segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Os Católicos e a Confissão Online




Este mundo digital vai levar-nos muito longe. Uns dizem que vai nos remeter ao inferno e outros dizem que nos endereçará ao céu. Eu penso que depende, como em quase tudo na vida.

Como agora estou metida até o pescoço neste mundo digital, e ainda não me afoguei, fico virando e revirando na internet e me deparo, muitas vezes com algo inusitado. Nestas balançadas pela grande rede encontrei a seguinte manchete:

“Igreja Católica aprova aplicativo de “confissão online” para o iTunes. O Confessions permite que o fiel faça uma lista dos pecados cometidos e exames de consciência com base em fatores pessoais.”



Uma coisa que ainda não uso é este negócio de iTunes, iPad, iPod, iPhone, que não resisto a tentação de lançar o meu iPud, como minha paráfrase de todos estes objetos modernos, aos quais um dia chegarei, mesma que seja na terceira idade, daqui a muito tempo.

Pois é, segundo as notícias, quem tem um iPud e é um católico praticante, como eu, agora já pode usá-lo para agilizar o sacramento da confissão. O aplicativo para estes aparelhos foi lançado pela Apple, e pelo valor nos Estados Unidos, a preços populares, US$ 1,99. Ele chama-se ainda de “Confession”, em inglês. Em português deverá chamar-se “mea culpa mea culpa, minha máxima culpa”.



Ele, uma vez instalado, permite ao usuário fazer uma lista dos pecados cometidos. Ao salvar a lista, é possível, ao abri-la, verificar os pecados anteriormente cometidos, os recorrentes e aqueles que são praticados pela primeira vez. Dizem que também, com o aplicativo, pode-se fazer um exame de consciência baseado no seu sexo, idade, estado civil, profissão, aparência e outros atributos. Por exemplo, o Lula de posse de um bicho desses, poderia fazer uma lista que incluísse o pecado de tirar o Cristóvão Buarque do ministério da educação, ou de ter gasto demais no ano passado para eleger o poste, dizer que a ferradura que atingiu o Serra era um bolinha de papel, etc. etc. servindo ela para fazer um exame de consciência, e quando fosse se ajoelhar nos pés do seu confessor, já está mais leve, e a penitência ser menor.



Digo nos pés dos padres, por que ainda não foi aprovado pela nossa Santa Madre Igreja um aplicativo para que estes também possam perdoar online. O que é uma pena. Eu mesma, teria um ganho enorme de tempo, se ao invés de, uma vez por mês, me ajoelhar aos pés do Padre Edivaldo, eu pudesse fazer isto por iPud. Se isto fosse possível eu iria comprar um agora mesmo e aprender a usá-lo. Já pensou, também se os confessores tivessem esta benesse digital, e não ter que aguentar o bafo de onça dos pecadores? Penso que qualquer padre aprovaria.

Lembro bem que o Frei Leão usava um lenço nestas ocasiões, o que não evitava que ele pudesse se contaminar com as consequências do pecado dos outros. Pois mesmo naquela época havia pessoas ali em Bom Conselho, que passavam mais de duas horas contando seus podres. Se hoje usassem o “Confession”, para fazer a lista, seria necessária uma memória de uns 10 Gigas (estou podendo na informática, este curso de Gramado me fez um bem!). O Coronel, por exemplo, necessitaria de “terabytes”, e não só de “gigabytes”.



É uma pena que O Andarilho não tenha alcançado este tempo do aplicativo da Apple. Para pedir perdão ele nem precisaria de “cavalo”, como intermediário. Era só usar a internet direto para o Padre Nelson, ou como ele preferia sempre, para o D. José Cardoso Sobrinho. Tem gosto prá tudo.

Eu fiquei eufórica com esta invenção, mesmo que ainda os padres não entrem. O poder de perdoar online ainda não recebeu o “imprimatur” da Igreja. Mas, os próprios padres, como católicos que são, podem usar um iPud para listar os seus próprios pecados. Fazendo um exame de consciência e mostrando aos católicos comuns como eu, que há muito pecados escondidos atrás do nosso Código Canônico e que precisam se modernizar. O Santo Padre Bento XVI, talvez seja o anjo que provocará esta transformação em nossa Igreja quando ele exorta os fiéis a usarem a tecnologia para fazer o bem, como tentamos fazer em nossos Blogs. Ainda no dia 24 de janeiro, segundo a BBC, a autoridade máxima da Igreja convidou especialmente os jovens a “fazerem bom uso da sua presença no mundo digital”.



Antes de comprar um iPud, eu já estou fazendo minha lista. O meu problema é saber se é pecado apoiar a Papacagay, que promete brilhar neste carnaval, que a prefeita diz que vai ser inesquecível, ou se é pecado ser a favor do aborto em certos casos, como Dilma, ou ser oposição ao seu governo, ou não gostar do PT e seu estilo de governar. Mas, aquelas minhas ações e pensamentos que são pecados verdadeiros já listei todos. Consumiram somente 2 kb de memória.


Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com
---------
(*)Charges do Nani. Sugeridas pelo Diretor Presidente.

2 comentários:

Ilha de Pala disse...

Conterrânea Lucinha, sua jocosidades me tornam cada vez mais “jácoiso”! Eu já manifestei que o curso lá nos “Gramados” pode não ter sido bom para o seu soma, mas com certa foi bom para sua psique. O texto de hoje está supimpa (supimpa? Tu és velho em Roberto). Por vezes eu usava o iPod durante minhas corridinhas. Mas, agora eu vou passar a usar o iPud nas minhas “assentadinhas” e, assim, poder contar meus pecadilhos para o “padrenet”. Fico esperançoso que o “padrenet” me dê como penitência, todos às manhãs ao acordar, repetir mil vezes: FIQUE LONGE DAS IGREJAS! FIQUE LONGE DAS IGREJAS! FIQUE LONGE DAS IGREJAS!...
Já fiquei, mas segue um abração,
Roberto Lira

Lucinha Peixoto disse...

Caro Roberto,

Obrigado por lê meus textos. Você realmente precisa de iPud. Li seu texto hoje, muito bem escrito como sempre, mas minha cabeça já está meio oca. Quando vejo coisas difíceis, rezo um Pai Nosso e tudo vai pro seu lugar graças a Deus. Um abraço.