terça-feira, 17 de maio de 2011

TERREMOTO PESSOAL



Hoje, como toda segunda-feira, para nós, donas de casa, sempre há um terremoto pessoal. Fazer café para minha filha, para meu marido e comidinha para o meu neto é o tsunami das segundas. Mesmo assim, nunca cogitei em correr para meu computador e calcular minha carta do céu. Foi indo na APL ontem que vi que o Gildo havia escrito um artigo cujo título é “Terremoto Pessoal”. Ao lê-lo, o considerei com ética, estética e estilo, embora sem conteúdo algum.

O texto do Gildo é um primor de cultura inútil. Ele já escreveu coisas melhores, por exemplo, sobre sua experiência de apóstolo. Hoje, talvez pela sua ausência forçado da Academia Pedro de Lara, tenha perdido a mão. Penso que todos já devem ter lido o texto, pelo menos a Ana Luna o leu e o achou ótimo. Compreensível, pois não tem nada criticando o UvaPassa. Resolvi lê-lo em voz alta. Isto é, eu cito alguns trechos enquanto falo do meu terremoto pessoal às segundas-feiras.

“Estamos em verdadeira ebulição. Um processo sem volta se assola por toda a humanidade. Mudanças se fazem presente em todos os cantos do planeta. Estamos sendo convidados a presenciar desmoronamentos de hierarquias, de poderes que até então eram considerados sólidos e imutáveis. A Terra está mudando e todos estes abalos sísmicos, tsunamis a que estamos assistindo vem aos poucos modificando a estrutura física do nosso planeta.”

Nada mais correto e mais bem escrito do que esta constatação. Como vimos o Recife, igual ao “preço baixo”, agora tem cheia todo o dia. E esperamos os tsunamis. O Gildo em sua brilhante exposição, se pergunta a que se devem estas mudanças, que chegaram até a entortar o eixo da terra? E vai além perguntando: “E nós internamente estamos mudando também?” ao que ele mesmo responde taxativamente: “Sim, com certeza.”

Neste ponto é que o Gildo resolveu correr para seu computador para calcular sua carta do céu atual. Eu confesso minha ignorância. Eu não sabia que existia tal carta. Mas, segundo o Gildo existe sim, e além disso: “O desenho do mapa astrológico atual está diferente. Parece que todos os astros correram para uma só direção. E é isso mesmo. Atualmente, vários astros do sistema solar estão no mesmo signo, com um detalhe: encontram-se no primeiro deles, Áries.”

Vejam o que se perde quando nos encontramos no limbo da ignorância por não lermos os textos do conterrâneo Gildo. Não podia ficar assim. Diante daquela destilação de cultura, como parar por ali? Fui fundo na leitura e descobri tudo. “Áries é o signo que nos conduz a uma nova estrada, é a energia que rompe a inércia, despertando as forças criativas que estavam adormecidas. Áries é representado pelo carneiro, animal, que em uma luta usa a cabeça para vencer o seu adversário. E é com esse clima que o céu dialoga com a gente. É tudo ou nada. Não há tempo para meios termos.”

Como um apresentador de um programa policial aqui no Recife que vejo enquanto meu marido o vê para ficar informado da mortandade gerada pelo Pacto Pela Vida, sempre diz: “Durma-se com uma bronca dessas!!!”. O que fazer com o Áries, que é um carneiro e é primo do cordeiro das noivas da minha amada Ana Luna?

Simples, segundo o nosso escritor maior: “É necessário sacudir a poeira dos velhos padrões e procurar ocupar a vida com novos valores. Quem assim o fizer estará em sintonia e consonância com o movimento atual. Não dá mais para empurrar com a barriga, deixar para depois. Não dá para manter mais relações que não suportam renovação. Não dá pra fingir que tudo está bem. Não dá para continuar mantendo tantas coisas em nossa vida só porque nos acostumamos que a vida é mesmo assim e que é difícil mudá-las. É necessário estancar a hemorragia provocada pela acomodação. Transformar implica correr riscos.

Este trecho me deixou arrepiada, pois já havia percebido isto no sermão do padre Edvaldo, outro dia. Ele dizia a mesma coisa, só que com base na Bíblia e não na carta astrológica. Vai, ver a Bíblia nada mais é do que uma interpretação de Moisés dos astrólogos egípcios que escravizavam o seu povo. E hoje tudo mudou na carta astrológica e nós católicos e cristãos em geral, não percebemos isto. Só nos resta interpretar novamente aquelas cartas e ver o que nos está acontecendo. Eu já vinha muito preocupada com isto quando li outro dia que nossos signos astrológicos haviam mudado, pela mudança no eixo da terra, mas, eu uma ignorante contumaz, nem tinha ligado para isto com a devida responsabilidade.

Eu nasci no dia 10 de agosto, portanto era do signo de Leão, como o Gildo pode verificar, se quiser me ajudar diante deste terremoto pessoal. Agora nem sei se sou Leão nem sei se sou Câncer, pois no novo mapa astral o 10 de agosto está tanto em Leão quanto em Câncer. É preciso, quando o Gildo vier a Bom Conselho, fazer uma consulta com ele sobre isto. Eu nunca gostei de ser de Leão porque os meus colegas do Náutico, que ontem estiveram aqui comigo, vendo o nosso alvi-rubro se solidificar no hexa, diziam que eu era Leão até no signo. Mas me tornar Câncer, ninguém merece. Taí o tamanho do meu terremoto pessoal.

Tenho que confessar que ele já me ajudou muito com a conclusão do seu artigo, que diz:

E é isto que está nos céus. E é assim que as coisas vão se processar por uns tempos, pois determinados planetas como Plutão e Saturno são lentos em suas trajetórias. Então a Terra em geral, e nós humanos, cada um, mais cedo ou tarde irá vivenciar o seu terremoto pessoal.

Mas existe um entendimento nisso tudo. É preciso tomar nas mãos as rédeas que afirmam o desejo de mudar. Mudar para viver melhor. Para viver com mais alegria.”

O que espero em Deus é que os planetas se movam bem lentamente para que o Gildo continue também, muito lentamente, publicando textos assim. Dizem que Deus, às vezes escreve certo por linhas tortas. O Saulo também.

Lucinha Peixoto.

Nenhum comentário: