quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Delírios Petistas




Ontem recebi um e-mail do meu contendor José Fernandes Costa, não para continuar a defender a Revolução de Caetés, mas para mostrar um artigo de um senhor chamado Rui Martins, que se encontra gozando das delícias da civilização européia. O nome do artigo é: “Já é um começo de golpe”. Não sei se o professor é contra ou a favor das ideias nele emitidas. Penso ser a favor, pois quem cala consente.

Ao contrário de outras vezes nas quais cito todo o texto, este do Rui Martins é tão delirante, que merece que eu faça um pastoril com ele, afinal de conta estamos ainda próximo do Natal que passou, e as lapinhas foram queimadas há poucos dias. Então no texto abaixo, onde há azul fui eu quem escreveu e onde há vermelho foi ele. A Diana ficou de fora.

Se você faz parte dos 87% que apoiavam o governo Lula, fique alerta – no mais escondido covil de serpentes e escorpiões trama-se um golpe institucional contra o governo de Dilma, mesmo se esse governo começou com 62% de aprovação popular.

Golpe institucional? O que vem a ser isto? Uma tungada de força no estado de direito em prol de um grupo que não está no governo? Quem? Quando? Como? A falida e amedrontada oposição partidária? Zé Serra, Marina, Plínio ou Eimaiel? Os governadores? Quais? O de Minas, São Paulo ou do Rio Grande do Norte?

Desta vez, ao contrário do golpe de 1964 não se trama nos quartéis com o apoio declarado dos Estados Unidos. A trama é bem mais sutil – não se acena com a paranóia do perigo vermelho, mas com base em pretensos arrazoados jurídicos se quer desmoralizar e desautorizar o ex-presidente Lula e se colocar no ridículo a presidenta Dilma, que será destituída do poder de decisão.

Pela primeira vez na história deste país um golpe será feito a base de arrazoados jurídicos, com a sutileza que os militares em 64 não tiveram, e sem ajuda americana. A Dilma Roussef não será destituída do cargo, mas do seu poder de decisão. Mas isto todos nós já sabíamos. O poder de decisão seria do Lula e do Zé Dirceu e do PT, e não da Dilma. Prá que dar golpe com este objetivo, e já estava nas regras do jogo?

O golpe não parece financiado só por dólares americanos, como no passado, mas igualmente por euros vindos da Itália. Aparentemente trata-se da extradição ou não extradição de um antigo militante italiano, Cesare Battisti, condenado num processo italiano fajuto à prisão perpétua, mas a verdade submersa do iceberg é bem outra.
Quem leu as revelações do Wikileaks quanto as opiniões dos EUA sobre Lula, considerado suspeito, e Celso Amorim, considerado antiamericano, e que acompanhou a campanha contra a eleição de Dilma, sabe muito bem haver interesses de grupos internacionais em provocar uma crise institucional no Brasil.

Isto é a Teoria de Conspiração levada aos píncaros da glória. Chega a ser paranóia. Saem os dólares entram os euros, e a Democracia Italiana, e sua justiça são fajutas, por terem condenado um assassino a prisão perpétuo, enquanto aqui no Brasil nós inventamos a Bolsa Guerrilha, que já beneficiou centenas de esquerdistas neste Brasil a fora. O caso Cesare Battisti é apenas uma das besteiras feitas pelo meu conterrâneo Lula, ao apagar da luzes do seu governo. Sofreremos as conseqüências disto, mas dizer que isto nos levará a um golpe, quem o diz deveria ser tratado como um problema psiquiátrico e não como jornalista.

Será também a maneira de grupos econômicos estrangeiros impedirem a atual emergência do país como potência mundial. A Itália neofascista de Berlusconi com seu desejo de recuperar um antigo militante esquerdista é apenas uma providencial pretexto para os grupos políticos e econômicos internacionais incomodados com o Brasil líder do G-20 e vitorioso contra os EUA na OMC.

Delírios, delírios e delírios. O Brasil como uma potência mundial. Ah! como me ufano do meu país. E por que me ufano do meu país? Líder do G-20 e vitorioso contra os EUA na OMC. O Lula não se levantou para cumprimentar o George Bush, presidente americano. Foi chamado de o “cara” pelo presidente Obama. Vai sediar as Olimpíadas e a Copa do Mundo etc. etc. Quanta bobagem junta. Tantas que preocupam a comunidade internacional, levando a comprar até o Supremo Tribunal Federal e outras instituições que se comprometem a golpear o governo Dilma. Mesmo o Conde Affonso Celso que escreveu a maior patriotada amorosa brasileira disse: “Mas cumpre igualmente que não seja um amor irrefletido e cego, e sim raciocinado, robustecido pela observação, assente em sólidas e convincentes razões.” (Affonso Celso – Porque me Ufano do Meu País).

O que se quer agora, com o caso Battisti, é subverter as instituições brasileiras, mergulhar-se o país numa confusão entre o poder do Executivo e o poder do Judiciário, anular-se uma decisão do ex-presidente Lula para se abrir o caminho a que governança do Brasil seja sujeita à aprovação do STF. Para isso conta-se, como em 1964, com os vendilhões da nossa soberania e com os golpistas da grande imprensa.

Se o caso Battisti, foi o maior fiasco de fim de festa do governo de Lula, agora sua revogação seria um ato de subversão. Agora estamos ameaçados de golpe pela instituição máxima em relação à lei deste país. Se o Supremo Tribunal revogar sua própria decisão de delegar ao Lula poderes para extraditar ou não o criminoso italiano, talvez seja um tribunal esquizofrênico, mais ainda estaria cumprindo suas tarefas. Embora eu pense que STF é doente pela nomeação e aprovação de seus ministros serem de responsabilidade do presidente da república. Quando o presidente é doente. Em minha opinião, o STF é uma instituição tão importante para o Estado de Direito, que deveria ter seus membros também escolhidos pelo escrutínio popular. Talvez não estivéssemos sofrendo agora a vergonha de nos tornarmos o lugar mais seguro para escapar da leis de outros países. Desde ladrão de trens pagadores a carrascos nazistas, passando por criminosos comuns, manteremos nossas tradições históricas de servimos de cadeias para marginais e degredados.

Simples e prático, para se evitar que a presidente Dilma governe, vai se tentar lhe por um cabresto e toda decisão sua que desagrade grupos internacionais deverá ser anulada pelo STF. Por exemplo, a questão da exploração petrolífera do pré-sal poderá ser uma das próximas ações confiadas ao STF.

Será que o Rui Martins está falando do “bilhete premiado” da Dilma? O pré-sal, a ilusão do século. Ah! Se isto fosse verdade?! Hoje já se briga pelo dinheiro do pré-sal, fazendo dívidas que podem não serem pagas, porque o bilhete pode ser falso. Não há garantia nenhuma que seja economicamente viável a exploração das reservas do petróleo, àquela profundidade. Lidamos com uma loteria de para onde vai este planeta daqui a 20 anos.

Se Dilma quiser renacionalizar as comunicações, já que a telefonia é questão estratégica, o STF poderá dizer Não e também optar pela privatização da Petrobras. Delírio? Não, os neoliberais inimigos de Lula e da política nacionalista, derrotados nas eleições, poderão subrepticiamente retirar, pouco a pouco, os poderes da presidenta e do Legislativo, para que fique apenas com o STF o governo ou o desgoverno do Brasil.

Aqui o Rui chega ao ápice da loucura ou ao fundo do poço da sensatez. O Brasil governado pelo STF. Já tivemos os militares várias vezes, ditadores civis, juntas civis e militares, sindicalistas e agora teremos o STF. A que chega a falta de ideias e o excesso de letras. Embora, pensando por outro ângulo, renacionalizar as comunicações seria uma coisa ótima para os rábulas como o Tarso Genro, pois ele poderia manter Battisti no Brasil e não haveria nenhum blogueiro independente para dar a notícia, e o telefone voltaria a ser um bem de luxo.

O próprio advogado de Cesare Battisti, acostumado com leis e recursos, nunca viu uma decisão presidencial ser posta em dúvida por um ministro do STF, e por isso falou em « golpe » tal como havíamos alertado.

Desde que a decisão não seja um crime que só prejudica nosso país em suas necessárias relações com outros países. No Brasil mesmo o impeachment é passível de recorrer ao supremo, se o processo contiver falhas graves, mas com a maioria parlamentar alardeada pela presidenta, e seria impossível. Então, quem está pregando o golpe é o senhor Rui, pois parece está pedindo o fechamento do STF. Nem Chaves conseguiu tanto.

Por sua vez, o atual governador do Rio Grande do Sul, que aceitou o pedido de refúgio de Battisti quando ministro da Justiça, não aguentou a decisão do ministro Cezar Peluso do STF de colocar em, questão a validade da decisão do presidente Lula e declarou como « ilegal » e « ditatorial » o ato do ministro Peluso, do qual decorre um « prejuízo institucional grave » para o país e um « abalo à soberania nacional ».

Aqui, de tanta besteira junta, eu pulo para o próximo parágrafo.

Faz dois anos, Tarso Genro concedeu refúgio a Battisti, que deveria estar em liberdade desde essa época. Mas o ato liberatório foi sustado pelo ministro Gilmar Mendes, que submeteu a questão ao STF, o que já consistia um ato arbitrario. Embora os ministros tenham decidido por 5 a 4 pela extradição, competia ao presidente a decisão final, o que foi reconhecido, depois de uma tentativa de reabertura do julgamento.

Então o supremo que quer dar o golpe, ao invés de decidir, coloca a decisão nas mãos do presidente, o homem está doido mesmo.

O presidente Lula justificando seu ato, dentro do permitido pelo Tratado mútuo de Extradição entre Brasil e Itália, com base num documento da Advocacía Geral da União, negou a extradição e a própria Itália entendeu o ato como definitivo. Ora, a decisão do ministro Cezar Peluso de pôr em dúvida a decisão do presidente Lula e reabrir a questão vai além de sua competência e fere uma decisão soberana.

Diante da calamitosa decisão do presidente, de no finzinho do seu governo (talvez tenha sido durante a festa do final de ano, prá ninguém ver), de não extraditar o assassino italiano, o STF recobrou a lucidez, depois de alguns “tarjas pretas”, e , para o bem do Brasil, pode rever sua decisão. Quem sabe neste momento os ministros tenha pena deste pobre país, que nasceu com degredados e isto tem que acabar.

É tentativa ou já é golpe, no entender do advogado Luiz Roberto Barroso, é ilegal e ditatorial segundo o ex-ministro da Justiça Tarso Genro, opiniões que vão no mesmo sentido de Dalmo Dallari e de outros juristas.

Uma decisão do STF, o poder que julga se a lei é legal, por ver se ela se coaduna com a lei maior que é a Constituição, só na cabeça de golpistas, que se sentem mal num Estado de Direito Democrático. Um país, cujo presidente passar por cima de decisões do STF é que é golpista.

O que iremos viver, quando o ministro Gilmar Mendes se dignar a colocar na agenda do STF o « julgamento da decisão do presidente Lula », se a maioria, por um voto que seja, decidir anular a decisão de Lula ? Será que a presidenta Dilma aceitará essa intromissão do STF no poder do Executivo ? Em todo caso, será o caos.

Se a Dilma cumprir o que prometeu em sua campanha, discurso de posse e na formação do seu governo até agora, o que ocorrerá simplesmente é o envia de um assassino para a prisão. E os eu comportamento até hoje, é como se dissesse, esqueçam o que eu fiz, ditadura não presta, e democracia é melhor.

É hora de reagir, antes que seja tarde demais.

Nisto eu concordo com o Rui. Não contra o que ele quer reagir, mas reagir no sentido de desmistificar este discurso de PILA extremado, quando o Brasil precisa é de manter sua democracia funcionando, para o bem do seu povo.

Zezinho de Caetésjad67@citltda.com

2 comentários:

PETRÔNIO DA COSTA AVELLAR disse...

Com todo o respeito que o cidadão José Fernandes da Costa merece, porém, há de convir, que sofre de algum problema de esquizofrenia. QUANTO AO RUI MARTINS, JÁ DEVERIA ESTAR INTERNADO. ESSES DOIS CIDADÃOS NÃO APENAS SÃO SIMPATIZANTES DO LULA E DA DILMA, MAS ALUCINADOS POR ELES. PELO ANDAR DA CARRUAGEM O ZÉ FERNANDES CORRE O RISCO DE SER SUBMETIDO A UMA CAMISA DE FORÇA E SER PRECISO INTERNÁ-LO TAMBEM.

José Fernandes Ccsta disse...

O espantoso é que eu somente enviei o artigo desse visionário Rui Martins. - E o Zezinho já me prejulga, dizendo que eu concordo, porque "quem cala, consente".
E, para piorar, ainda vem um comentarista aloprado e joga sobre mim as acusações que ele bem quer e entende. - Repudio, veementemente, o comentário desse Avelar não sei das quantas. Se você, Avelar, é admirador das bobagens do Zezinho, fique com elas e com ele. Siga o seu caminho que eu sigo o meu./.