quarta-feira, 6 de abril de 2011

Delfim e o animal doméstico



Vejam o vídeo, leiam a postagem do Blog do Josias de Souza e, se se interessarem me encontrem lá em embaixo.



Delfim é notificado por comparar doméstica a animal

Ex-czar da economia e ex-deputado federal, o economista Delfim Netto comprou briga com as empregadas domésticas.

A ONG ‘Doméstica Legal’, do Rio, abespinhou-se com declaração feita por Delfim numa entrevista que deu à TV Bandeirantes no domingo (3).

Delfim discorria sobre a mobilidade que se instalou no mercado de trabalho brasileiro. A certa altura, disse:

"Há uma ascensão social incrível. A empregada doméstica, infelizmente, não existe mais. Quem teve este animal, teve. Quem não teve, nunca mais vai ter..."

Nesta terça (5), Delfim recebeu uma notificação extrajudicial. A ONG quer que ele se retrate publicamente. Acha que a frase “possui evidente teor ofensivo”.

Delfim emitiu uma nota. Serviu-se, como lhe é próprio, da ironia:

"É evidente que não se trata de designar a empregada doméstica, nem nenhuma outra categoria, como um 'animal' num sentido pejorativo ou de menosprezo...”

“...Os economistas usam corriqueiramente a expressão 'fazer renascer o espírito animal dos empresários', como forma de despertá-los para as oportunidades de investimento...”

“...E não há notícia de empresário que tenha se declarado ofendido ou humilhado".

Resta agora saber se a ONG se dará por satisfeita ou se converterá a notificação extrajudicial em ação judicial.

Seja como for, o comentário de Delfim revelou-se certeiro. Há mesmo uma “ascensão social incrível”. Eleva os salários e a consciência crítica.’

Eu sempre admirei o Delfim Neto como economista, desde que fiz uns cursos na área. Ele pegou a pecha de adepto do regime militar, por ter sido um dos seus grandes participantes. Entretanto, ele continuou, de uma forma ou de outra sendo um “conselheiro” de todos os governantes que se seguiram. O Lula não largava do pé dele. E talvez, não tenha sido o Meirelles que sustentou a inflação em níveis baixos, mas sim, o Delfim, com a experiência que tem, cochichando no ouvido do Lula.

Agora está sendo notificado por uma ONG, por que chamou domésticas de animal. Basta ver o vídeo, e o seu semblante para ver que não há nenhuma intenção, nem má fé, quando ele pronuncia a frase. O que ele diz para explicar sua frase é correto. Os economistas lidam com e falam “animal” o tempo todo. A figura do “espírito animal do empresário” é conhecidíssima, e tenta dizer que são eles os responsáveis pelo desenvolvimento econômico no mundo.

A notificação até que serviu para, com a divulgação deste vídeo, o nosso governador botar as barbas de molho, e pensar que já há em Pernambuco, um desequilíbrio na oferta de mão de obra, pelo processo de ascensão social ouvido no vídeo. Este processo de é inegável. O que se pode colocar em discussão é de quem é a culpa. Dentro em breve os “animais” desqualificados profissionalmente começarão a faltar, e para isto “educação” técnica é fundamental.

Pelo que vi, se eu disser que brevemente desaparecerão os animais presidentes da república, pois estes se transformarão em palestrantes, muito melhor remunerados, serei notificado por uma ONG protetora dos animais. Então eu farei como Delfim, citando o caso do meu conterrâneo, que pelo dinheiro que está ganhando agora dando palestras, dificilmente voltará à presidência.

Zezinho de Caetés

Um comentário:

Altamir Pinheiro disse...

ESSA NOTIFICAÇÃO NÃO DÁ EM NADA. ESSE GORDINHO QUE JÁ FOI O ALGOZ DO LULA, HOJE, É O QUERIDINHO DO PT. DURMA-SE COM UM SILÊNCIO DESSE...