maior do estado do Rio, para esse fim, é o governador, como dito, coube a ele acompanhar tudo! E o excelentíssimo senhor governador do Rio de Janeiro não arredou pé de lá. Estava e está lá o tempo todo, com seu secretário de Segurança Pública, demais secretários de Governo e os comandantes militares e civis. Auxiliados pelas forças federais, que foram postas à sua disposição pelo presidente da República.

Agora, vamos a Caetés: se o propósito do Zezinho de Caetés, ao transcrever o meu desabafo, foi de passar a informação para o Valfrido Curvelo, o Zezinho caiu do trem em movimento. Isto é, não logrou êxito. Porque, quando escrevi aquelas palavras, a primeira pessoa a quem destinei cópia foi o Valfrido. E só posteriormente, incluí o Zezinho na lista dos recebedores.

Tanto que à 1h22 PM, do mesmo dia 29.11.2010, a manifestação do Valfrido Curvelo chegou à minha caixa de “imeios”. E eu respondi ao Valfrido da forma que achei mais adequada. Disse que aquelas palavras foram para as zaidans, os mervais, os noblats, as globos etc. E mais: pedi desculpas ao Valfrido, duas vezes. Porque não quero que ele fique magoado comigo. – Mesmo sem eu haver tido a intenção de atingi-lo. Porém, como foi ele quem me enviou a "pérola", é muito natural que o Valfrido ficasse chocado com a minha reação irada. - Mas, para pedir desculpas ao Valfrido, NÃO precisei que o Zezinho fosse avisar a ele, NÃO!

Por outro lado, se a intenção do Zezinho foi de vender o dicionário dele, eu compro. Pois estou precisando de um dicionário tal qual o que ele citou. Porque, nos meus dicionários, panaca significa somente: indivíduo tolo, ingênuo, simples, simplório. Daí a razão por que eu pus panaca entre aspas. Para não pôr a expressão que a dona Zaidan merece. Posto que, como já disse, panacas e babacas somos nós! - E se eu comprar o dicionário do Zezinho, talvez encontre a outra acepção do verbo procrastinar, que o Zezinho usou há poucos dias, com a polaridade invertida, causando curto-circuito.

E o Zezinho diz, a certa altura do seu texto: “... porque é que a Dilma deveria vir no Rio, num arroubo de independência, sem ele? – Eu respondo: porque se ela fosse no Rio, poderia ser levada pela correnteza do rio. Ela iria ao Rio de avião ou em avião. - Assim, eu faria a pergunta: “... por que (separado) é que a Dilma deveria vir ao Rio, num arroubo de independência, sem ele? - É ISSO./.

José Fernandes Costa - jfc1937@yahoo.com.br

EM TEMPO: - Substituir uma consoante não modifica o conteúdo de um texto. Assim, peço aos meus quatro ou cinco leitores que onde está escrito que a Justiça já tinha "absorvido" o Dr. Sérgio Mutilo, por falta de provas, LEIA-SE: ABSOLVIDO. - (A revolução de Caetés - 3, de 30.11.2010.)// - JFC.

Nenhum comentário: