quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Um Debate Incompleto...



Para compreender esta postagem é necessário que se vá ao Blog do Roberto Almeida e veja os artigos citados abaixo, e leia todos os comentários. Para não mais bater boca no blog dos outros, como se fôssemos caroneiros de beira de estrada, resolvemos publicar tudo aqui, sem o que foi escrito pelo Roberto e pelo José Fernandes. Não sabemos se eles permitiriam isto. Por menos do que isto, o Zezinho já foi acusado de publicar mensagem privadas. O esclarecimento aqui é para os nossos leitores. Esperamos não lhes ter-lhe confundido mais ainda.

Lucinha Peixoto
-------------

O que foi escrito por nós:


Comentário de Lucinha o artigo do Roberto: Sobre Lobos e Cordeiro (leia aqui)

Que bom é este negócio de internet. Graças o incrível crescimento do setor de comunicações no país, e não venham os petistas dizerem que foi Lula que fez, hoje podemos estar em Gramado, com ressaca de uma festa linda, que é o natal no clima frio, quanto vendo o Blog do Roberto Almeida, antes mesmo de começar minhas atividades curriculares. Não resisto a alguns posts e os comento, se conseguir parar nos toques certos.

Ontem vi o comentário do Zezinho ao amigo José Fernandes, que migrou de blog mas não migrou do pensamento único. Mas, o que estou aqui mais pela provocação do Zezinho quanto à sua opinião sobre a prefeita Judith Alapenha. Aproveito para matar dois coelhos de uma cajadada só: O Roberto e o José (Se coelho tiver algum defeito me desculpem, procurei um animal que não tenha, só conheço coelho e tucano).

Eu diria que nossa colega de gênero, a Judith, teve seus percalços, mas parece que está se levantando, e penso tocará o município até o fim deste mandato. Tenho dúvidas quanto ao próximo, se ela pleitear a reeleição. Há um temor generalizado de pessoas que a apóiam, como José Fernandes e o Roberto (um pouco mais depois do patrocínio), quanto à oposição. Já virou um mote de cordel ao fazer ao seu governo qualquer crítica, dizer que é intriga da oposição e da velha oligarquia que foi apeada, por ela, do poder. Nem sempre isto ocorre. Oposição é para se opor, e isto faz parte do jogo político. O que seria condenável seria que houvesse um silêncio tumular delas. Isto sim, estaria indicando bebê que está mamando, que não chora, e eu tiro isto pelo meu neto. Quando não lhe dou logo a mamadeira é uma choradeira danada, depois dela tudo passa. Se a culpa é minha, isto é, enquanto escrevo o bichinho está lá com uma fome danada, ele tem que chorar mesmo, isto é, fazer oposição. Desculpas, de que não fiz o mingau por que estava escrevendo prós Blogs não cola. O bicinho continua chorando com fome. Eu é que tenho que cumprir minha responsabilidade. E, se no final das contas, eu que estava com as mamadeiras dele atrasados, pago até a décima terceiro, estou apenas cumprindo a minha obrigação, e espero que o povo entenda isto. Se não entender explico no Blog. Blog é para estas coisas, junto com uma assessoria eficiente de comunicação.

Quando ao ministério da Dilma, meu Deus, até o Roberto não gostou. E o Alexandre Marinho (que saudade) gostou? Hoje se comete todo tipo de conchavo pela chamada “governabilidade”. Governabilidade virou sinônimo de alianças espúrias e prejudiciais ao povo brasileiro. Depois joga-se uma bolsinha família e está tudo bem. Elege-se quem quer e o povo restante, como diz o Lula, sifu. Roberto cita três ex-presidentes que renunciaram ou foram apeados dos seus mandatos. Getúlio, Jânio e Collor, e eu acrescentaria Jango. Todos de uma forma ou de outra pensaram em algo para o Brasil, além da governabilidade. O problema é que o Lula, e parece que a Dilma vai no mesmo caminho, só pensa na “governabilidade”. Nunca na história deste país um presidente teve tanto apoio para fazer um governo, dando outro sentido a este termo, sem fazer salamaleque a CNI, MST, ou mesmo a Sarney, outra instituição bizarra deste pais. Lula perdeu o bonde e foi de trem bala levando o bolsa família. Hoje vivemos numa democracia plena, que ainda não passaria no ENEM, mas o risco de retrocesso é mínimo. Pois retroceder mais do que ver Ciro e Temer juntos no mesmo ministério, só se a Dilma declarar que foi a abolida a Democracia no Brasil. E isto caros Roberto e José Fernandes, nem vocês nem eu deixaríamos que isto acontecesse.

Não disse tudo mas meus toques, para comentários terminaram. Já está no tamanha certo para que o Einstein não lei até o fim e não encha...

Lucinha Peixoto (Blog da CIT)

--------------------
Resposta ao comentário do José Fernandes no artigo indicado acima

Ao José Fernandes, sem Cia.,

1. Caro José Fernandes, seu senso de humor está acabando? Será porque você não tem argumentos para responder ao Zezinho, naquela coisa que você inventou de Caetés? Quando disse que você migrou, foi uma forma engraçada de dizer que você está escrevendo noutros blogs, ao mesmo tempo que colocava minhas ideias políticas que são diferentes das suas. É claro, que você pode escrever onde quiser e eu posso discordar do que você escreve onde me deixarem. No caso o Roberto nunca reclamou. 2. Comentar não é pegar carona caro José Fernandes. Para aqueles que não pensam que somente eles detém o monopólio da verdade, é uma homenagem, seja a favor ou contra. Se isto é pegar carona, você vem usando o caminhão do Zezinho, que dizem que é ainda o que Lula viajou para São Paulo, há muito tempo. Se você pensa assim, desça do veículo do Zezinho. De quando em vez tenho ciúme e inveja, caro José, mas, é de outras coisas. 3. A razão de fazer comentários maiores, além da prolixidade natural que tenho, é que os artigos que comento o exigem, e também como uma forma de defesa do comentarista genial Einstein, que diz morar perto de nós, pois se o artigo for longo ele não ler tudo. Este eu entrego ao Altamir. 4. Quanto ao patrocínio, o Roberto, não tem culpa nenhuma, se não modificou seu tratamento em relação ao patrocinador, se o fez, pode até está sendo honesto, mas está agindo como mau jornalista. Isto seria coisa da “grande imprensa”. Eu não teria muito a ver com isso se o meu dinheirinho não estivesse envolvido. Ou seja, se a prefeita Judith, estivesse usando dinheiro do seu bolso para pagá-lo. Se o dinheiro veio da prefeitura, quero e devo saber quanto foi pago e as justificativas. Você, pela sua formação, sabe que hoje a mesma Lei de Responsabilidade Fiscal, que é usada para justificar demissões de final de ano, exige também transparência total das contas públicas. E não me venha com o argumento jurídico, que para os municípios menores só vale a partir de 2012. O argumento de, “vamos esconder enquanto pode”, pode até ser legal, mas é imoral. Quanto à auditoria, esta deveria ser constante, cobrada pela oposição e aí vem o outro item, pois este comentário já está maior do que o próprio texto comentado. 5. Como disse em meu comentário anterior, vocês que tanto defendem a prefeita Judith, a consideram o quê? Um bibelô? Uma boneca de porcelana? Uma plantinha tenra, que não aguenta uma crítica? Eu não vi até agora massacre nenhum por parte de ninguém. Se os que deixaram a prefeitura tentam voltar ao poder, tem o mesmo motivo que ela para querer ficar. Talvez, objetivos diferentes, formas diferentes de comportamento, etc. Mas, dizer que eles estão massacrando a prefeita, é demais caro José Fernandes. Sendo uma mulher da minha terra, crescida e nascida como eu aos pés de Santa Terezinha, e tomado aquele leite da fazenda do Edgar Alapenha, e comendo o queijo Alami, o melhor queijo de coalho de Pernambuco, a Judith não é tão fraca para considerar oposição um massacre. O que ela tem de fazer é escutar e responder mais ao povo, e neste caso, os “coronéis” também fazem parte do povo e tem que manifestar suas opiniões. E para terminar, se eleita em 2012, e os “coronéis” voltarem ao poder, e se comportarem como coronéis, vão me ouvir da tribuna.

-----------------
Comentário do Zezinho de Caetés publicado com atraso pelo Roberto Almeida.

Lucinha,

Você parece não ter visto o comentário do professor José Fernandes, a um comentário meu no post de sua autoria: Dilma Roussef e Judith Alapenha, com o subtítulo de “Política e Mesquinhez”. Desde lá ele diz que parece que estou com inveja porque ele agora está escrevendo no Blog do Roberto Almeida. Eu já escrevi várias vezes aqui e o Roberto nunca me censurou. Se fiquei surpreso que ele aparecesse neste blog, foi porque sempre o encontrei no Blog da CIT. Lá como se sabe não há comentários, aqui sim, há. E este é o espaço próprio para fazê-lo, quando a matéria é aqui publicada. Quanto à extensão do comentário, o limite não é dado por nós e sim pelo Blogger. É uma limitação sim, e quando atingimos este espaço, não há outra forma de comentar a não ser indo ao Blog da CIT.

Eu não tenho nada a ver com sua querela com a Lucinha sobre a Judith Alapenha. Com suas opiniões sobre a Dilma sim. E sempre que o professor vier com suas ideias de PILA sobre ela, seja em qualquer blog, eu estarei lá para mostrar que o grande erro do meu conterrâneo Lula, foi ter lançado a Dilma candidata. Até agora tudo bem. Ele está nomeando quase todo o ministério, e, como é do seu feitio, dizendo que não tem nada a ver com isto. Mas, professor, espere e verá.

Agora, levando em conta o comentário aí em cima, já que fui colocado no mesmo saco em que se encontra a Lucinha, o que muito me honra, deixem-me dizer. Eu concordo com os comentários dela naquilo que me toca. Quanto a questão do patrocínio e da prefeita não me diz respeito. Quanto à carona, a imagem que ela faz é perfeita. Desde muito tempo, se eu fosse considerar a homenagem em me comentar, de carona, eu poderia dizer que são raros os artigos do professor onde eu não esteja na “boleia”, no Blog da CIT. Eu nunca me incomodei com isto, pois é uma honra para mim debater com ele sobre nossas diferenças de pensar. Qual o problema agora? Sei que, pela formação do professor, de causídico importante, perder um julgamento é muito duro. E quando ele se viu cercado por um promotor também com argumentos fortes, ele apelou. Agora somos invejosos. Caro professor, no meu dicionário, aquele que lhe indiquei para ver a sinonímia completa de “panaca”, também, discordância não é sinônimo de ofensa pessoal, nem comentar é sinônimo de “pegar carona”. São ambos, por vias transversas, sinônimos de pensar. E continuo esperando a continuação de sua Revolução de Caetés, como o senhor quer, e eu também, sem ofensas. Está difícil ter mais argumentos, não é, professor?

-------
[Parte feita depois e não enviada para publicação]

Isto acima foi enviado para publicação nos comentários do blog. Infelizmente, isto não foi feito. Como envolvia a Lucinha, a avisei. Destemperada como ela só, já colocou no seu Twitter, o fato. Sei que o Roberto tem o direito de publicar só quem ele queira, mas fica chato para ele próprio, cortar um debate pelo meio.

Hoje os comentários tem sequência com o professor já expandindo os seus. Naquilo que me toca, e que mencionei no comentário censurado acima, que foi ele que sempre pegou carona nos meus textos, basta alguém se dar ao trabalho de ir no Blog da CIT e conferir quem está com a verdade. Agora eu digo como sua predileta, a Dilma, pare de tergiversar, professor! O resto diz mais respeito a Lucinha. Embora eu, de antemão, já digo, a li cuidadosamente, e não percebi ela dizer, a prefeita devesse colocar verbas do bolso dela para publicidade. Ela apenas disse que se a verba fosse pública, ela teria que dar satisfação aos cidadãos de quanto gastou.

Mas, num coisa eu concordo com o professor, neste seu último comentário, e sei que ela seria capaz de ganhar, é a sugestão para Lucinha ser candidata a prefeita. Com a palavra a nova gaúcha.

Zezinho de Caetés (Blog da CIT)

--------------
Comentário novo de Lucinha não enviado para publicação no Blog do Roberto

Depois da tréplica vem o que José Fernandes? Este texto e o depois da tréplica. 1. Eu penso que ou eu já estou ficando gagá, ou o José Fernandes se enganou quando falou numa criança chamada MARIA CAROLINA. Eu adora crianças também, mas nunca vi mensagem nenhuma relacionada a este criança. Até gostaria de ver mas não vi. Eu não estava nesta lista, em que ele diz que enviou esta mensagem. 2. Não joguei nenhuma indireta para o José Fernandes, e sim diretas (ia dizer no queixo, mas ele perdeu o senso de humour). 3. Se não é ser o rei da cocada preta quem diz que o oponente está é com ciúme porque ele está publicando noutro blogue, então é da cocada branca ou realmente falta de argumentos. 4. O caso das caronas o Zezinho explica e me justifica no seu comentário que não foi publicado no devido tempo pelo Roberto. Se o Roberto queria evitar bate boca em seu blog não deveria ter postecipado o comentário do Zezinho, e se o fizesse, deveria ter também postecipado o do José Fernandes, pois ele escreveu depois de Zezinho sem saber de comentário anterior (As datas dos comentários indicam o momento em que foram enviados e não o de sua liberação pelo Roberto, que não sabemos quando ocorreu, mas certamente foi depois daquele do José Fernandes). 5. Pode vir para o Blog da CIT quando quiser mas o indefensável é indefensável em qualquer lugar. 6. Quanto a questão do patrocínio, o Zezinho já disse alguma coisa acima, pelo menos para me ajudar ao dizer que nunca escrevi que a Judith deveria pagar publicidade do seu bolso. Disse apenas que, não o fazendo, e sim com as verbas para isto destinadas, não está isenta de prestar contras e ser transparente quando ao valor e destino destas verbas. Ainda não quero ser prefeita, mas também não descarto a hipótese. Se algum dia for direi tim-tim por tim-tim, quanto gastei e como gastei os recursos que me forem confiados.
E aqui quero esclarecer um ponto, se isto for possível. Não sou ainda oposição ao governo da Judith, e ainda não participo ativamente da política em Bom Conselho, a não ser assim, comendo pelas beiradas. Desejo que ela faça um bom governo, porque Bom Conselho merece. Mas, se continuar nesta ciclotimia relativa, de fazer hoje uma coisa, dizer que não fez, ou se arrependeu de fazer, o tempo todo, ela não será reeleita. O que não é um desejo meu, mas apenas o resultado dos últimos tempos da prefeita. Vamos ver amanhã o que ela vai dizer sobre a matéria que vi hoje no Blog do Poeta, sobre a situação da saúde no município. Se ele explicar e responder com fatos novos eu continuo acreditando, mas, creditar isto ao “coronelismo” dos que perderam, seria um injustiça e um erro crasso.

Lucinha Peixoto (Blog da CIT)

-------------
Comentario do Zezinho ao artigo do José Fernandes: Dilma Roussef e Judith Alapenha (leia aqui), dando origem a um comentário do José Fernandes, feito no artigo acima.

Em minha passagem matinal pelos blogs, me surpreendi com um artigo do professor José Fernandes onde coloco este simples comentário. Acostumado a dialogar com ele no Blog da CIT, a surpresa foi pelo o local, e não pela clareza e correção de linguagem sempre encontrada em seus escritos. Infelizmente, sempre encontro algumas questões pequeninas que me fazer discordar dele.

No caso do presente artigo nós concordamos em quase tudo, menos quanto ao que ele diz que “Dilma Rousseff, sofreu e ainda vem sofrendo muitas e muitas hostilidades da parte de pessoas que não a queriam, nem a querem como presidenta da República”. Quanto a ter sofrido hostilidades, eu trocaria o termo por discordâncias, e eu concordo. Agora, quanto a não a quererem como presidente da República, eu só conheço poucas pessoas que se prestam a este papel, um deles é o meu conterrâneo Lula. O homem quer continuar a mandar de qualquer jeito, e a Dilma, coitadinha, está indo na dele. Veja o ministério. Como a Dilma vai tocar o problema da energia neste país com o Lobão Sarney como ministro? E a previdência com o jeca Garibaldi Alves? E mesmo o Guido Mantega, que fingiu se comportar como um cortador de gastos, quando todos sabemos que sua natureza é outra, e só não a exerceu plenamente porque o Meirelles, o responsável pela inflação baixa neste país, não deixou.

Com um ministério destes, apenas volto a dizer o que dizia antes, ela não tem condições de presidir este país na forma que ele merece. Isto não quer dizer que queira que ela não seja presidente, ela é presidente e deve continuar sendo. Uma boa presidente é outra história.

Caro professor, não se pode chamar de “nazifascismo” quem faz oposição. No nazifascismo a oposição, quando havia, era de fachada. Não há nada mais democrático do que oposição. Mas, a grande oposição ao governo de Dilma está ainda desencarnando do poder. Será que desencarnará mesmo?

Para terminar, e meus comentários caberem no excelente Blog do Roberto Almeida, eu citaria uma jornalista que li, também hoje: “... com esses primeiros movimentos o que a Dilma conseguiu na formação dos ministérios é a consolidação de práticas, escolhas, critérios e nomes do que há de mais antigo na política brasileira. Nunca antes um governo nasceu tão velho.

Quanto à prefeita de Bom Conselho, eu não faço nenhum juízo, igual ao meu conterrâneo não me meto na vida de outros municípios, isto é um caso para Lucinha Peixoto.

Zezinho de Caetés – (Blog da CIT)
-----------
Já hoje, em minha visita sagrada ao Blog do Roberto, o José Fernandes, avisando de sua viagem, mostra que os argumentos, já escassos, acabaram de vez. Eu adoro ironias e o José Fernandes, nesta sua (não é mais tréplica, e sim....), é um mestre, como noutros campos. Viu o erro que vem cometendo em defender coisas indefensáveis, mesmo politicamente, ele parou de argumentar e abusa da ironia. Quando acontece isto, eu finjo que acredito para aumentar o meu ego. Da mesma forma como o Zezinho não quer se meter na política de Bom Conselho, eu não quero me meter neste debate de vocês sobre a revolução de Caetés, pois eu preferia discutir a revolução de Bom Conselho, desde quando o Dantas Barreto bateu as botas e disse que não voltaria mais por lá.

Quanto a mim, e penso quanto ao Zezinho, e se sei com pensa o Diretor Presidente, você não precisa voltar ao Blog da CIT, você é do Blog da CIT. Boa viagem, e volte breve, estamos lhe esperando.


Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: