quarta-feira, 4 de maio de 2011

E a Educação como vai, vai bem???



Como sempre, antes de acordar, pois pego o lepitope mesmo antes de tomar o café da manhã, leio os blogs. Começo agora pelo da A Gazeta Digital. Não é uma preferência teórica, é apenas pragmatismo. Lá temos uma lista de Blogs, que o nosso Blog da CIT, não sei porque, ainda não tem. Lá, na lista volto para o Blog da CIT, e depois volto à AGD. Vou na páginas “Deu nos Blogs” dou meus bordejos e volto. Desta vez vi um comentário lá. Confesso que nem sabia que poderia fazer comentário naquela seção, mas pode. Era o seguinte:

“Anônimo disse...gostaria de relatar sobre a educação em Bom conselho,tenho uma filha que estuda no mestre laurindo seabra para mim um colegio de excelentes professores. pena que o estado não os ajuda a melhorar, minha filha chegou em casa com os novos livros nos guais ela terá que todos os dias sair de casa para dividir os livros com coleguinhas pois não tem livro para todos isso e uma vergonha. não deixarei minha filha ir arriscar a vida para ter que estudar pois ela tem apenas dez anos vocês que se dizem autoridades façam alguma coisa, pois os filhos de voçês acredito que estão com todos os livros ou estou errada? 2 de maio de 2011 13:56”

Não fiz nenhuma correção no texto acima. Não era necessário para sentir a aflição da mãe ou pai por ver o filho sem livros para estudo. Soube com os colegas que a escola falada é de Bom Conselho, mas poderia ser de qualquer município deste país.

Há duas coisa a se comentar nesta nota. Uma é dependência total das pessoas em relação ao setor público. Não há qualquer referência à compra dos livros que estão faltando. E não poderia mesmo haver se a pessoa tem uma renda que a obriga levar a filha para o mestre Laurindo Seabra. Talvez, até a menina seja retirada da escola, perdendo o ano de estudo. A segunda coisa é o próprio descaso com que o governo trata a educação neste país, enfatizando por tantas vezes a prioridade que dá à educação, para compensar o apedeudistmo de algumas autoridades, e que leva esta mãe a acreditar piamente nelas e está frustrada da forma como escreve.

É um engano pensar que a enrolação com a educação no governo do PT, só se aplica ás escolas pequenas e que o problema, sejam só os livros. Vejam o que diz o Editorial do Estado de São Paulo do dia 02 último:

“Durante a campanha eleitoral de 2010, a candidata Dilma Rousseff apontou a expansão do número de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) como uma das principais realizações do governo Lula e prometeu aumentar o ritmo de criação de novas unidades. No fim da semana passada, ela anunciou suas metas para o setor - até 2014, Dilma promete aumentar em 56,7% o número de escolas técnicas e ampliar em 806,9% o número de estudantes na Escola Técnica Aberta do Brasil, que trabalha com ensino a distância.

Com inequívoco caráter eleitoral, a promessa é ambiciosa e nada garante que o governo conseguirá cumpri-la - principalmente se levarmos em conta a crise que os IFs em funcionamento estão enfrentando. Como não dispõem de professores em número suficiente, 20 mil alunos estão sem aula há mais de dois meses. Em outras palavras, ao mesmo tempo que promete criar mais 81 escolas técnicas até 2012 e outras 120 até 2014, o governo não consegue fazer funcionar as escolas já existentes.

Essa crise começou em fevereiro, quando Dilma assinou a MP 525, que limitou a 20% do total dos professores efetivos o número de professores substitutos dos IFs e proibiu que docentes substitutos já aprovados em concursos fossem nomeados. Essas medidas - juntamente com a proibição de novos concursos públicos - fazem parte do programa de ajuste do governo, que determinou um corte de R$ 50 bilhões no Orçamento da União.

Para se adaptar às novas regras, o Ministério do Planejamento bloqueou o sistema de inclusão de cadastros de substitutos - e isso impediu os docentes que já haviam sido aprovados em concurso de assumir seus cargos. Por causa do bloqueio, até os substitutos que já haviam começado a lecionar antes da edição da MP 525 deixaram de receber seus vencimentos. Esses professores decidiram continuar trabalhando, para não prejudicar os alunos, embora estejam sem receber há mais de dois meses. Em alguns IFs, os docentes concursados estão se cotizando para ajudar os substitutos que estão sem remuneração.

Para atuar dentro do limite de 20% de professores substitutos, com relação ao total de docentes efetivos, como determina a MP 525, os diretores das escolas técnicas tiveram de mudar a grade horária, sobrecarregando os concursados para poder liberar os docentes substitutos. “Mas isso, além de não ser bom pedagogicamente, é uma estratégia limitada”, diz Cláudio Koller, diretor do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. “Você não consegue explicar para a sociedade que tem um sistema por trás do problema da falta de professores. Daí, quem apanha somos nós”, afirma o reitor do Instituto Federal do Espírito Santo, Dênio Rebello Arantes.

Em alguns IFs, a situação é crítica. É o caso do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Com 13 mil alunos, a escola tem 394 professores substitutos - quase metade dos 800 efetivos. Para cumprir a MP 525, o Centro será obrigado a demitir 234 professores. “Não temos esse tanto de docentes substitutos porque queremos, mas porque não nos permitem fazer concurso com o objetivo de recrutar professores efetivos para repor os que se aposentam”, diz o diretor Flávio Santos.

Quando a crise dos IFs irrompeu, o Ministério da Educação prometeu que o sistema de inclusão de cadastros do Ministério do Planejamento voltaria a funcionar no início de abril e que o governo permitiria a realização de novos concursos e a convocação dos docentes já aprovados. Até agora, nenhuma providência foi anunciada.

A crise dos IFs é um legado do governo Lula, que estimulou a criação desenfreada de centros de educação tecnológica e de universidades federais, sem qualquer planejamento. “Ele impeliu a criação de novos cursos, esparramou campi e agora não há professores. É uma incoerência”, diz o vice-presidente da Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior, Luiz Henrique Schuch. Ao anunciar a criação de mais de uma centena de novas escolas técnicas, enquanto as existentes carecem de professores, Dilma está seguindo o exemplo de seu antecessor.”

Eu li também que alguns prefeitos estão já fazendo campanha para 2012, com base nestas prometidas IFs, inclusive o Governador de Pernambuco anda alardeando que é certo a implantação de unidades educacionais do tipo, muito brevemente. O grande problema que o editorialista viu e que eu vejo é o fato simples e básico, que educação só se constrói com educação. Mesmo que eliminemos os professores da sala de aula, como parece ser a tentativa em termos de política salarial no Estado, as máquinas que ficarão necessitam de educação, de pessoas para operá-las para que sejam eficientes em seus propósitos.

Eu já li sobre Faculdade de Medicinas sem cadáveres. Faculdades de Veterinária sem animais. Falculdades de Odontologias sem cadeiras, e até Cursos de Ecologia em SUAPE. Mas, escola sem professor é muito difícil de cumprir sua tarefa. Então tenhamos o devido cuidado de observar quando um governante promete ou mesmo inaugura uma escola. Não veja só o prédio bonito. Entre, vá lá dentro e veja se há pessoas ensinando felizes. Então estaremos formando pessoas, que poderão até fazer oposição no futuro, mas serão mais felizes, inteligentes e cultas. E não só espertas.

Zezinho de Caetés

Um comentário:

Altamir Pinheiro disse...

POR SER ANALFABETO DE PAI, MÃE E PARTEIRA E SENDO POSSUIDOR DO COMPLEXO DE NÃO TER DIPLOMA UNIVERSITÁRIO(PREFERIA MALINAR COM AS CABRITINHAS PARA PERDER A VIRGINDADE AO INVÉS DE ESTUDAR), O SEBOSO DE CAETÉS, LASCOU O PAU A ABRIR UNIVERSIDADE EM TODA PONTA DE RUA EM DETRIMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL QUE É FUNDAMENTAL PARA AS CRIANÇAS SE FUNDAMENTALIZAREM PARA O FUTURO. EDUCAÇÃO INFANTIL NUNCA FOI DESPESA. SEMPRE FOI INVESTIMENTO COM RETORNO GARANTIDO. SE O POSTE NÃO PENSA ASSIM, COMO O SEBOSO, E ACHAM QUE EDUCAÇÃO É CARA, EXPERIMENTE A IGNORÂNCIA...