quinta-feira, 31 de março de 2011

Meu Cagador Minha Vida



Mesmo chateada com o Poeta, causador de minha ausência no I Encontro de Blogueiros eu sempre, na minha ronda pelos blogs, leio o dele. Depois que o Zé Carlos descreveu para nós o que se passou neste Encontro, fiquei um pouco mais tranquila, pois, segundo ele não havia nenhuma jumentinha por lá. Não levei em consideração o fato que ele descreveu, de ter tentado entrar num banheiro e a porta estivesse fechada, e ele não poder dizer se lá não havia nem jumentinha, nem seu defenestrador, o que me metia mais medo.

Desta vez, ao ler o Blog do Cláudio André, que justiça seja feita, é o que nos mantém mais perto de Bom Conselho, pois a AGD e o Blog do Felipe (embora estejam se chegando), ainda estão pelo Recife, quase morri de rir com a seguinte notícia que copiei e colei abaixo:

“FALTA DE BANHEIRO FAZ MORADOR CAGAR NUMA LATA EM BOM CONSELHO

Moradores da terceira travessa Boa Esperança no Bairro da Parmalat em Bom Conselho, reclamam da falta de banheiros públicos. Umas unidades foram construidas beneficiando algumas familias, outras não tiveram a mesma sorte. Este blogueiro entrevistou uma das moradoras que relatou que na hora de "derrubar o barro" ou "cagar", o único jeito é usar uma lata. Na casa de uma senhora que tem sete filhos, este tipo de expediente é feito um rodizio. Bom Conselho tem seus pontos de miséria e abandono. Se você quer comprovar o nosso relato, vá ao SUBACO DO URUBU, na periferia do municipio bonconselhense.”

Reli agora e continuo rindo. Penso que o Poeta, por ser poeta, é um sonhador, e suas notícias deixam transparecer isto. Elas envolvem problemas de suma importância, num linguajar que chama à leitura, por todos. Já pensou se esta notícia fosse dada da seguinte forma?

“No Bairro da Parmalata, em Bom Conselho, a falta de saneamento leva as pessoas a satisfazerem suas necessidades em depósitos, antes utilizados para guardar biscoitos. O poder público é o responsável.”

Que chatice, não é? Eu estaria aqui sisuda e sem muito interesse. Mas, quando li que os moradores estão cagando em latas, ou “soltando o barro” em latas, que devem ser grandes para não correr riscos, além de informar, ele faz rir. Tenho certeza que o Cláudio André seria contratado pelo Zé Carlos para trabalhar na AGD, e o Diretor Presidente acharia ótimo que ele escrevesse também para o Blog da CIT, embora este blog odeie notícias.

Mas, demos a devida importância notícias do Cláudio André. Quando ele diz que os moradores reclamam da falta de banheiros públicos, é a dependência exagerada do Estado a causa. Eu não sou como o Zezinho de Caetés, adepta do Estado Mínimo. Creio que o Estado tem muitas funções a realizar e com proveito dentro do nosso sistema social e econômico, mas fazer até cagadores públicos em comunidades, para mim é demais. Brevemente, a prefeitura vai inventar o “Meu Cagador Minha Vida”, e pedir financiamento através, do Minha Casa Minha Vida. Ou seja vão querer estatizar até a “arreação de barro”. Deverão aparecer já os slogans para a propaganda oficial: “Cague para que o governo pague”, ou “Não coloque o barro na lata, vá ao banheiro que a prefeitura cata”, e outras e outras que só os poetas podem assessorar em rimas menos pobres.

Como é de se esperar, a família citada pelo Poeta, que tem sete filhos, e que fazem rodízio no lata, é cliente do Bolsa Família, e portanto, comem todos os dias e vão a escola também. Portanto, se eles não usarem o cagador da escola, vai ser preciso um latão, ou, se o poder público ouvir as súplicas da comunidade, haja cagadores públicos, para evitar filas se coincidir a hora da cagada. Terão que fazer rodízio comunitário.

O bom para os governantes de plantão, ao financiar cagadores, que na maioria das vezes, vem sem o saneamento básico, é poder associar seus nomes ao programa, como é feito com o Bolsa Família, com o Sopão, ou com o Chapéu de Palha. E, tenho certeza, não faltará, pai para o programa “Meu Cagador Minha Vida”, que ficará conhecido como “Cagadão”.

Hoje vi no Blog do Felipe Alapenha, o que ele pensa ser o caminho para ser prefeito em Bom Conselho, nas próximas eleições. Eu só posso dizer: Eu já sabia, e já dissera: O Felipe é um belo escritor. Mas, como se dizia em nossa terra: “Filho de gata é gatinho...”, parece que estou vendo sua mãe escrevendo no Blog da Prefeita. Ele diz que é necessário muito dinheiro para ser prefeito, entre outras coisas, e diz “ou tenha muito dinheiro, ou então converta isso em bastante criatividade.” A sugestão que dou para aqueles interessados é usar a criatividade, quer um exemplo: Basta dizer que é o pai ou a mãe do "Cagadão". Não esquecendo de associar seu nome ao do apedeuta-ex-mor e ao do Conde Eduardo.

Já estou na fila do gargarejo para ler o outro artigo, se a Judith vai ser candidata ou não. Seja qual for a resposta, o Cagadão terá muita influência. Agora vou ler o Poeta.

Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

2 comentários:

Altamir Pinheiro disse...

SÓ EM LER ESSE EXCELENTE ARTIGO FECAL DA INTELECTUAL LUCINHA PEIXOTO, JÁ SE SENTE UM INSUPORTÁVEL CHEIRO DE FOSSA ABERTA. DIGO MELHOR, LATA DE BISCOITOS DESTAPADA... ESBORRANDO...

Lucinha Peixoto disse...

Caro Altamir,

Como você já notou, estou procurando comentários para responder, pois a falta de tempo não me deixa nem ser educada. Prá você vê, alguns já me mandaram e-mail dizendo que minha cabeça anda chei de matéria fecal. E não é o que entendi de sua mensagem. O que entendi destas mensagens é que todos tem cabeça de lata cheia.

Lucinha Peixoto