terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Voltei Recife




Sempre seria uma alegria renovada voltar para o Recife, se o PT do João da Costa não estivesse enquistado em sua prefeitura. Oh! cidadezinha suja está esta, meu Deus! É o jeito petista de governar. Quanto mais sujeira, mais doenças, menos educação, mais miséria para combater para o discurso não perder a validade.

O poste eleito, agora, está lançando a imagem de presidenta “gerentona”. Segundo o Alexandre Marinho, a quem cumprimento pela sua volta à atividade blogueira, a presidenta deve copiar o D. Eduardo em sua forma de gestão. Tenho que dizer que ele só consegue isto porque traz o PT na rédea curta aqui no Estado, e não tanto na prefeitura. Governa com o único Partido Socialista do mundo, que é mais capitalista do que o DEM. O poste não pode colocar rédeas curtas no PT em nível nacional. O Lula teve a ajuda do PMDB prá fazer isto, mesmo assim vejam a herança que ele deixou para o poste, que ele carregou por muito tempo. Dentro de quatro anos o Brasil será um grande ENEM.

Li no Blog do Poeta, lá de Bom Conselho, que ele está organizando um Encontro de Blogueiros. Deixou a jumentinha de lado e agora quer juntar os blogueiros e faz uma relação deles sem citar o nosso Blog da CIT. É como se fizesse uma reunião de ex-presidentes e não chamassem o FHC, ou o Lula, ou mesmo o Fernando Collor. Podemos ter alguma diferenças e antipatias por eles, mas não podemos negar o que eles são. Tenho certeza que foi um lapso do poeta. Deve ter feito a lista enquanto estava poetando para o nosso deleite. Mas, pegou mal. Quero ver se o Diretor Presidente vai aguentar esta calado.

Mesmo diante de tantos problemas, estou na minha segunda “pátria”, o Recife. Terra quente, úmida, suarenta, mas, bonita e hospitaleira. Vim num vôo internacional, destes que fazem aqui escala para gringo cair no frevo e dentro de 15 minutos seguir viagem, sem ver o lixo. Logo ali tive contacto com o frevo. Aquelas meninas que parecem ter corpo de borracha, segurando suas sombrinhas coloridas e o maior frevo no pé. Todos sabem que elas estão ali para ganhar a vida e que, quando vão para casa sua realidade é outra, mas, pior se não pudessem exercer esta atividade, tão digna como outra qualquer.

Sempre que retorno lembro do frevo do Luiz Bandeira, que já foi tema de campanha de tantos políticos, que fica difícil não lembrar do Joaquim Francisco, agora mais um socialista de fancaria. Nem sei se ele ganhou ou perdeu. Já havia perdido quando mudou tanto de cor. Mas o frevo diz: (Vejam o vídeo também).

Voltei, Recife
Foi a saudade
Que me trouxe pelo braço
Quero ver novamente "Vassoura"
Na rua abafando
Tomar umas e outras
E cair no passo

Cadê "Toureiros"?
Cadê "Bola de Ouro"?
As "pás", os "lenhadores"
O "Bloco Batutas de São José"?
Quero sentir
A embriaguez do frevo
Que entra na cabeça
Depois toma o corpo
E acaba no pé

Eu, nesta altura da vida não tenho mais pé para o frevo acabar nele, mas que ainda dou uma sacudinha ainda, isto eu dou. Ninguém fica parado. Aliás, hoje, como sempre, que está parado é o poste, nenhuma luz até agora, só jogo de cintura ensinado pelo “carregante”, que vai para o Senegal. Deus o tenha por lá.


Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

Um comentário:

Altamir Pinheiro disse...

ENQUANTO A LUCINHA ENSAIA OS PASSOS DO FREVO VASSOURINHA, O SEBOSO JÁ DECOROU O REFRÃO DO

-SÊ, SÊ, SÊ, SENEGAL;

-SENE SENE SENE SENE SENEGAL;

-DIZ POVÃO SENEGAL REGIÃO;

-SÊ, SÊ, SÊ, SENEGAL...