quarta-feira, 30 de março de 2011

CRI-CRI...


Passada a euforia da festa momesca onde a mesma trouxe alegria para muitos foliões e tristezas para outros tantos, isto devido ao elevado numero de acidentes, agressões com mortes, retomemos o nosso trabalho cotidiano, esquecendo os festejos e as ressacas carnavalescas e voltemos para os nossos afazeres domésticos.

O título deste pequeno artigo é para incomodar, por que o “bicho” o “bicho” incomoda mesmo, e ao mesmo tempo relembrar, cobrar a todos os bom-conselhenses sobre um assunto que vem se arrastando há anos e sem vislumbrar nenhum empenho, no momento, ou uma solução. Fala-se de tudo em minha querida cidade. São festejos por todo lado. Projetos e animação em todos os lugares, mas infelizmente ninguém ousa sequer tocar ou mencionar o projeto de criação da ACADEMIA BOMCONSELHENSE DE LETRAS - ABCL.

É uma tristeza cada dia que passa, lamento muito este esquecimento, mas o CRI-CRI de vez em quando vai atuar fazendo muita gente se “coçar’, como na marchinha do carnaval do passado o PÓ DE MICO.

Acredito que todos já sabem o porquê desta insistência. Notadamente, penso eu e não existe outra forma de pensar, pois acredito piamente que foi engavetado ou esquecido este projeto que o qual seria e é de grande importância para população bom-conselhense, pois, uma ACADEMIA em uma cidade representa e projeta a cultura do povo que nela habita.

E, aí, fica uma pergunta no ar? Onde estão os nossos valores culturais? Como se apresenta neste momento na comunidade? Como guardamos a memória dos nossos valores, se não temos um lugar apropriado para tal serviço. E os nossos escritores, poetas gente portadores de cultura, como está a divulgar o seu trabalho? Tenho percorrido varias livrarias e “sebos” em nossa Capital do Recife, e em outros lugares que visito e sempre vou à busca de algum trabalho dos nossos conterrâneos e nada encontro.

Tenho insistido, sim, e vou continuar insistindo até o despertar da comunidade, para este belíssimo projeto, pois acredito firmemente que esta casa iria valorizar o bom nome de Bom Conselho para outras plagas e que se tornariam fonte de interligação com outras congêneres.

No entanto, é necessário que se “tenha vontade política”, para concretizar não um sonho, mas, sim um trabalho em prol da comunidade, como diz os políticos no auge de suas falações na tribuna e nos comícios antes das eleições. A nossa cidade querida necessita deste avanço em possuir uma casa de cultura onde homens e mulheres possam se comunicar, dialogar, e mostrar os seus trabalhos trazendo benefícios para a cidade, no campo da literatura, da poesia, de pesquisas e tantos outros fatos a fim de que possamos abrigar a juventude do momento e do futuro. As novas gerações precisam reverenciar e conhecer os seus conterrâneos que deixaram plantada o seu ideal e o seu trabalho em prol da comunidade.

A meu ver, a Academia guardaria toda esta memória, mas depende de nós e do nosso querer. Até breve!

José Antonio Taveira Belo / Zetinho - taveirabelo@hotmail.com

Nenhum comentário: