terça-feira, 18 de janeiro de 2011

A Economia Mundial e a Economia Brasileira.





Armínio Fraga Neto é um economista brasileiro. Foi presidente do Banco Central do Brasil de 1 de março de 1999 a 17 de janeiro de 2003 durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Sofreu as crises daquele período, economicamente, tumultuado do seu segundo período, tendo uma larga experiência, quando se trata dos fenômenos monetários de uma economia.

Os Bancos Centrais modernos, nada mais são, em última instância, do que os guardiões das moedas de cada país. Os processos de valorização e desvalorização de nossa moeda são o seu tema de trabalho. O Brasil, de minha geração, conheceu muitas moedas. Real, cruzeiro, cruzeiro novo, cruzado, até chegar ao real, no governo de FHC, e aqueles que nasceram ou começaram a entender do mundo mais recentemente, passaram a ter uma moeda que é digna de se poupar no cofrinho em forma de porco.

A experiência do Armínio Fraga se ampliou com sua passagem para a iniciativa privada, e sempre é uma referência quando são abordados os fenômenos macroeconômicos no Brasil. O vídeo que apresentamos a seguir é uma entrevista dele à jornalista econômica Miriam Leitão, na Globo News, e que primeiro foi postado em seu Blog onde ela abre a entrevista dizendo:

“O Brasil está crescendo, mas a indústria reclama. O dólar está baixo, mas o país bate recorde de exportação. A economia teve o maior crescimento em 25 anos, mas o governo terminou o ano com déficit público e queda do superávit primário. A conjuntura econômica não está nada fácil de entender.”

E toda ela gira em torno da situação atual e das perspectivas para a economia brasileira e mundial.

Não é um tema para os muito leigos. Eu me julgo um pouco leigo e gostei da entrevista, apesar de não entender todas as suas nuances. Como aqui, neste blog já se falou até da existência ou não de Deus, o que é um assunto mais complicado, e teve leitores, por que não publicar uma entrevista como esta?

Queremos agradecer a Lucinha Peixoto, que tem o privilégio de mandar filmes para o YouTube com mais de 10 minutos. O filme a seguir tem mais de 20 minutos, mas tudo vale a pena quando a alma não é pequena. Divirtam-se se puderem.








P.S.: Por um problema técnico, o texto acima não foi publicado, ontem (17.01.2011). Já hoje, obviamente, li que o Banco Central deve aumentar as taxas de juros. Se isto não ocorrer, podem crer, é porque a autonomia deste banco foi para o "brejo". Seria uma pena, pois começaríamos a perder uma das grandes coisas que o Plano Real nos deixou: Nossa moeda.

Zezinho de Caetésjad67@citltda.com

Nenhum comentário: