segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Deixa prá lá




Neste último fim de semana, entre uma e outra ida à internet, encontrei no Blog do Maurício Ricardo a charge abaixo. Ri, como boa noveleira e resolvi publicá-la aqui para proporcionar aos meus leitores uma sessão de relaxamento espiritual.

Eu, como minha mãe, “descanso carregando pedras”. Mas, desta vez joguei as pedras todos em blogueiros que se fingem de jornalistas para ganhar dinheiro. Fiquei com algumas ainda, mas gostaria de não usá-las. Deixa prá lá.

Hoje é dia de missa e de confissão. Não me sinto muito carregada de pecados. Os que cometi, no último mês, foram todos perdoados, com penitências antecipadas, como a de ouvir dizer que o Vicentinho agora é um neoliberal extremado. Sofri tanto com isto, que todos os meus pecados caíram pela metade. Eu que pensei que quem tem a língua presa não pudesse entrar no PSDB. Deixa prá lá.

Pior. Soube que o PMDB, até que enfim, uniu-se em torno de uma causa. Já não era sem tempo. Os lutadores pelo restabelecimento da democracia no Brasil agora estão unidos. Todos votarem a favor de um salário mínimo menor. E dizem que no senado esta união já está em andamento. O Pedro Simon desistiu de sua aposentadoria como governador e desistiu de fazer oposição ao governo da Dilma. Parece até alguém que conheci um dia, viu rabo de saia, é a favor. E ainda diz que é franciscano. Deixa prá lá.

Não, o Jarbas não. Seria impossível ele ser contra um salário mínimo de R$ 600,00. Porém, se até o Aécio é, por que não ele? “Perdão meu Jesus, perdão meu senhor, perdão Deus clemente, perdoais senhor.” Estou mais leve agora ao me lembrar de seu Gabriel, na Serafina. Deixa prá lá.

Então, diante de tantas agruras, quando me ajoelhei aos pés do Padre Edvaldo, minha caixa de pecados já estava vazia. Mesmo assim, sua rigidez ainda o levou a me indicar uma penitência, e aí eu acho que ele exagerou. Ter que esperar o fim de todo o inquérito para falar do caso do D. Moura de Garanhuns. Será que poderei cumpri-la? De qualquer forma me aconselharei com o Ronaldo César, que disse que não me conhecia, mesmo assim, fez uma postagem só prá mim em seu blog, e a retirou do ar, para não publicar um comentário que fiz. Penso que ele só falará sobre o caso com a sentença transitada em julgado (não sei bem o que é isto, mas, vi em algum lugar). Não sei como ele aguenta. Deixa prá lá.
Já de volta da missa vi uma postagem no blog do Roberto Almeida sobre seus valores familiares. Eu tive vontade de voltar ao meu confessor e dizer mais um pecado: De vez em quando eu discordo do Roberto. Não irei, mas, rezarei aqui um "eu pecador", e tentarei me redimir dizendo: parabéns Roberto pelos seus valores. E pendindo perdão a Deus mais uma vez, eu digo, com o poeta: "Ah! se todos os blogueiros fossem iguais a você!!!. Mas, deixa prá lá.

Vejam a charge e comecem bem a semana.




Lucinha Peixoto - lucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: