terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A Mudança de Lula




Tanto tempo faz que não publico nada que alguns até pensarão que morri ou que fui demitida da CIT Ltda. Eu não publico mas estou escrevendo, minha viagem continua andando, o problema é falta de tempo de arrumar as coisas para não decepcionar meus admiradores.

Não parei de ler. Quem pode hoje viver sem ler? Só o Lula. E é sobre ele que li a seguinte notícia num blog:

Presidência pagará R$ 19,5 mil por mudança de Lula

Bernardo Mello Franco, Folha.com

A Presidência da República pagará R$ 19.499 para transportar o acervo de presentes, condecorações e cartas recebidas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos oito anos de governo.

A empresa Três Poderes Mudanças e Transporte Ltda, de Brasília, foi selecionada para a tarefa em pregão eletrônico realizado nesta quinta-feira.

A mudança, avaliada em R$ 500 mil, será levada para São Paulo e deve compor o futuro acervo do Instituto Lula, que funcionará na capital paulista.

Por exigência do Planalto, a transportadora terá que providenciar um caminhão climatizado para a adega do presidente, com garrafas de vinho, cachaça, uísque e outras bebidas.

O edital também pede embalagens especiais para transportar roupas e "miudezas em geral", além de quadros, tapetes, estátuas e "peças especiais em cristais".

Toda a mudança ocupará 11 caminhões, como a Folha noticiou em novembro. Os funcionários da Presidência começam a encaixotar tudo na próxima terça-feira.

Alguns pertences de Lula e da primeira-dama Marisa Letícia já estão empacotados no Palácio da Alvorada, para onde a presidente eleita, Dilma Rousseff, poderá se mudar a partir do dia 1º.”

Mesmo sem muito tempo pois agora sirvo a dois senhores a CIT e a A Gazeta Digital, e esta dá mais trabalho do aquela, diante de tal coisa resolvi escrever.

Todos que me lêem sabem que quando saí de Bom Conselho eu o fiz num pau-de-arara, quase na mesma época e nas mesmas condições do nosso presidente. Foi comendo poeira e sofrendo pela estrada a fora que chegamos a São Paulo, no meu caso em Guarulhos, e Lula parece que foi para Santos. Tenho certeza ambos chegamos com a bunda doída, mas, esperançosos.

Óbvio que tivemos vidas diferentes até pelos nossos sexos diferentes, e a história de Lula está por aí pelos livros e filmes, a minha um dia eu termino de escrever, se Deus quiser. Aí eu fiquei matutando, depois de ler a notícia acima, quanto eu gastei para vir aqui para Pernambuco, um montão de tempo atrás. Fazendo uns cálculos, com a ajuda do Zezinho, chegamos à conclusão, incluindo passagem de ônibus, mala, que já não era um saco mas o cadeado ainda era um nó de barbante forte que o padre Bernardo me deu, estimamos em uns 500 reais, e o que eu trouxe comigo, resto de uma indenização, nem computei para não passar vergonha com meu amigo.

Agora, o que vejo?! Eu pagarei uns cobres para o Lula voltar para São Paulo, que juntando todos nós, vai ficar a conta em 19.500 reais. Lá vem a invejosa, dirão alguns quando me lerem. Talvez tenham razão, tem uma pontinha, mas, só uma pontinha de inveja. O cara juntou mais de 500.000 reais de mudança, mais de 1000 vezes do que a minha. E pensando na fábula da raposa e as uvas, não há uva verde que me console.

E quando vou lendo e vejo que para trazer sua mudança serão necessários 11 caminhões, e ainda tem gente para encaixotar tudo, eu quase desmaio. Se ele tivesse aprendido a ler e a escrever, poderia escrever mais livros do que o Fernando Henrique. Talvez livros de auto ajuda com títulos tais como: “Aprendendo como transformar um pau-de-arara em 11 caminhões”, “Analfabeto sim, pobre não”, “Como fazer amigos, influenciar pessoas e se tornar rico”, “Faça 80 anos em 8”, “Do Planalto à Planície sem perder as estribeiras”, e assim por diante. Com a popularidade com a qual vai deixar o cargo não seria demais dizer que ele brevemente, dividiria com o Chico Buarque o Prêmio Jabuti, e outro, criado exclusivamente para ele: O Prêmio Sapo Barbudo de Literatura de Auto-Ajuda.

Infelizmente, não diria que ele desperdiçou todo seu tempo ouvindo ministros e assessores, para lerem e escreverem por ele, mas, não usou parte do seu tempo para aprender a ler e a escrever, para competir com seu principal oponente, o Fernando Henrique. Eu tenho a certeza, como tenho que a terra vai comer meus olhos, e juro por essa luz que me alumia, que leria os livros deles todinhos, e eles seriam um grande sucesso editorial e comercial. Agora, mesmo voltando prá São Paulo, “em riba” de 11 caminhões, rico famoso, popular, não pode escrever, ele próprio, a história de sua vida. E a Marisa e os filhos, não terão tempo para ajudá-los.

Quem sabe lá no sindicato? Sua postura, justiça seja feita, nunca mudou. Até o fim ele se comportou como um líder sindical na presidência, e lá, como ele mesmo já disse, ele pode tomar umas cachaças e receber ajuda do Vicentinho ou do João Paulo, que estudaram. Sabe de uma coisa, minha inveja não é tanto assim.


Eliúde Villelaeliude.villela@citltda.com

Nenhum comentário: