sábado, 19 de março de 2011

O I Encontro de Blogueiros de Bom Conselho e o caso da jumentinha



Eu li ontem na A GAZETA DIGITAL o texto do Zé Carlos sobre o I Encontro de Blogueiros lá na terrinha. Fiquei tão triste! Como eu gostaria de participar e não vou fazê-lo. Culpa de quem? Do poeta, que me ameaçou com o defenestrador de jumentinha. Ele disse que eu fiquei tão fissurada no caso da jumentinha que parecia estar gostando do defenestrador. Achei muito desrespeitoso, a não ser que ele seja o próprio.

Semana passada alguém me avisou que havia novo caso de defenestração de jumentas no Blog do Poeta. Eu fiz como São Tomé, fui ver para crer. E lá estava a matéria:

“População flagra homem fazendo sexo com animal.

Um caso considerado bizarro foi presenciado por alguns moradores do bairro da Santa Lúcia, na noite de ontem (15), em Maceió. O desempregado, Abdnal Carlos Araujo da Silva, 49 anos, foi espancado por populares após ter sido flagrado praticando sexo com uma égua, em um terreno baldio. O fato ocorreu na Avenida Delmiro Amorim e revoltou os moradores. Segundo informações, o animal estava amarrado em uma árvore comendo ração, quando foi “atacado” pelo homem.

A vida de Abdnal Carlos foi salva pela Polícia Militar que o encaminhou para o Hospital Geral do Estado (HGE) muito debilitado. Após receber atendimento médico, Abdnal Carlos foi conduzido para a Central de Polícia para ser autuado em flagrante pelo crime contra a moral.

COMENTANDO

Mas o crime foi contra moral de quem? Da jumenta? A jumenta ligou para a policia reclamando?

O QUE SERÁ QUE OS MORALISTAS DE PLANTÃO VÃO DIZER DESTA VEZ?

E AGORA JOSÉ?

A jumentinha o cara arrochou,

A jumentinha não reclamou,

A policia atrasou,

O tarado apanhou,

E agora José?”

E ainda mais, coloca a foto de uma jumentinha que não sei se está chorando ou sorrindo, talvez no ato do defenestramento. Será que o Abdnal também era poeta? Será que não apareceu algum poeta machucado esta semana em Bom Conselho? E os comentários que ele faz ao texto principal parece ser uma defesa pessoal do ato de defenestramento da pobre jumentinha. Ele pergunta: Mas o crime foi contra a moral de quem? Num tom, que para bom entendedor meia palavra basta. É autodefesa.

Além disso pergunta se foi contra a moral da jumenta. Aproveitando-se da condição animal da pobre criatura, que não tem celular para ligar para a polícia enquanto estava sendo defenestrada. O poeta foi impiedoso. Ora! se abusar de crianças é crime, o que dizer do abuso de uma animal? E sem dar a ele nenhuma condição de defesa. Sei que pode ser alegado, que a jumentinha consentiu no ato, pois basta ver como ela sorria na foto acima (que pedi ao Jameson para colocar ilustrando o texto). Nada justifica o ato.

Mas, apenas as dúvidas, já me deram razão para não ir ao Encontro de Blogueiros. Já avisei a Zé Carlos e ao Diretor Presidente, que não vão tirar satisfação como o poeta por mim, pois eu sei me defender sozinha. Estou esperando que o caso se esclareça de uma vez, e se proclame em alto e bom som “quem foi que defenestrou a jumentinha.

Nas últimas frase, tenho certeza dirigida a mim, pois ele acha que sou moralista, quando o que me moveu foi só minha participação ativa na Sociedade Protetora dos Animais, ele comete um poema, no qual tenta prafrasear o Carlos Drummond Andrade, mostrando mais uma faceta de sua veia poética. Eu também tenho um veia poética, a qual não me controlo em usar:

“Estava indo ao Encontro

Tudo estava preparado

Até me fazerem medo

De encontrar um tarado


O poeta divulgou

Todo Bom Conselho soube

Que uma pobre jumentinha

Quis se livrar mas não pôde


De um maldito numa estrada

Que por trás dela veio

Enquanto o Poeta filmava

Ou era filmado eu não seio


Depois do ato acabado

O defenestrador correu

Não se sabe para onde

Até hoje se escondeu


Quando eu prometi achá-lo

Veio logo uma reação

De alguém que me chamava

Moralista de plantão


Chorando desarrumei

Minha mala quase pronta

Espero o II Encontro

Onde não haverá afronta.”


Antes que alguém diga, que como poeta eu sou uma excelente blogueira, eu já dou razão a quem disser, pois as rimas além de pobres são horrorosas. Mas que tudo seja pela causa das jumentinhas abandonadas, vítimas de outros poetas. Para ajudá-las ainda mais, sugiro que metade da renda que o poeta obtiver no Encontro seja doada para erguer uma estátua em homenagem à Jumentinha Desconhecida, relembrando aquelas que deram sua honra para alavancar a audiência dos Blogs.

Para terminar, falei uma palavra acima, blogueira, será que temos alguma em Bom Conselho? Só vale a Ana Luna se o projeto do Carlos Alberto for aprovado. Este edil, por voto, dá até nó em pingo d’água.

Lucinha Peixotolucinhapeixoto@citltda.com

Nenhum comentário: