sexta-feira, 22 de abril de 2011

Mudando a Quaresma




Todos sabemos que a quaresma tem seu inicio na quarta-feira de cinzas e seu término ocorre na quinta-feira santa, até a celebração da Missa da Ceia do Senhor Jesus Cristo com os doze apóstolos. Nós católicos realizamos “a preparação para a Páscoa. O período é reservado para a reflexão, a conversão espiritual. Ou seja, o católico deve se aproximar de Deus visando o crescimento espiritual. Os fiéis são convidados a fazerem uma comparação entre suas vidas e a mensagem cristã expressa nos Evangelhos. Esta comparação significa um recomeço, um renascimento para as questões espirituais e de crescimento pessoal. O cristão deve intensificar a prática dos princípios essenciais de sua fé com o objetivo de ser uma pessoa melhor e proporcionar o bem para os demais.”

Hoje li o artigo de Zé Carlos na A Gazeta Digital, sobre a semana santa dele, e resolvi escrever sobre este período, estendendo-o para os seus 40 dias regulamentares. Eu já sabia que ele era um pouco “agnóstico”, embora não tão falante quanto o outro conterrâneo Roberto Lira. Pelo que sei da vida dele, em seu mutismo espiritual, também pode está em risco de pegar uma pena branda no purgatório. Já o Roberto e o Cleómenes, parecem se encaminham para um pena mais severa.

Mas, não foi só isso que me fez pensar no período mais importantes para os católicos. Foi uma notícia que vi esta semana sobre as datas históricas referentes a vida de Jesus. Ela, com a manchete de “Estudo muda o dia da Última Ceia”, dizia:

“O professor Colin Humphreys, da Universidade de Cambridge, contesta a tese de que a Última Ceia, que reuniu Jesus Cristo e seus 12 apóstolos, tenha ocorrido na noite da Quinta-feira Santa. “Descobri que aconteceu numa quarta-feira, dia 1º de abril do ano 33, declarou. No livro O mistério da última ceia, o catedrático assinala que especialistas percorreram Jerusalém com um cronômetro e concluíram que seria impossível Jesus ter sido julgado e crucificado entre a noite de quinta-feira e a manhã de sexta.”

Se eu não fosse de tanta fé católica (apesar de algumas discordância básicas), eu tremeria em minhas bases espirituais. Se fosse apegada tanto aos fatos históricos eu iria logo procurar qual a respeitabilidade de especialistas que andam com cronômetros para dizerem que Jesus não foi crucificado na Sexta-Feira da Paixão. Entre uns e outros, na medida do possível, eu termino ficando com as minhas tradições.

Vejam qua a notícia, se verdadeira e introjetada em nossa fé, quantas mudanças ocorreriam em nosso passado, que dizem por ai, os incautos, que não muda. Atualmente, é o que mais muda, e vai mudar muito mais quando se descobrir de verdade quem foi o Lula. Não pensaríamos mais no lava pés na quinta-feira, nem acompanharíamos a procissão do Senhor Morto, na sexta-feira, como fiz tantas vezes. A Aleluia, de que fala Zé Carlos no seu texto, seria encontrada na sexta-feira, e não no sábado e talvez ele e o seu colega não pudessem ficar na praça, falando da vida alheia, e outras coisas mais.

Ainda mais dizem que Jesus ceou e lavou os pés dos apóstolos num dia 1º de abril. Embora o ano de 33, esteja correto, todos pensariam que Nosso Senhor estaria pregando uma peça nos apóstolos no dia da mentira. Eu fiquei chocada. O professor inglês, deve estar brincando conosco, católicos e cristãos. Eu quero a Santa Ceia na Quinta-Feira, mesmo que tenha sido na quarta. Pois penso ser muito mais fácil nossa Igreja aceitar coisas como o aborto, divórcio, mulheres “padres”, homossexualismo (tudo com os devidos salva-guardas), do que arcar com o custo de mudar todo o ritual para comemorar o dia da ressurreição no sábado e não no domingo. Seria um transtorno para o mundo todo. Principalmente, no nosso querido Brasil em que o Carnaval terminaria na segunda e não na terça-feira, que passaria, ao invés da terça-feira gorda, ser a terça-feira de cinzas. Sem falar nos desfiles das Escolas de Samba. É melhor, fingir que nem li a notícia.

Lucinha Peixoto


------
(*)Foto do Blog da Niedja. O Zé Carlos informou que ela disse que poderíamos roubar suas fotos, à vontade. Obrigada Niedja.

Nenhum comentário: