sábado, 29 de janeiro de 2011

Despedida do TREMA




"Estou indo embora. Não há mais lugar para mim. Eu sou o trema. Você pode nunca ter reparado em mim, mas eu estava sempre ali, na Anhangüera, nos aqüiféros, nas lingüiças e seus trocadilhos por mais de quatrocentos e cinqüenta anos.

Mas os tempos mudaram. Inventaram uma tal de reforma ortográfica e eu simplesmente tô fora. Fui expulso pra sempre do dicionário. Seus ingratos! Isso é uma delinqüência de lingüistas grandiloqüentes!...

O resto dos pontos e o alfabeto não me deram o menor apoio... A letra U se disse aliviada porque vou finalmente sair de cima dela. Os dois pontos disse que eu sou um preguiçoso que trabalha deitado enquanto ele fica em pé.

Até o cedilha foi a favor da minha expulsão, aquele C cagão que fica se passando por S e nunca tem coragem de iniciar uma palavra. E também tem aquele obeso do O e o anoréxico do I. Desesperado, tentei chamar o ponto final pra trabalharmos juntos, fazendo um bico de reticências, mas ele negou, sempre encerrando logo todas as discussões. Será que se deixar um topete moicano posso me passar por aspas?... A verdade é que estou fora de moda. Quem está na moda são os estrangeiros, é o K, o W "kkk" pra cá, "www" pra lá.

Até o jogo da velha, que ninguém nunca ligou, virou celebridade nesse tal de Twitter, que aliás, deveria se chamar TÜITER. Chega de argüição, mas estejam certos, seus moderninhos: haverá conseqüências! Chega de piadinhas dizendo que estou "tremendo" de medo. Tudo bem, vou-me embora da língua portuguesa. Foi bom enquanto durou. Vou para o alemão, lá eles adoram os tremas. E um dia vocês sentirão saudades. E não vão agüentar!...

Nos vemos nos livros antigos. saio da língua para entrar na história.

Adeus,
Trema."

Recebi a alguns dias a mensagem acima, através da amiga Maria Caliel, mostrei ao Zezinho e ele disse que tinha visto também e que achava a mensagem muito criativa e que poderia ter sido escrita pelo José Fernandes, seu desafeto em matéria de Reforma Ortográfica, pois ele é que sente saudade do trema. Eu não quero me meter nesta questão, mas, também sinto saudade do trema.

No entanto, o de que sinto mais saudade é o acento de idéia. Como meu processador de texto ainda é “das antigas”, sempre que conserto o acento de minha idéias, fica um risco vermelho em baixo. E, como vocês sabem, fora o encarnado do pastoril, o que é vermelho é um risco, a bandeira do PT que o comprove. Vai ver, o José Fernandes tem razão quando diz que esta reforma foi só para encher as burras de dinheiro das editoras e para complicar a vida da estudantada. São os ossos do capitalismo. Se todos queremos ser desenvolvidos, temos que passar por ele. Não adianta vir com discurso de Socialismo de Suape, tão bem adotado pelo D. Eduardo, pois teremos que passar por esta etapa, antes de qualquer sonho de um socialismo autêntico.

Hoje o PV está no governo, com acento e com “trema”, isto é, tremendo de medo que o Daniel Coelho esteja certo ao pedir pelo menos alguma evidência de que o governo não destruirá ainda mais nossa costa do que o que já foi feito. Eu também acho que a promessa dos 15 pontos verdes não vale um “trema”, ou um acento na boléia, vai acabar em menos de quatro anos.

Já tem alguém perguntando se estou maluca, e o que tem a ver isto com a Despedida do Trema. Eu direi: Vejam homens e mulheres de pouca fé! Bem que o texto acima pudesse se transformar em:


Despedida do PT

Estou indo embora. Não há mais lugar para mim. Eu sou o PT. Você pode nunca ter reparado em mim, mas eu estava sempre ali, no Mensalão, nos Sanguessugas, nos Delúbios, nos Zé Dirceus e seus apaniguados por mais 8 anos.

Mas os tempos mudaram. Inventaram uma tal de reforma democracia e liberdade de imprensa e eu simplesmente tô fora. Fui expulso pra sempre do Brasil. Seus ingratos! Isso é uma delinqüência de políticos grandiloqüentes!...

O resto dos partidos e o povo não me deram o menor apoio... A Dilma se disse aliviada porque vou finalmente sair de cima dela. O Lula disse que eu sou um preguiçoso que trabalha deitado enquanto ele fica em pé.

Até o PMDB foi a favor da minha expulsão, aquele cagão que fica se passando por democrata e nunca tem coragem de iniciar uma reforma. E também tem aquele obeso do Jefferson e o anoréxico do Marco Maciel. Desesperado, tentei chamar os militares pra trabalharmos juntos, fazendo um bico no Ministério da Defesa com o Genoíno, mas o Jobim negou, sempre encerrando logo todas as discussões. Será que se eu virar PT-do-B posso me passar democrata?... A verdade é que estou fora de moda. Quem está na moda são outros, O PMDB incoloiado com Dilma, o PSB chafurdando com o Eduardo, e até o DEM paquerando qualquer sobra.

Até o jogo de empurra, que ninguém nunca ligou, virou celebridade nesse tal de Twitter, que aliás, deveria se chamar PTwitter. Chega de argüição, mas estejam certos, seus moderninhos: haverá conseqüências! Chega de piadinhas dizendo que estou "tremendo" de medo. Tudo bem, vou-me embora do Brasil. Foi bom enquanto durou. Vou para o Senegal, lá eles adoram o Lula e PT. E um dia vocês sentirão saudades. E não vão agüentar!...

Nos vemos nos livros antigos. saio do Brasil para entrar no Senegal.

Adeus,
PT

Depois deste esforço todo eu fiquei me perguntando: Por que não fiz a Despedida do Lula? Cansei. Façam vocês.


Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

3 comentários:

Altamir Pinheiro disse...

TANTO O TREMA(..) QUANTO O HÍFEN(-), QUALQUER UM DELES É O "XUMBREGO" DA LÍNGUA PORTUGUESA.

Gislene disse...

A despedida do trema é de autoria de Lucas do Nascimento Silva

Lucinha Peixoto disse...

Gislene, obrigada pela informação e obrigado por acessar o Blog da CIT.

Lucinha Peixoto