quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Ao RONALDO CÉSAR




Para um bom esclarecimento dos fatos, vou começar transcrevendo meu comentário, feito no Blog do Ronaldo César (RC) e que pode ser visto aqui no original, ou leia transcrição abaixo:

“Eu, raramente estou lendo este Blog do Ronaldo César. Muito menos me aventuro a fazer qualquer comentário nele, e ele deve dar graças a Deus. Não dá tempo. Pois quando acabamos de ler as propagandas, nossa vista já está cansada. Hoje vi esta postagem sobre o caso do Dom Moura e vou arriscar fazer um. Mais por dois comentários que fizeram do que pelo texto em si, que como diz o primeiro comentário, não diz muita coisa. Será o Ronaldo César do PSDB? Pelo menos, em relação ao texto concordo com o senhor Frederico Jorge Caldas, parece que sim.

O Ronaldo César (RC) diz que existem blogs informativos e de opinião. Eu concordo, como acho que o dele tenta ser apenas informativo, visando exclusivamente o lucro. Nada contra. Pelo jeito ele estava torcendo para que as coisas não chegassem a este ponto. Tudo devia ficar como antes no quartel de abrantes. Ora, se o Altamir já falava e ninguém dava atenção foi preciso que alguém, não necessariamente melhor jornalista do que o Altamir, colocasse as coisas ruins no ar. O Roberto Almeida cumpriu sua obrigação como jornalista e, tenho certeza, o povo de Garanhuns vai sair ganhando. Alguns perderão, mas isto é a vida... Mas, o Ronaldo César, certamente, não perderá nada.

Um outro comentário é da Telma, quem, de vez em quando discorda de mim. Hoje eu vou discordar dela primeiro. Os blogueiros devem se unir em torno da verdade dos fatos e não sob quaisquer pretextos. Eu sou blogueira a algum tempo, de um blog com “sotaque local”, como diz o RC, e só me uno neste caso. Se amanhã, tudo for esclarecido e a Dr. Emília, realmente, não tiver nada com isso, parabéns para ela. Agora se eu fosse ela, nunca mais cruzaria a porta do PSB. Quando até o RC consegue emitir uma opinião dizendo que este partido está capengando na cidade, é por que a coisa está feia.

Lucinha Peixoto (Blog da CIT)”

Após este comentário, não gentilmente publicado pelo Ronaldo César (RC), ele me honra com uma postagem, a mim dedicada (leia aqui). Quando vi na A Gazeta Digital, sua publicação (página, Deu nos Blogs), quase desmaio de emoção. Ainda não sabia se era de um boa ou má emoção, mas o que importa? Viver é ter emoções, e quanto mais fortes, mais vida...

Leiam esta postagem, a qual comento, fazendo igual a Zezinho de Caetés, que inventou um tal de “pastoril”, que é muito útil. Não sei porque o Zezinho não entra na política de Caetés. Quem sabe ele mudaria de pseudônimo para Zezinho da Luz? O cara é uma inteligência. Então vamos ao pastoril do RC. Onde estiver de vermelho, foi o RC que escreveu. Em azul, sou eu.

A Lucinha Peixoto

Eu havia resolvido deixar de fazer posts respondendo a comentários de alguns leitores quando eles tentam denegrir a imagem deste blog e a minha pessoa, preferiria não publicar, como aliás, temos feito, mas não posso também deixar de fazer algumas observações devido a um posicionamento de cautela no caso do Hospital Dom Moura.

Tenho certeza de que o RC não está se referindo ao meu comentário quando escreve sobre “denegrir o blog”, e muito menos a pessoa dele. Basta ler. Então não foi por este comentário que o RC voltou a responder comentários.

O fato de dar crédito ao trabalho dos profissionais de imprensa Roberto Almeida e Pereira Filho, não quer dizer obrigatoriamente que os acusados pelas denúncias já sejam culpados, pois começa agora o trabalho do Ministério Público. É esta a observação feita no post anterior, e criticada.

Eu não critiquei o RC pelo óbvio. Ou seja, nunca disse que quaisquer das partes sejam culpadas, no sentido que ele fala, da entrada do Ministério Público no caso. Caro RC, por este caminho ainda temos uma longa jornada. Os advogados que me ajudem, mas penso ter ainda juiz, várias instâncias, e querelas jurídicas de toda ordem. Já pensou se os jornalistas deste país estivessem ainda esperando a sentença no caso do mensalão, para se manifestar, inclusive emitindo opiniões sobre o caso. Tenho certeza que hoje o presidente do Brasil, seria o Zé Dirceu. Deus salve a imprensa.

Do ponto de vista político e administrativo, os culpados aparecem muito antes, e neste caso eu não sei o suficiente para julgar, nem como blogueira, pois estou muito longe dos fatos, e também, não conheço bem a política na cidade de Garanhuns. Isto é um função do jornalismo local, e o Roberto e o Altamir e outros que você cita, cumpriram sua obrigação. Se há uma crítica que faço ao RC, é ele dizer que isto já se falava há muito tempo, pelo Altamir, e como ninguém deu bola e muito menos ele, ninguém deveria ter dado bola. (“Bem, é bom dizer que o burburinho sobre irregularidades é antiga, e poderia ter sido evitada (sic) que se chegasse a esse ponto. O blogger Altamir Pinheiro já fazia as acusações em novembro do ano passado. Porém somente agora ganhou esta repercussão.”Postagem anterior do RC).

Caro RC, ser informativo, jornalisticamente, é uma coisa, ser inativo é outra. O que o Altamir e o Roberto, e outros fizeram, foi serem informativos, quanto ao “burburinho”, serviram ao povo e geraram outro “burburinho”, enquanto outros blogs, ficaram esperando o “burburinho” passar, e o seu, só “deu fé” disto, dias depois. O que posso dizer é que eles serviram mais ao povo de Garanhuns do que você com sua cautela.

Outra coisa, eu não entendo porque incomoda tanto algumas pessoas o fato de que possamos ganhar dinheiro com blogs. E a Lucinha critica isso já no começo de suas palavras. Ora, todo mundo trabalha e ganha seu dinheiro, para quem mexe com comunicação a remuneração vem de contratos publicitários. Naturalmente. Qualquer que seja, TV, jornal, rádio e outros meios de comunicação. Não estamos roubando nem forçando as pessoas a acessarem nossos blogs, e em especial este, o qual temos mantido há quase dois anos de dedicação. E pelos resultados sempre satisfatórios (nunca tivemos tantos acessos como atualmente) acho que as pessoas gostam de estar aqui com a gente.

Muitas pessoas gostam. Eu não gosto do formato do seu blog. Dizer isto, e dizer que sou contra a se ganhar dinheiro com blogs, é uma argumentação, no mínimo capciosa. Existem blogs que tem muito mais acessos do que o do BC, sem serem tão poluídos visualmente igual ao dele. Um bom designer resolveria isto. A mania de colocar penduricalhos para fazer propaganda já está fora de moda há muito tempo. Alguém já tentou chegar até ao arquivo do Blog do RC? Tentem, e verão o que estou dizendo. Se o o blog é informativo como ele diz e tem tanta audiência, já está na hora de ganhar dinheiro sem forçar tanto o leitor a este monte de propaganda, dando-lhe um melhor visual. Pois se não o fizer você perderá clientes, e seu objetivo maior não será atingido. Eu desejo que o RC ganhe muito dinheiro e que seja feliz, mas lembre de suas obrigações jornalísticas, que vão além dele.

Dispomos o blog de graça no computador de qualquer pessoa que queira a informação sob nossa ótica. Será que ainda assim, a pessoa ainda tem o prazer da crítica depreciativa? Não entendo. Tem todo o direito de não acessar. Os sites que não gosto também não acesso, mas nem por isso vou denegrir ou criticar o trabalho de ninguém.

Criticar sim, denegrir não. Entramos na semântica e estou sem vontade de levantar e pegar o dicionário. Mas quem quiser que o faço e entenda o que eu digo. O que queria o RC? Que todos os seus leitores se ajoelhassem aos seus pés e agradecessem o seu desprendimento em fornecer a eles informação gratuita? Pelo o escrito, parece que sim. Eu sinto muito mas não tenho a ótica do RC, para fazer isto. Leio seu Blog de quando em vez, e sei que isto não é de graça, nem para mim nem para ninguém. Eu gosto muito de novelas de TV, mas, jamais, agradecerei à Rede Globo pelo seu desprendimento de oferecê-las a mim de graça. Deus sabe quantos palavrões (não tão pesados quanto os do "guerrilheiro") eu falo contra as propagandas, e mesmo contra o conteúdo das novelas. Eu sei que estou pagando por isso no preço dos produtos, assim como os leitores do RC também estão. Zezinho está me soprando aqui uma frase não sei de quem: “Não há almoço grátis”, e muito o menos o Blog do RC. Eu não critico a Rede Globo por ganhar dinheiro, mas tudo tem um limite social e visual que cada um de nós é que deve decidir, mas nunca deixar de criticar, pela sua pseudo gratuidade.

Mas tem mais. As pessoas querem que emitamos juízo a respeito do caso Dom Moura. Mas quem tem esse poder no momento é o Ministério Público e mais na frente a própria justiça. Não é questão de escolher lado. É claro que Roberto Almeida tem credibilidade e confio em suas palavras, mas são acusações que precisam ser referendadas na justiça, e ele foi apenas o porta-voz de algumas denúncias, através do seu blog. Aliás, nem chegou a citar nomes. Agora cabe ao promotor levar adiante a investigação.

Mais um vez o RC confunde as coisas. O jornalista não necessita formular juízos de valor sobre caso nenhum, a não ser que queira. Ele tem é que noticiar o que soube e que acredita que podem serem fatos, que provoquem outros fatos e que de uma forma ou de outra afetam a sociedade. O Altamir fez isso, o Roberto fez isso, e quando fizeram acreditavam que “onde há fumaça há fogo”, mesmo que eles possam se queimar. Isto é que se chama coragem jornalística, e não irresponsabilidade. Se a justiça vai decidir isto daqui a 10 anos pouco importa. Geraram fatos políticos e administrativos que afetam a sociedade como qualquer outra informação. Sei que este tipo de comportamento pode, algumas vezes, levar a perda de algum patrocinador, e se ganhar menos dinheiro, mas isto são os ossos do ofício, pelo menos de quem é blogueiro com o espírito de jornalista, e não só de empresário. Embora, volte a repetir, não tenho nada contra. Mas, cada um no seu quadrado, e eu gosto mais do outro quadrado, onde não está o Blog do RC.

Mas há ainda que ser provado, e é este o sentido da justiça. Isto não é ficar em cima do muro, é a lógica do direito, para qualquer cidadão. Ou já devem todos aqui serem considerados culpados de algo que ainda está na ouvida do Ministério Público?

O que o RC propõe é que esperemos a decisão da justiça para darmos nossa opinião. Isto não é ficar em cima do muro. É ficar vagando pelo espaço sideral de uma justiça onde não existam pessoas reais, fatos reais, jornalistas, políticos, administradores, e outros que nos lembram que vivemos na terra. E melhor será, se nessa espera etérea o RC continue a ganhar seu dinheiro, como bom empresário que é. Ele tem todo direito de agir desta forma mas, não diga que alguém que o critique por isto está denegrindo o seu trabalho. Ele que fique lá com seus milhões que eu fico com os meus tostões.

Afirmei que considerei um erro do PSB buscar desqualificar aqueles que levantaram as suspeitas, pois o correto agora seria atacar as acusações, e acho que levar para o campo político/partidário é desviar o foco das questões administrativas.

Não acho inteligente bater de frente com profissionais de imprensa com grande repercussão e credibilidade como Roberto Almeida e Pereira Filho.

Eu já não tenho este problema. Só tenho a perder os meus tostões. E baterei de frente com qualquer um de quem discorde, ou se souber que eles não estão sendo bons profissionais da imprensa, o que neste caso não se aplica, porque, pelo menos o Roberto e o Altamir foram exemplares. Já o mesmo não posso dizer do RC, no seu blog. Espero que ele não bata tão forte em mim porque não estou sendo tão inteligente, e o meu peso é muito pequeno para resistir a uma batida frontal. Mas, quem falou mesmo em “morrer pela causa e viver sem razão”?

Sempre defendi a união dos blogueiros para defesa e garantia de direitos, pois estamos sempre propensos a dificuldades jurídicas. Neste caso, tanto Roberto Almeida quanto Altamir Pinheiro foram ameaçados e isto é um alerta à necessidade de discutir esta categoria.

E que aqui se comece uma discussão da categoria. As dificuldades jurídicas, todos temos. Eu prezo mais a dificuldade das centenas de pessoas que foram demitidas do Dom Moura, por motivos políticos, e dizer isto como fez o Altamir, do que esperar 10 anos para mostrar que o Conde Eduardo errou em admitir este procedimento por parte de seus subordinados. A esta época ela já pode ser presidente da República, e só pode ser julgado pelo Congresso ou pelo Supremo, aí são mais 10 anos. Eu já morri, o RC talvez não, é muito jovem, mas já estará rico. E começar um “corporativismo blogueiro” para evitar a justiça é demais. Já chega nosso Congresso.

Quanto a Lucinha Peixoto, obrigado por voltar ao nosso blog. Como sei que adora o contraditório e as discussões prolixas...

De nada, caro RC. Quem não adora o contraditório corre o risco de ficar na mesma. Já a prolixidade é um vício que me persegue desde a infância. Mas, estou lutando contra, escrevendo no Twitter, siga-me.


Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

6 comentários:

Altamir Pinheiro disse...

..........Já pensou se os jornalistas deste país estivessem ainda esperando a sentença no caso do mensalão, para se manifestar.......... A LUCIDEZ E A SAGACIDADE DESSA INTELECTUAL TEM UMA DESTREZA MENTAL IMPRESSIONANTE!!!

BLOG CHUMBO GROSSO disse...

..........Eu desejo que o RC ganhe muito dinheiro e que seja feliz, mas lembre de suas obrigações jornalísticas, que vão além dele.......... E COMO VÃO!!! AFINAL DE CONTAS, O JORNALISMO TEM FUNÇÃO SOCIAL ANTES DE SER UM NEGÓCIO...

Ronaldo Cesar disse...

Não acredito que o nobre companheiro blogueiro Altamir Pinheiro e a Lucinha Peixoto venham criticar o blog que primeiro abriu espaço para o guerrilheiro expor suas denúncias. Era ainda o mês de novembro de 2010, e o Blog do Ronaldo Cesar, agora criticado por estas figuras, já antecipava as acusações, dando ênfase ao próprio Altamir. É, como diria o próprio Altamir, cuspir no prato que comeu. Vejam o link.
Quanto a Lucinha, sinceramente, não sei o que fiz a esta pessoa, que nem a conheço, para receber este tratamento. Continuarei meu trabalho, com a dedicação e o zelo que sempre tive.
http://blogdoronaldocesar.blogspot.com/2010/11/altamir-pinheiro-detona-administracao.html

Altamir Pinheiro disse...

JAMAIS O CRITIQUEI MEU PREZADO RONALDO. MUITO PELO CONTRÁRIO, SOU UM ADMIRADOR SEU, PRINCIPALMENTE NO TOCANTE AO CAMPO CULTURAL, VÁ EMENDAR OS BIGIDES LÁ COM A LUCINHA, COMIGO MESMO NÃO. APENAS DIGO, REPITO E NÃO DISDIGO:"O JORNALISMO TEM FUNÇÃO SOCIAL ANTES DE SER UM NEGÓCIO."

Lucinha Peixoto disse...

O meu neto é uma graça. Tem 2 anos e alguns meses e apronta muito. Como apronta! Ultimamente, quando ele faz cocô, fica ali quieto, desconfiado, como se tivesse feito alguma coisa errada. Ele não sabe que o cocô dele fede muito e as pessoas que estão por perto começam a senti-lo, e não tem jeito, temos que partir para limpar aquela sujeira.

Não seria nada de mais, se ele não odiasse que o limpassem, tirassem seu cocô e mudassem suas fraldas. Eu sinto um dó enorme ao fazer isto, porque ele, naquele seu linguajar infantil diz, quase chorando: “Vó, o que eu fiz a você para você me tratar assim?” Parece que ele está morrendo naquela hora. Eu como avó coruja que sou, ficou mudando suas fraldas e tentando dar explicações do meu ato.

“Meu queridinho da vovó, tenho que fazer isto para o seu bem. Ninguém aguenta o seu cocô, ele fede muito e todo mundo reclama. Não posso deixar que os outros sofram as consequências pelo que você produz. Mesmo que isto me doa o coração. Se você fez cocô, alguém tem que limpar. Alguns podem até suportar seu cocô, por não gostar de ver você chorar, mas, você verá que isto é para o bem de todos.”

Quando termino de trocá-lo, já cheirosinho, ele olha prá mim e parece querer dizer:

“Vó, não sei o que fiz a você para receber este tratamento!”

Eu olho prá ele penalizada e penso em dizer, mas não o faço:

“Você fez cocô, meu filho!”

E no outro dia é a mesma coisa. Mas, ele é jovem e vai entender, que enquanto ele não crescer e aprender a usar o piniquinho temos que mudar suas fraldas. Mas, sei que ele não entende ainda.

Lucinha Peixoto (deste Blog)

Frederico Jorge Caldas disse...

Nos cafés e bares da cidade já corre o boato e toda a blogosfera de Garanhuns tem conhecimento do chove e não molha, da frouxidão e do faz que vai(não entra em bola dividida) do Ronaldo Cesar. Conhecemos já as suas manias, mugangas e tiradas. Quase sempre é: não viu, não sabia, não fez e nem muito menos aconteceu. Ronaldo Cesar sempre foi adepto da isenção plena e irrestrita dos assuntos quentes e agitados que correm nos noticiários de Garanhuns e do Agreste Meridional. Jornalisticamente se expressando sempre se comportou como um almofadinha.