terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O Caso do Dom Moura




Recebi, sábado passado, através de um lista, um mensagem vinda da Suécia. Ela era apenas uma transcrição de um comentário já feito no Blog do Roberto Almeida, por um leitor chamado Nando e um anônimo que assina a nota como sendo de Maria Emília Pessoa da Silva. Vejam a mensagem:

"Nota da Direção

Nas últimas horas a direção do Hospital Regional Dom Moura vem sendo alvo das mais sórdidas denúncias através de veículos de comunicação de mais imediata e ampla repercussão popular - blogs e emissoras de rádio. O blog, como se sabe, é hoje um instrumento excepcional de veiculação de fatos, comentários, mas, também, de versões. A versão pessoal do blogueiro é como está posto: versão pessoal. Isso não pode
significar liberdade para caluniar e difamar.
No exercício ético do jornalismo existe um princípio que exige ouvir as partes de uma notícia, a comprovação de qualquer tipo de denúncia antes de ser veiculada, o que não está acontecendo com a direção do Hospital Regional Dom Moura. As supostas denúncias são divulgadas e alardeadas em programas sensacionalistas de rádio, sem antes se ouvir a o outro lado, a direção do Hospital. Prevalece a versão, no lugar do fato.
Cumpre-nos informar que as supostas denúncias veiculadas pelo blog do jornalista Roberto Almeida não têm qualquer sustentação de provas. O Hospital recebeu de uma empresa da cidade declaração oficial em que nega uma das – denúncias - divulgadas pelo blog, que não procurou, antes, o outro lado da – notícia -. Na forma como esse jornalismo está sendo exercido em Garanhuns presta-se ao império da calúnia e da difamação, instalando o terror em qualquer cidadão, pela vontade de uma, ou algumas, pessoas, o que fere gravemente o ordenamento jurídico e a ética jornalística.
Asseguramos a toda população assistida pelo Hospital Regional Dom Moura que, uma vez constatada a irregularidade, ela será punida na forma da lei. Não podemos é pedir punição para servidores porque candidatos à direção do Hospital jogam todo tipo de calúnia no ar, para ver no que vai dar. Entendemos que tudo isso já faz parte da campanha para a sucessão municipal no ano que vem. Lamentamos que assim pensem, porque dirigir uma unidade de saúde da dimensão do Dom Moura nada tem de poder, mas de dedicação à causa da saúde pública.

Maria Emília Pessoa da Silva
Hospital Regional Dom Moura"

Para aqueles que estão menos por dentro do que eu, desta quizumba do Hospital Dom Moura, tenho que dizer, a Maria Emília é a diretora do hospital e foi acusada, não sei se só ela, de ter desviado recursos dos doentes para comprar roupas na Av. Santo Antônio. Para maiores informações dirijam-se ao Blog do Roberto Almeida.

Meu objetivo aqui é apenas a transcrição da nota acima, porque, a pessoa que me enviou, merece todo o meu respeito, e ao ter enviado, deduzi que ela queria que a nota fosse mais divulgada. Ela é Josenilda Duarte, mulher corajosa por morar naquele gelo da Suécia, muito querida por mim, apesar de algumas discordâncias políticas, irmã dos não menos queridos, Jodeval Duarte e Luis Clério Duarte.

Como eu não resisto a dar minha opinião sobre coisa nenhum, pois fiquei tanto tempo calada, sofrendo de “machismo adquirido”, que agora que estou me tratando, preciso me expressar. Neste caso, peço desculpas ao povo de Garanhuns, pois não quero me intrometer em assuntos internos de outros “países”. Mas também não posso ficar com a mesma atitude do Lula com o Almadinejad, vendo ele apedrejar as pessoas e ficar olhando e dizendo: ah, nem acertou!

Nesta caso, eu penso que o Roberto Almeida, ao publicar esta nota, mesmo nos comentários, quis ouvir a Emília. Embora eu ache que ele a devia ter procurado para ouvir sua versão. Não sei se o fez, mas deveria ter feito. O que espero agora, é que a ida da Diretor ao Ministério Público esclareça tudinho. E que, qualquer solução para o caso deve ser dada a conhecer a toda a sociedade pernambucana. Pois como já disse, este não é o primeiro D. Moura, nem o último que aparecerá no Estado. O Conde Eduardo deve querer saber, tanto quanto eu, o que está se passando.

Uma acusação da Emília, deve ser apurada tintim por tintim. Se a denúncia tem a ver já com a campanha pela sucessão municipal. Com o que li, não acredito, que o Roberto fosse entrar numa muvuca destas pela sucessão, mas, devemos acreditar também na Emília, e ir fundo. Quero entrar na política, mas, certas horas, não há anti-ácido que melhore minha azia com certas atitudes políticas. Meu marido diz que está doido que eu entre para ele ficar viúvo logo e ele casar com outra, enquanto dá pro gasto. Nestas horas tenho vontade de empinar e mandá-lo catar coquinho, mas ainda não estou totalmente curada do meu “machismo-adquirido”. Este caso me interessa de perto, pois, meu estômago e minha úlcera, provavelmente minha carreira política também estão em jogo. Cara Josenilda, também estou de olho.

Ainda na esteira do caso do Dom Moura, já hoje, acordei tarde, pois meu neto me aporrinhou a noite inteira, enquanto a mãe dormia, porque tinha que trabalhar cedo e se comporta como se eu não tivesse nenhuma obrigação. Ao ir aos Blogs, parei na AGD. Vi um depoimento do Altamir Pinheiro a um promotor público sobre o caso. A única novidade para mim, é a questão dos pistoleiros, e eu não me atrevo a ir além do que o Zé Carlos disse. Talvez, quanto à questão de não nos meter em assuntos de outros municípios, que, ao adotar o princípio da não interferência, como o Lula fez em relação a Cuba e ao Irã, apenas apoiou ditadores de plantão. Graças a Deus, a Dilma não vai deixar apedrejar ninguém, e ficar calada.

Eu vivi em Bom Conselho uma certa época, na qual “pistoleiro” era uma função exercida tão livremente, que eu nunca vi, mas deveria ter até um PROUNI, para incentivá-la. Lendo o depoimento do amigo do Chumbo Grosso, fiquei pasma, que em pleno século XXI, a profissão ainda exista, quando hoje, a melhor forma de matar um desafeto, pelo menos de vergonha, é denunciar suas tramóias num Blog. Parece até que voltei no tempo. Precisamos que o Estado e a Justiça se imponha, ou o Brasil continuará na rabeira da civilização.

Sem mais nada a tratar no momento, e dizendo que fui à minha caixa de entrada e encontrei a mensagem e o depoimento do Altamir Pinheiro, a quem agradecemos pela informação, que é importante para todos, e aqui não a reproduzo mas, remeto o leitor à AGD, onde ela foi transcrita (aqui). Agora vou tomar meu anti-ácido.


Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: