quinta-feira, 3 de março de 2011

Lula No Galo




Estava lendo esta semana que o meu conterrâneo Lula vai estrear em sua nova profissão: Palestrante. Eu não diria nova, pois foi o que ele fez quase a vida inteira, palestrar, palestrar e palestrar. A única diferença é que o seu ganho era menor. Soube agora que ele recebeu mais de R$ 200 mil da LG, empresa de eletrônicos, pela oratória.

Pelas notícias na mídia, ele palestrou tantas novidades quanto os galos fazem em seu canto matinal. Só como exemplo, um dos blogs diz: “Lula ganha R$ 5 mil por minuto para 'enaltecer' Lula”. Eu já sabia. Há uma música que me lembrei de parte da letra e diz o seguinte:

“Quem não tem violão, nem pistom, toca surdo,
Sempre agrada porque nesse mundo tem bobo pra tudo.

Camelô na conversa ele vende algodão por veludo,
Não tem bronca porque nesse mundo tem bobo pra tudo.

A mulher que é bonita consegue o que quer, não me iludo,
E concordo porque nesse mundo tem bobo pra tudo.

Todo mal do sabido é pensar que não é enganado,
Quantas vezes também como bobo já fui apontado.

Tem alguém que é bobo de alguém apesar do estudo,
Tá provado porque nesse mundo tem bobo pra tudo...”

Há se eu tivesse a verve poética do meu contendor, o professor José Fernandes, para arriscar completar esta letra com mais este episódio tragicômico visto, parcialmente, no filme abaixo. Talvez ele escrevesse:

"Vocês viram o Lula falando que no Brasil ele fez tudo?
Acreditem, porque nesse mundo tem bobo prá burro."

Para ver mais o que ele disse, basta percorrer hoje os blogs, pois não era minha intenção aqui falar disto, mas, já que aconteceu, como posso esquecer que no próximo sábado estarei frente a frente com ele? Aquele menino pobre que vi subir na carroceria do pau-de-arara, para ter o sucesso que teve, inclusive enricar. Se notarem alguma protuberância ou saliência em suas vestes, não se preocupem, ele não está mais gordo. É apenas o jeito petista de carregar dinheiro, na cueca, desta vez contabilizado e pago pela LG, que é um sigla para Life is Good, em inglês, que alguns maldosos já estão traduzindo para Lula Ganha, em português.

Eu quase sempre fui ao desfile do Galo, sempre gostei do Bloco, e mais recentemente vou até pra o Galo ao Contrário (o que a indústria turística não faz! Se já corria dinheiro no Galo indo prá frente, inventaram o Galo indo prá trás). E soube que o Lula já esteve no desfile do Bloco, em um ano que não participei. Mas, sábado não poderei faltar. A chance de falar com o Lula é muito remota, mas, vou tentar usar os meus superpoderes de velho, de cabeça branca, brandindo o Estatuto do Idoso na cara dos seguranças, para tentar penetrar no camarote do governador (A foto acima é uma amostra do que o Lula terá no desfile).

Li hoje que o camarote do governador tem uma passagem secreta que vai dar no camarote do prefeito. Minha estratégia é entrar pelo camarote do prefeito e dizer que preciso falar com o João da Costa, para hipotecar minha solidariedade à sua reeleição. Como ele anda “matando cachorro a grito” para arranjar quem o apoie, tenho certeza ele me receberá, pois serei o único, com este propósito, entre os 2 milhões de foliões presentes. Aproveito o fato de que ele não é meu amigo no Facebook, e não viu minha foto ainda, uso meu nome original e pronto. Vou rumo à passagem secreta em busca do grande encontro com o Lulinha, dinheiro e amor. Ontem, andei lendo algumas páginas do O Príncipe, de um italiano de Veneza. Não posso dizer que o Lula o leu, mas, pelo jeito, em breve ditará para os assessores seu novo livro, O Príncipe 2 (De Caetés à LG).

Não sei se isto vai dar certo, porém, se der, depois de uma conversa com o Lula, na qual pedirei parte dos R$ 200 mil, para auxiliar à implantação da Academia Caeteense de Letras, eu cumprirei minha principal missão, seja qual for a resposta. Levarei sob as vestes uma faixa bem bonita que a Lucinha Peixoto já deixou comigo, e, sorrateiramente, a pregarei na parte mais visível do camarote do governador. Diz a faixa, em letras que emulam as cores da bandeira de Pernambuco: “Fala Dudu”. Coisas da Lucinha, que já nasceu com o DNA maquiavélico.

Quando ela veio me entregar a faixa foi logo perguntando: "Oh, Zé, quem está pagando esta lambança toda? São 400 convidados a comerem caviar e beberem uísque 12 anos, será que o dinheiro que o Lula ganhou dá para pagar isto tudo?" Aí eu não me contive e versejei?

"Será que o dinheiro que o Lula ganhou paga isto tudo?
Não, há quem pague, porque neste mundo tem bobo prá tudo."

Hoje estou um poeta inspirado, tenho que terminar, antes que comece a poetar sobre qual vai ser a fantasia de Lula. Já ouvi dizer que ele vai fazer parte de um trio junto com o Eduardo e o Kassab, onde Lula será o Groucho.

Tenham um bom carnaval! Eu já estou saindo para ir para o Galo ao Contrário, cantando o Almir Rouche, que segundo informações estará na terra de Lucinha nestes dias de momo, e já vou cantarolando: “Galo, eu te amo....”




Zezinho de Caetésjad67@citltda.com

Um comentário:

Altamir Pinheiro disse...

ESSA ESQUERDA-CAVIAR TUPINIQUIM REGADA A WHISKY ESCOCÊS 12 ANOS DO PT..........